ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, DOMINGO  27    CAMPO GRANDE 33º

Capital

Grupo faz oração em frente ao Regional após pastor com covid-19 ser internado

Fiéis se reúnem para orar por profissionais da saúde e pacientes internados no hospital

Por Liniker Ribeiro | 06/08/2020 18:38
Grupo reunido para orar em frente ao Hospital Regional de Campo Grande (Foto: Divulgação)
Grupo reunido para orar em frente ao Hospital Regional de Campo Grande (Foto: Divulgação)

Nos arredores do Hospital Regional, onde profissionais da saúde se dedicam constantemente no atendimento a pacientes com covid-19, fiéis têm dedicado tempo e energia para orar em prol de quem enfrenta a doença. Há pelo menos três dias, uma verdadeira vigília se formou nas proximidades da unidade de saúde, unindo voluntários pela fé, devoção e esperança.

A iniciativa, realizada no período da noite e também na madrugada, é de um grupo de cristãos da Igreja El Shaddai, de Campo Grande, e teve início na última segunda-feira (3), dias após um dos líderes da igreja, pastor Edilson Vicente da Silva, dar entrada no HR após infecção pelo novo coronavírus.

Dezenas de pessoas caminharam em volta do hospital e protagonizaram momentos de oração. “Foi muito bonito e comovente”, define Epaminondas Vicente Silva Neto, mais conhecido como Papy, vereador da Capital e filho de Edilson.

Voluntário ajoelhado e orando por pacientes e profissionais da saúde (Foto: Divulgação)
Voluntário ajoelhado e orando por pacientes e profissionais da saúde (Foto: Divulgação)

Segundo ele, no início, apenas familiares e dois pastores da igreja participaram do momento de oração. Mas, após complicações no quadro de saúde do pastor, membros da comunidade religiosa também optaram por participar.

“Há anos a primeira semana de cada mês é de oração, sempre no fim do dia, às 18h. Desta vez, com meu pai internado, adicionamos outros dois horários, um deles a meia-noite. Depois disso, passamos a ir ao hospital e o pessoal começou também”, explica.

O momento de oração emocionou a muitos. “Várias pessoas saíram na porta, médicos saíram na janela, oramos por todos que estão no hospital, inclusive os profissionais da saúde”, explica.

Diagnóstico – Conforme Papy, os primeiros sintomas de Edilson, de 61 anos, foram leves, mas com o tempo evoluíram. “Ele tinha ficado sem paladar e, por isso, estava em isolamento. No 15º dia ficou muito ruim, achou até que já tinha se curado, mas começou a ter tosse e cansaço”, explica.

Com os novos sintomas, Edilson foi levado a uma unidade de atendimento e logo foi internado no Hospital Regional. Uma semana depois, com o avanço do quadro de saúde, o líder religioso precisou ser entubado.  “Hoje completa 13 dias e na sexta-feira passada ele entubou. Quadro está estabilizado, ele teve significativas melhoras, e a cada dia as pessoas se animam mais em orar”, complementa.



Regras de comentário