ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEXTA  17    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Homenagens de amigos e familiares marcam despedida a Ricardo Trad

Por Leonardo Rocha e Richelieu de Carlo | 01/02/2017 13:00
O prefeito Marquinhos Trad, acompanhado da esposa, durante o sepultamento do seu tio, Ricardo Trad (Foto: Alcides Neto)
O prefeito Marquinhos Trad, acompanhado da esposa, durante o sepultamento do seu tio, Ricardo Trad (Foto: Alcides Neto)
Sepultamento ocorreu no final desta manhã, no Parque das Primaveras (Foto: Alcides Neto)
Sepultamento ocorreu no final desta manhã, no Parque das Primaveras (Foto: Alcides Neto)

Discursos e homenagens de amigos e familiares marcaram a despedida do advogado criminalista, Ricardo Trad, que foi sepultado no final desta manhã, no cemitério Parque das Primaveras, em Campo Grande. Em cerimônia reservada, os mais próximos relataram a paixão que ele tinha pelo tribunal do juri e o ótimo pai e pessoa que sempre foi.

O último adeus teve a participação de familiares, colegas e amigos, com a presença de políticos, entre eles, os vereadores Carlos Borges (PSB), Wellington de Oliveira (PSDB), Willian Maksoud (PMN) e Otávio Trad (PTB), assim como dos secretários municipais Antônio Lacerda (Governo) e Rudi Fiorese (Infraestrutura) e do ex-prefeito Nelsinho Trad e do atual (prefeito), Marquinhos Trad (PSD), ambos sobrinhos.

Marquinhos inclusive revelou que o tio o influenciou a seguir a carreira de advogado e que sempre foi um homem afável, atencioso, dedicado à família e profissão. "Não vi um tribuno melhor do que ele, no meu primeiro júri meu tio estava ao meu lado", contou o prefeito.

O jurista e amigo Abrão Razuk prestou sua homenagem, com um discurso emocionado, lembrou da época em que foram colegas de faculdade e que Ricardo Trad foi um exemplo de cidadão e um pai de família exemplar. "Ele amava o tribunal do júri", lembrou, nas últimas palavras de despedida.

Ricardo Trad morreu ontem (31), aos 74 anos. Ele estava internado desde o dia 24 de janeiro na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Proncor, em Campo Grande, depois de sofrer um aneurisma na aorta abdominal.

Ele foi velado no Fórum de Campo Grande, durante toda a madrugada, até o final desta manhã. O amigo e advogado, André Borges, citou que havia morrido o "último romântico do Tribunal do Júri". A sua atuação profissional foi tão intensa que influenciou os cinco filhos, todos advogados como ele.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário