ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, QUINTA  13    CAMPO GRANDE 30º

Capital

Intimada, ex que jogou corrosivo em tatuador não aparece para depoimento

Crime ocorreu em 22 de fevereiro no Aero Rancho e vítima perdeu a visão dos dois olhos

Ana Paula Chuva e Ana Beatriz Rodrigues | 03/03/2023 14:36
Sônia já foi indiciada por lesão coporal gravíssima e perseguição. (Foto: Reprodução | Redes Sociais)
Sônia já foi indiciada por lesão coporal gravíssima e perseguição. (Foto: Reprodução | Redes Sociais)

Indiciada por jogar produto corrosivo no rosto do ex-namorado, Sônia Obelar, de 41 anos, foi intimada para prestar depoimento no início da tarde desta sexta-feira (3), mas não apareceu na 5ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande, onde o caso é investigado. Leandro Coelho, 30 anos, ficou cego e está internado na Santa Casa.

De acordo com o delegado Felipe Madeira, responsável pelo caso, ele foi avisado pelo advogado de Sônia que ela estaria fora da cidade e por isso não iria depor, mas a autoridade policial explicou ainda que é uma escolha da mulher não prestar o depoimento.

“Ela foi intimada para depor hoje às 14h, mas ela não comparecer não interfere em nada no inquérito. Já temos provas mais do que suficientes da autoria do crime e ela já foi indiciada”, explicou Felipe.

Sônia foi indiciada pelos crimes de lesão corporal gravíssima e perseguição. Ela foi intimada para prestar esclarecimentos no dia 27 de fevereiro. Teste rápido confirmou que a substância jogada pela mulher é soda cáustica, mas outros laudos são esperados para que o caso seja concluído.



Crime – No dia 22 de fevereiro, O tatuador voltava da academia e estava chegando em casa, no Bairro Aero Rancho, quando viu a ex-namorada, que sinalizou para que ele parasse no intuito de conversarem. Ao parar a moto, a mulher jogou o líquido de uma jarra no rosto da vítima. Dois dias depois, médico oftalmologista confirmou cegueira no tatuador.

Leandro disse que ficou "atordoado", sentindo o rosto e olhos queimando. Ele, então, andou com a moto por alguns metros, mas não aguentou a dor e perdeu a visão. Foi o momento em que parou e pediu socorro na casa de um morador. Em seguida, a vítima lavou o rosto com água da mangueira, mas sua visão escureceu e não voltou mais. Ele foi socorrido pelos bombeiros e levado para a Santa Casa, onde se encontra internado.

A família do rapaz disse que a mulher não aceitava o término e era "doente de ciúmes" pelo fato de ele ser tatuador. Ela "rezava" para que ele ficasse cego. Áudios enviados pelo WhatsApp também mostram a insistência de Sônia para reatar, enquanto Leandro pedia que ela se afastasse, pois não queria mais continuar com o relacionamento.

Leandro e Sônia quando ainda estavam juntos. (Foto: Reprodução | Redes Sociais)
Leandro e Sônia quando ainda estavam juntos. (Foto: Reprodução | Redes Sociais)


Nos siga no Google Notícias