A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

02/07/2013 11:49

Inquérito que investiga assassinato de delegado fica sob segredo de justiça

Luciana Brazil
Inquérito fica sob segredo de justiça depois de quebra de sigilo telefônico. (Foto:Marcos Ermínio)Inquérito fica sob segredo de justiça depois de quebra de sigilo telefônico. (Foto:Marcos Ermínio)

O inquérito policial que investiga a morte do delegado Paulo Magalhães, 57 anos, executado com cinco tiros na semana passada, está agora sob segredo de justiça. O delegado titular da DEH (Delegacia de Homicídios), Edilson dos Santos, que investiga o caso, solicitou a quebra de sigilo telefônico, o que deixa o inquérito sob sigilo total.

De acordo com a assessoria da Polícia Civil, a partir de agora nenhuma informação poderá ser repassada.  Estava prevista para hoje a divulgação do vídeo que mostra a movimentação em frente á escola onde ocorreu o crime, mas as imagens ainda não foram liberadas.

Paulo foi morto no dia 25 de junho, em frente à escola da filha, na rua Alagoas, em Campo Grande. Ele aguardava a menina sair do colégio.

O delegado aposentado era professor universitário e tinha uma ONG (Organização Não Governamental) onde fazia denúncias envolvendo o poder público. Ele chegou a publicar um livro sobre instalação de câmeras clandestinas na Penitenciária Federal de Campo Grande.

No “Conspiração Federal”, censurado após a publicação, cinco agentes penitenciários denunciavam a existência da gravação de encontros íntimos dos presos e inúmeras outras irregularidades no local, a mando de juiz federal.

Dossiês: O CNJ (Conselho Nacional de Justiça) confirmou a existência de dossiês, onde Paulo denúncia duas pessoas do judiciário. De acordo com o CNJ, as informações tramitam na Corregedoria do Conselho e são sigilosas.

Por enquanto, não podem ser fornecidos detalhes como identificação dos juízes e onde atuam. O CNJ também não confirma se os alvos das denúncias são de Mato Grosso do Sul.

Antes de ser assassinado, Paulo deixou 11 cópias dos dossiês com amigos, pois temia que fosse morto por causa das investigações. A Polícia Civil de Campo Grande já solicitou uma cópia ao CNJ.

 



"...porque, a maioria desconhecia a existência do crime devido a decretação do
segredo de Justiça..."

(Paulo Magalhães Araújo, Conspiração Federal, página 170)
 
Francisco Florisval Freire em 03/07/2013 19:02:47
Isso me cheira mais o segredo de Injustiça que o Doutor Paulo Magalhães tanto denunciou.
Nos moldes do art. 20 co CPP ("Art. 20. A autoridade assegurará no inquérito o sigilo necessário à elucidação do fato ou exigido pelo interesse da sociedade.") o Inquérito não necessariamente corre sob sigilo, mas por conveniência das investigações, o que me parece não ser o caso.
A OAB tem que dar uma olhada nisso!
 
Francisco Florisval Freire em 03/07/2013 17:24:06
O MS voltou a ser a terra da pistolagem e ainda querem atrair turistas
 
João Crisóstomo de Campo Grande - MS em 03/07/2013 10:08:27
marcos silva, eu também acredito nisso pois fui uns doas primeiros a chegar no local do crime, vi os primeiros levantamentos, a chegada da pericia e quando foi passado o caso para a homicídios, foi passado na hora todos os materiais colhidos no local assim como a placa da moto usada no crime, isso eu vi ninguém me contou...
 
Luiz Hedelband Barbosa em 03/07/2013 09:33:43
O inquérito policial é um procedimento sigiloso por si só (art. 20, CPP)
 
joana fontes em 02/07/2013 16:48:32
ACHO QUE TEM ESQUEMA NESTA INVESTIGAÇÃO, COM CERTEZA TEM PODEROSO NO MEIO E VÃO FAZER OS LEVANTAMENTOS EM SIGILO, DEVE SER PARA NÃO AFETAR O COSTA LARGA, DESCULPE-ME SE NÃO FOR ISSO, ESTOU NUM PAIS DEMOCRÁTICO E POSSO EXPRESSAR MEUS PENSAMENTOS.
 
marcos silva em 02/07/2013 14:17:07
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions