A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

25/07/2014 19:20

HU inicia reforma, mas não cumpre liminar para ampliar leitos

Zana Zaidan

Iniciada em março deste ano, a reestruturação do HU, o Hospital Universitário de Mato Grosso do Sul, está prevista para ser concluída até setembro. UTI (adulto e neonatal), centro cirúrgico e enfermaria pediátrica fazem parte do plano, além da contratação de profissionais e revisão do pagamento dos plantões hospitalares.

A informação é da presidente substituta da Ebserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), Jeanne Liliane Marlene Michel, gestora do HU desde dezembro de 2013. A dirigente confirmou que veio de Brasília à Campo Grande por causa dos problemas do HU com a Justiça, para verificar os caminhos para cumprimento da decisão. A presidente chegou hoje (25) e fica na Capital até amanhã.

As mudanças começaram com atraso, mas casam com as determinações da Justiça, proferidas no último dia 18, a pedido do Ministério Público Federal.

Inaugurado há 43 anos, a estrutura física e de equipamentos está precária e ultrapassada, avalia Jeanne. Hoje, o HU não possui nem alvará de funcionamento. A longo prazo, o plano é fazer uma reestruturação completa até 2017, com os recursos do Rehuf.

Leitos da UTI – Conforme a presidente, 65 leitos de UTI do hospital serão reformados. Para que a assistência aos pacientes não seja prejudicada, 30 deles estão em atividade, enquanto os demais foram interditados. Em seguida, será feito o inverso.

No entanto, o MPF pedia a reabertura imediata dos 65 leitos, o que não será possível, afirma Jeanne. “A Ebserh não foi notificada, apenas a UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). Quando isso acontecer, vamos recorrer. Não no sentido de não cumprir, mas pedir mais prazo”, explica.

No centro cirúrgico, o esquema para reforma de dez leitos é o mesmo. Por ora, seis salas estão fechadas; até setembro, a totalidade volta a operar. A UTI neonatal também é reformada (apenas seis dos nove funcionam), e a enfermaria da pediátrica, que hoje tem 23 leitos, passará a ter 30, e um novo centro de esterilização.

A conclusão de todas as obras está prevista para setembro, e o cronogaram está em dia, diz Jeanne. Foram empenhados R$ 4,9 milhões do Rehuf.

Atrasos – As obras poderiam ter começado antes, mas “erros de gestão” impediram a liberação de recursos, afirma a presidente.

“Com o Rehuf, muita coisa mudou. Antes, o dinheiro chegava, depois era determinado como seria gasto. Hoje, é preciso fazer um projeto, que precisa ser aprovado, para só então a verba ser liberada. Houve uma época em que se cuidou menos dessa parte”, opina.

Depois do pacote de obras, o próximo passo é investir na área de oncologia. Há sete anos, o HU não oferece quimioterapia, que deve ser retomada em 2015, com a aquisição de um acelerador linear.

Atualmente, é elaborado o projeto da sala adequada para aplicação do tratamento, dentro dos padrões de segurança exigidos.

Contratação – As provas do concurso para contratação de 842 funcionários no HU acontecem no dia 3 de agosto, e a expectativa da Ebserh é que o resultado seja homologado em outubro. No entanto, não há previsão para o início das convocações, já que, a legislação as proíbe, justifica Jeanne.

Hoje, pouco mais de 700 servidores atuam no hospital, e a expectativa é começar 2015 com mais de 1,5 mil. O foco está nos anestesiologistas, especialidade que tem 19 vagas no concurso. Efetivados, o HU vai romper o contrato com a Servan, afirma a presidente. “A contratação de terceiros já foi considerada ilegal pelo TCU”, reforça.

Quanto a polêmica dos plantões, cujo pagamento foi interrompido sob alegação de falta de autorização do Ministério do Planejamento, a presidente da Ebserh afirma que a situação foi regularizadas junto aos funcionários.

“Houve um descontamento generalizado com o corte do 'PHzinho' (como ficou conhecido o Plantão Hospitalar), considerado ilegal, mas ele foi substituído pelo APH (Adicional de Plantão Hospitalar), e a atuação de técnicos e enfermeiros foi normalizada”, finaliza.

Justiça manda HU retomar plantões e reabrir 65 leitos na Capital
O HU (Hospital Universitário) de Mato Grosso do Sul terá que restabelecer o pagamento dos plantões hospitalares, pelos próximos seis meses, para aten...
Com 842 vagas, concurso do HU encerra inscrições amanhã
Candidatos que pretendem participar do concurso público do HU (Hospital Universitário) da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) têm até a...
Guarda oferece palestra sobre prevenção e combate às drogas em Uneis
Jovens da Unei (Unidades Educacional de Internação) Dom Bosco e da Unidade de Internação Feminina Estrela do Amanhã, em Campo Grande, receberam pales...
Cadastramento biométrico é oferecido pela Carreta da Justiça em Anhanduí
Desde o início desta semana a Carreta da Justiça está realizando atendimentos da biometria no distrito de Anhanduí, no município de Campo Grande, gra...


Primeiro: A SITUAÇÃO DA FALTA DE "PHZINHOS" não foi resolvida pois CONTINUA o mesmo número de APH anterior PORTANTO as escalas continuam sem fechar! E O PIOR: NÃO RECEBEMOS OS MESES DE PH REALIZADOS DE DEZEMBRO/2013 A MARÇO/2014! DEPOIS A SITUAÇÃO CONTINUA A MESMA - MUITOS LEITOS DESATIVADOS NO HU PREJUDICANDO PACIENTES QUE PRECISAM DESSAS VAGAS E ATRAPALHANDO A QUALIDADE DOS ESTÁGIOS DE ALUNOS UFMS E RESIDENTES DAS DIVERSAS ESPECIALIDADES MÉDICAS POIS O HU É UM HOSPITAL ESCOLA!!! Quando vão nos pagar???? quando os leitos serão reativados? perguntem isso á senhora gestora da EBSERH! Obrigada!
 
cleudineia baptista de mello em 26/07/2014 09:39:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions