ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 27º

Capital

Mulher chegou a dizer três vezes que “rezava” para tatuador ficar cego

Vítima prestou depoimento no hospital e afirmou que ex-namorada era muito ciumenta e não aceitava término

Ana Paula Chuva | 24/02/2023 16:58
Leandro em foto publicada em perfil de rede social. (Foto: Reprodução)
Leandro em foto publicada em perfil de rede social. (Foto: Reprodução)

O tatuador Leandro Coelho Marques, 30 anos, que perdeu a visão após ser atingido por produto corrosivo na noite de segunda-feira (22), foi ouvido pelo delegado Felipe Madeira nesta sexta-feira (24) e confirmou que a motivação do crime seria ciúmes. Segundo ele, a ex-namorada e suspeita, Sônia Obelar Gregório, 41, teria dito ao menos três vezes que “rezava” para que ele ficasse cego.

Ao Campo Grande News, o delegado responsável pela investigação afirmou que em depoimento Leandro disse que a ex-namorada era bastante ciumenta e investigava as clientes que eram atendidas por ele no estúdio, inclusive, fiscalizando as redes sociais e não aceitava o fim do relacionamento.

“Ela passou a apresentar um comportamento obsessivo após o término e começou a persegui-lo. Inclusive, segundo ele, ela teria dito por cerca de três vezes que estava rezando para Deus para que ele ficasse cego e não pudesse ver outras meninas. Então está bem explícita a intensão dela de cegar e deformar ele”, disse Felipe.

No relato, Leandro afirmou que no dia do crime a ex-namorada estava com uma jarra com aproximadamente 1,5 litro do produto que foi todo jogado contra o rosto dele e escorreu por outras partes do corpo. Ele alegou ainda que está com a visão toda esbranquiçada e que enxerga apenas vultos.

“Está bem materializada a participação dela no crime. Foram colhidos elementos suficientes para possivelmente determinar a substância utilizada. Tem o capacete que foi encaminhado para a perícia. Um chinelo encontrado no local, que muito provavelmente é dela e tem resquícios de uma substância que pode ser a usada no crime”, pontuou o delegado.

Outras testemunhas também foram ouvidas e, conforme Felipe, a investigação está praticamente completa e tudo indica que o crime tenha sido premeditado. A suspeita pode responder por lesão corporal grave e ainda está sendo procurada pela polícia.

Crime - Na data dos fatos, consciente, o tatuador contou que voltava da academia e estava chegando em casa, no Bairro Aero Rancho, quando viu a ex-namorada, que sinalizou para que ele parasse no intuito de conversarem. Ao parar a moto, a mulher jogou o líquido de uma caneca no rosto da vítima.

O tatuador disse que ficou "atordoado", sentindo o rosto e olhos queimando. Ele, então, andou com a moto por alguns metros, mas não aguentou a dor e perdeu a visão. Foi o momento em que parou e pediu socorro na casa de um morador. Em seguida, a vítima lavou o rosto com água da mangueira, mas sua visão escureceu e não voltou mais. Ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e levado para a Santa Casa.

A família informou que a ex-namorada tinha ciúmes doentio pelo fato de o homem ser tatuador. "Essa é a profissão dele e sabemos que não existe escolhas para tatuar uma pessoa. A cliente que escolhe, bunda, seios, seja lá onde for", descreveu a irmã nas redes sociais.

Perdeu a visão - Nesta sexta-feira, médico oftalmologista confirmou cegueira no tatuador, a informação foi repassada pela irmã do rapaz que está internado na Santa Casa. Segundo Jaqueline Coelho, Leandro também já está sabendo do diagnóstico.

A família do tatuador é de Ponta Porã e pediu ajuda, pelas redes sociais, para auxiliar nos cuidados do rapaz, já que alguns familiares precisam seguir para a Capital. O Pix é o CPF 066.110.231-94, em nome de Jaqueline Coelho Romero.

Rapaz teve ferimentos no rosto e está internado na Santa Casa. (Foto: Direto das Ruas)
Rapaz teve ferimentos no rosto e está internado na Santa Casa. (Foto: Direto das Ruas)


Nos siga no Google Notícias