ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, SEXTA  03    CAMPO GRANDE 20º

Capital

Idosos continuam na fila por vacina, mas Sesau orienta a esperar nova remessa

Quem não conseguiu vacina realizou nova peregrinação pelo terceiro dia em Campo Grande

Por Izabela Sanchez e Lucas Mamédio | 26/03/2020 08:48
Na fila, de pé ou sentado, no sol ou na somba para conseguir senha na esquina da Afonso Pena com a Rua 14 de Julho (Foto: Kisie Ainoã)
Na fila, de pé ou sentado, no sol ou na somba para conseguir senha na esquina da Afonso Pena com a Rua 14 de Julho (Foto: Kisie Ainoã)

A insistência é uma das marcas de quem viveu bastante para contar história. Nesta quinta-feira (26), mesmo com informação divulgada pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) ontem de que todas as doses para vacinar contra a gripe tinham sido esgotadas, fila imensa de idosos em farmácia do centro é tentativa após tentativa de pegar as últimas doses remanescentes.

Mesmo sem ter informações oficiais, esses idosos e idosas foram pelo terceiro dia seguido peregrinar em busca de imunização contra influenza e tiveram a sorte, alguns, de encontrarem as últimas 70 doses na Droga 10 no cruzamento entre a Avenida Afonso Pena e a Rua 14 de Julho.

Fila imensa, na sombra do telhadinho curto das lojas ao lado, sentados em algumas cadeiras, e até de pé, com apoio de bengala, é o jeito de quem está em alerta para não ver na gripe uma preocupação adicional. Ainda que a vacina não imunize contra o novo coronavírus, tirar a gripe do caminho já ajuda esse público vulnerável.

O jeito é sentar para esperar (Foto: Kisie Ainoã)
O jeito é sentar para esperar (Foto: Kisie Ainoã)

As senhas acabaram em 20 minutos, depois de terem sido distribuídas por volta das 8h. Fiscal da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) também acompanhava o movimento.

Personagem de reportagem do Campo Grande News na quarta-feira (25), o aposentado José Cordeiro de Lima, 69, trocou a frustração de ontem pelo alívio desta quinta-feira. Ele não conseguiu vacina ontem, mas voltou hoje e estava feliz de senha na mão.

“Finalmente consegui”, disse o aposentado José Cordeiro de Lima, 69.

Quem também garantiu senha, e vive longe, no Oliveira I, foi Jucira Soares de Oliveira, que ainda é diabética. Ela peregrinou, de carro, pelo terceiro dia seguido junto com o marido. “Orientaram para vir hoje que talvez conseguiria”, disse.

Lázaro Renato Anis, 65, é funcionário público da união e também tentou desde o primeiro dia de campanha, na terça-feira (24). Na farmácia, funcionários informaram o Campo Grande News de que as 70 últimas doses chegaram na manhã desta quinta.

Por meio da assessoria de imprensa, a Sesau afirma que no momento, “não está referenciando unidades e farmácias para não haver demanda desenfreada e porque o cenário pode mudar a qualquer momento".

“Em alguns locais já acabou e em outros têm uma quantidade mínima. A orientação é para que os idosos, em especial, esperem a chegada das novas remessas na próxima semana. Ou ligue no estabelecimento ou unidade mais próxima para se informar se tem ou não antes de sair de casa”, orienta a Secretaria.

“Finalmente consegui”, disse o aposentado José Cordeiro de Lima, 69 (Foto: Kisie Ainoã)
“Finalmente consegui”, disse o aposentado José Cordeiro de Lima, 69 (Foto: Kisie Ainoã)

Campanha – Dividida em três fases, a primeira começou na quarta-feira (24) e segue até o dia 15 de abril apenas para idosos e funcionários do sistema de saúde. A Sesau organizou 10 tendas em unidades de saúde e contou com a parceria de 50 farmácias, mas as doses acabaram em praticamente todos os lugares em 2 dias.

Campo Grande recebeu até agora dois lotes de vacinas, que totalizaram 44.610 doses, e foram entregues em farmácias e unidades de saúde, com o objetivo de descentralizar a vacinação e evitar a aglomeração de idosos. Com a alta adesão à campanha, as doses se esgotaram e ainda não há previsão para nova entrega no início da próxima semana.

 A campanha de imunização contra a influenza tinha previsão de começar em abril, mas foi antecipada com o objetivo de reduzir os casos e a circulação do vírus durante a pandemia do coronavírus (Covid-19). A medida foi tomada pelo Ministério da Saúde no final do mês de fevereiro e acordado com os laboratórios que fabricam a vacina sobre a entrega escalonada do imunobiológico.

Ainda que os sintomas possam ser similares, a vacina da gripe não é imunização contra o novo coronavírus, conforme destaca o Ministério da Saúde. Ainda não há vacina disponível contra a doença em pandemia e é necessário buscar atendimento em unidade básica de saúde se os sintomas como febre, tosse e dificuldade respiratória surgirem.