A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

20/12/2010 08:35

Jogador de futebol denuncia racismo em sorveteria da Capital

Aline dos Santos

Jogador de futebol profissional, que atuava pelo Operário, José Valdenor Pinheiro da Natividade, de 34 anos, denuncia que foi vítima de racismo em uma sorveteria de Campo Grande.

Ele relata que na última terça-feira, por volta das 17h30, foi à sorveteria e confeitaria no bairro São Bento para tomar sorvete enquanto aguardava a chegada de um amigo.

“Logo que entrei disse boa tarde para a proprietária, mas ela não respondeu. Perguntei se tinha sorvete, picolé. Ela respondeu ‘temos’, sempre com pouca atenção. Mas até ai tudo bem”, conta.

Sentado, ele se comunicava com o amigo no MSN, via celular. Em seguida, três seguranças se aproximaram. “Ficavam me intimidando”, relata. José conta que se sentia incomodado, pois o mesmo tratamento não era dispensado aos outros três clientes que estavam na sorveteria.

“Depois, a dona entrou para dentro e chegaram cinco policiais militares, em motos e em uma viatura. Mandaram que eu encostasse na parede, abrisse as pernas e não olhasse para trás. Toda vez que tentava falar, me mandavam calar a boca, como se eu fosse bandido”, recorda.

Ele ficou cerca de 15 minutos encostado na parede, enquanto os policiais checavam seus documentos e verificaram que ele não tem antecedentes criminais.

Após o constrangimento, veio a explicação de que o comércio já foi assaltado e a proprietária acionou a polícia porque achou o comportamento do cliente parecido com o do assaltante. “Os policiais pediram desculpa, mas foi muito chato, todos passavam e ficavam olhando”.

Terminado o episódio com a polícia, ele conta que foi pagar pelos sorvetes. “A dona estava sem graça, me pediu desculpa. Mas foi preconceito racial”.

Na última sexta-feira, o jogador registrou boletim de ocorrência por racismo na Depac/Centro(Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário).

José Valdenor, conhecido nos gramados como é Zé Luiz, é do Rio Grande do Sul, mas jogou no Operário e no Comercial

O advogado Fábio Versolato vai ingressar com ação indenizatória por danos morais contra o Estado e a dona da sorveteria. “Foi discriminação. Só porque o rapaz é negro, chamaram a polícia”.

Homem é agredido e sofre afundamento de crânio na Júlio de Castilho
Márcio Ferreira dos Santos, 31 anos, foi agredido e sofreu afundamento de crânio, na noite de ontem (13), na Avenida Júlio de Castilhos, em Campo Gra...
Ceinf recebe nesta quinta parque de pneus construído por detentos
Acontece nesta quinta-feira (14), a partir das 8h no Ceinf (Centro de Educação Infantil) Rafael Abraão - CAIC Aero Rancho, a entrega do parque constr...


MINHA SÁBIA BISAVÓ DIZIA QUE DEPOIS QUE INVENTARAM ESTA TAL DE DESCULPA,AS PESSOAS PERDERAM A VERGONHA E A DECÊNCIA...
A MINHA SOLIDARIEDADE A ESTE CIDADÃO QUE FOI HUMILHADO.
E A ESSA COMERCIANTE FICA AQUI A MINHA INDIGNAÇÃO ...
 
ERIKA COSTA em 26/12/2010 10:03:09
Concordo com os comentários já relatados, acho um absurdo que em pleno século 21 o cidadão negro tenha que ainda passar por isso. O nome do estabelecimento é Confeitaria e Sorveteria Felicitá e fica na Rua 1º de Maio no Bairro São Bento.
 
Miguel Vicente Cavalcante em 22/12/2010 07:40:33
GOSTARIA DE VER O NOME DESTA EMPRESA POIS NAO GOSTARIA DE PASSAR NEM EM FRENTE DA MESMA.... VERGONHOSO!!!!
 
jose calazans em 20/12/2010 12:35:19
É lamentável que em pleno século 21 nos deparamos com situações como essa do nosso amigo Zé Luiz. É preciso sim que seja divulgado o nome da sorveteria ou padaria para que todos fiquem de olho na proprietária que praticou o racismo, assim como o procedimento dos policiais militares. "Isso é uma vergonha". Danos morais neles.
 
CARLOS ARAUJO em 20/12/2010 12:10:20
Gosto de frequentar os bons estabelecimentos em Campo Grande, para almoçar, jantar, ou simplesmente tomar um sorvete.
Por favor, divulguem o nome desta padaria no São Bento, afinal, também sou negro, e não quero ter o desprazer de sequer entrar neste local.
 
Ademir Rodrigues em 20/12/2010 12:05:31
Minha solidariedade ao Zé Luiz, com quem tive o privilégio de dividir o bônus de algumas jogadas maravilhosas dentro de campo. Fora do gramado, amigo, essa é a dura realidade para quem possui a tez negra. Em MS a discriminaçãomn racial vela existe, mas, aos poucos, afloram e precisam ser divulgadas como fez o campograndenews. Para novos casos, basta manter a pauta...rss
 
Ademar Cardoso em 20/12/2010 11:44:17
POR RACISMO O MUNDO SOFREU E SOFRE ATÉ HOJE PELAS ATROCIDADES MUNDO A FORA; O NAZISMO SÓ PARA CITA UM O EXEMPLO;O BRASIL É UM PAÍS A ONDE QUASE TODO MUNDO TEM CONTATO COM UMA PESSOA DE COR , INDIGINA , MORANDORES DE RESIDÊNCIA MAS HUMILDE; SERA QUE ESTA DONA PENSA QUE ESTA VIVENDO NA ANTIGA ALEMÃO NAZITA DA DECADA DE 30 E 40; ESPERO QUE DIVUGUE O NOME DESTA SORVETERIA PARA QUE OUTRAS PESSOAS NÃO PASSE O MESMO PROBLEMA DO ZE.
 
juacil ferreira gomes em 20/12/2010 11:43:45
A notícia está incompleta. Falta o nome do estabelecimento, falta o nome da proprietária. E ainda que esta venha alegar ter agido daquela forma por precaução ou pelo trauma do assalto que sofreu, acionar a Polícia para revistar o cliente foi tão preconceituoso e absurdo quanto à falta de educação demonstrada ao recebê-lo. Falta de educação, vírgulas - preconceito puro. Ou vamos esperar os trâmites judiciais e a burocracia protelatória das demandas para concluir que estamos diante de mais um ato flagrante de discriminação?
 
edson moraes em 20/12/2010 11:40:39
Quem souber o nome deste estabelecimento por favor divulguem, pois só a indignação
é pouco. Temos que boicotar mesmo, pois se queremos erradicar o preconceito: TOLERÂNCIA ZERO PARA O PRECONCEITO E O RACISMO.
 
TEREZINHA DE JESUS LOPES PEREIRA em 20/12/2010 11:35:47
Uma sugestão: não é possível divulgar o nome do estabelecimento? Uma ocorrência lamentável como esta pode acabar no esquecimento, mas se impactar no faturamento da sorveteria com certeza pode servir de exemplo para outros empresários refletirem sobre o assunto. Afinal o bolso é a parte mais sensível de todo indivíduo, seja pessoa física, seja pessoa jurídica.

De outro lado, felizmente acabou "tudo bem", pois em decorrência do atendimento policial poderia ter ocorrido abuso de atuação, violência física, etc.

Solidariedade e cumprimentos pela coragem em denunciar.
 
Renato Delfini em 20/12/2010 11:22:58
absurda a situação vivida por esse moçõ trata-se depessoa decente morou na alemanha varios anos atleta evangelico com tantos bandidos a solta a policia demostra trabalho justamente com quem nada deve revoltante
 
vitor batista em 20/12/2010 11:20:58
Isto é tipico de pessoas arcaicas, todo o caso de racismo (e neste caso é com certeza ) deve ser denunciado. Parabens pela divulgação na impressa do ocorrido.
 
Roberto figueiredo em 20/12/2010 11:07:31
Qual o nome da sorveteria? Está na hora dos boicotes!
 
Moacyr Neto em 20/12/2010 11:01:25
Conheço o Zé Luiz e sua maneira educada de tratar as pessoas. Minha solidariedade e a tristeza por constatar mais uma atitude racista em nossa cidade.

Arthur Mário
Jornalista e Radialista
 
aarthur mário em 20/12/2010 10:54:04
É um absurdo o que aconteceu. A proprietária da padaria tem muito do que se envergonhar. Moro na região do São Bento. Não quero mais frequentar um estabelecimento comercial orientado por uma das piores características do ser humano: o racismo. Não conheço pessoalmente o citado futebolista, mas sou totalmente solidário a sua indgnação.

Levanta a cabeça, Zé. Como diz o poeta Mario Quintana: "Eles passarão, eu passarinho"

Abs
 
Paulo Edyr em 20/12/2010 10:52:24
Isso é realmente um absurdo, acho que deveria ser publicado aq tbem o nome da sorveteria, pois assim poderiamos demonstrar nossa indignação com tamanha falta de amor ao proximo...Ser maltratado pelos donos ou funcionarios de uma empresa é normal né,rsrsrs...contra isso simplesmente não entro mais na loja, agora racismo, gente é inadimissivel...horrivel..processe mesmo caro colega temos que acabar com esse tipo de coisa em nossa cidade, estado e país...
 
Ana Gonçalves em 20/12/2010 10:44:31
acho muito chato passar por um constragimento , pois nos passamos por isso todos os idas de nossa vidas, sou inmdigena, e minha filha procura serviço , envia curriculos e nada, pois qunado veja que india eles ão so dao emprego para pessoas claras e brancas acho isso uma discrimnação total.
 
elisenafunai@yahoo.com.br em 20/12/2010 10:43:13
Divulguem o nome da confeitaria pra eu não entrar nunca lá.... vai que ACHAM que tbém tenho cara de bandido... aí já viu, né? tô ferrado que nem o Zé Luiz... desculpas posteriores não eliminam o constragimento passado... bateu e depois quer assoprar? será que a polícia atende tão rápido assim outros chamados da população? porque não deu chance pro Zé Luiz falar pelo menos quem era? a dona e a confeitaria se queimou à toa e ainda vai responder pelo "achismo", que rima com racismo! ele não foi o 1º e nem será o último... disso eu nunca duvidei!
 
Mark Mell em 20/12/2010 10:37:28
que absurdo? vai em frente processe esse pessoal, pois so sentindo no bolso e que vai parar esse tipo de coisa,nunca abaixe a cabeça, defenda seus direitos, perante a lei somos todos iguais, e lamentavel que nos dias de hoje exista pessoas ridiculas com esse preconceito idiota,abraçox
 
wanderley alves de souza em 20/12/2010 10:34:29
É um absurdo vivenciarmos atitudes como essa, a comerciante deveria mudar de profissão, pois denigre a imagem do comércio na capital.
 
iluska bastos em 20/12/2010 10:25:42
Falta de respeito!!! Racismo, preconceito, achismo... nossa que vergonha!!! Tem que processar mesmo essa senhora, que julga as pessoas pela cor. Vá em frente mesmo Zé Luiz!!! E espero que o Estado, seja realmente honesto nos resultados pq de terra sem lei e terra de coronéis eu já estou até as tampas... não aguento mais injustiça nessa cidade!!! UMA VERGONHA NACIONAL!!!
 
Ana Cristina Ferreira em 20/12/2010 10:10:54
Engraçado... na periferia da cidade, quando a polícia é acionada demoram horas e horas, isso quando aparecem.
Esqueci que a ligação teve origem do Jd. São Bento, não foi do Jd. Aero Rancho.
Enquanto aproximadamente cinco policiais de moto mais uma viatura gastam combustível para atenderem a esse absurdo, nos bairros existem motoristas bebendo e dirigindo e assaltantes agindo livremente.Zé faz valeu seu direito como cidadão!
 
Luciano Quintana em 20/12/2010 10:07:50
Concordo com o Zé Luiz, existe várias maneiras de se previnir contra assalto. Não é revistando e constrangendo os clientes que vai conseguir se protejer. Então nem saia de casa, muito menos abra um comércio. Sr José Luiz, tem que se defender, assim as pessoas aprendem a respeitar uns aos outros e se concientizar que precisa buscar capacitação diante das situações. Boa sorte!
 
Andreia Nantes Flores em 20/12/2010 10:07:25
com certeza foi uma foi discriminação, somente pela cor do rapaz nem penso como deve
ter sido constrangedor aquela situação. desejo que ele consiga excelente resultado para que sirva de exemplo para todas as pessoas que são preconceituosas.
 
Ana Paula Romualdo Da Silva em 20/12/2010 10:05:19
é um absurdo, mas é a realidade de uma sociedade ainda fortemente racista, e quando temos um fato desse que pode ser comprovado devemos não só denunciar mas cobrar indenização, processos, multas e também divulgar o nome do estabelecimento e usar como 'case' parar educar esses mal preparados empresários e a população em geral ... pois se esqueçem em que pais vivem em um pais de segunda maior população negra do mundo !
 
JACY CORREA CURADO em 20/12/2010 10:01:44
Até então, de acordo com que li na noticia acima, na vi nada de preconceito racial, tenho certeza que essa atitude a proprietaria do estabelecimento comercial teria tomado tbem em relação com outros tipos de pessoas, podendo ser brancas, negras, japones, brasileiro etc......No entanto a mesma pediu-lhes desculpas em virtude do estabelecimento ter sido vitima de assaltos varias vezes....Na verdade, acho que na maioiria das vezes as pessoas sentem inferior as demais pessoas e usam esse artificio do RACISMO.......
Isso é uma vergonha........... como diz BORIS CASOY
 
Tércio Brandino em 20/12/2010 10:00:18
Muito bem, Zé Luiz. É esta a atitude que se deve tomar.Preconceito deve ser denunciado.E não alivia, não.Firmeza, porque o "achismo" , ou seja, achar que a pessoa é isto ou aquilo, já denuncia o preconceito.Se ela afirmou que "achava" que o comportamento era "parecido"
com o de um assaltante, já confessou o crime.Portanto, vá em frente, mantenha a denúncia e persista em manter a dignidade .
 
ANGELA MARIA SILVA em 20/12/2010 09:49:28
vergonhoso!
 
guaraci mendes em 20/12/2010 09:38:07
È incrível que em pleno século 21 ainda exista esse tipo de mau comportamento do ser humano. Aonde já se viu uma dona de estabelecimento comercial tratar as pessoas assim só por causa da cor da pessoa. A dona do estabelecimento nasceu em berço de ouro, e ainda não aprendeu boas maneiras. Um dia essa pessoa vai precisar do sangue de uma pessoa de cor. Esse cidadão citado na matéria é mais importante do que essa dona de padaria; ele já fez alguma coisa pelo estado e ela? Grande coisa ser dona de comercio; quem mandou não estudar.
 
Edson Garcia em 20/12/2010 09:36:42
é lamentavel mais nos negros temos q nos unir mais e nos prepararmos e criarmos uma junta de advogados negros ou sinpatisantes para cobrar do comando geral da pm mais preparo para esses cidadoes de farda q =ue uma parte desses policiais sao negros de antimao afirmo passei no vestibular para direito depois duma dessas vou me esforçar para me tornar um dos melhores jurista do estado e junto com direitos humanos cobrar mais respeito aos cidadaos de bem por parte das forças policias do estado q por sinal sao pagas com os nossos enpostos e passo a nao mais acriditar na bandeira servir e proteger mais servir e proteger quem o rico ou uma madame cheia de manias q pra ser bem atendido no estabelicimento dela tem q ser branco!
 
WEILLER FELIZARDO GIMENEZ em 20/12/2010 09:34:18
RACISMO É CRIME.... ENTÃO DEIXA ESSA TAL DONA NA CADEIA GUARDARDA POR ALGUNS DIAS, QUEM SABE ASSIM ELA APRENDE A SER GENTE DE VERDADE.
 
Marcelo Max em 20/12/2010 09:31:50
Parabéns pela atitude do jogador! Tem mais é que denunciar mesmo, porque só assim, essa bestialidade de discriminação, perde força. Os grandes "assaltantes" vestem terno, gravata, na grande maioria são brancos e ficam no ar condicionado, bem tranquilos. É só lermos os jornais diariamente que vemos suas belíssimas "obras".
 
Regina Xavier em 20/12/2010 09:28:42
Zé Luiz, "mete um proceso nessa gente". E, por favor, diz pra gente o nome desse estabelecimento comercial.
Receba nosso apoio e solidariedade.
Fernando - Campo Grande /MS
 
FErnando Silva em 20/12/2010 09:26:54
Conheço o Zé Luiz dos gramados pois meu filho também joga no Operário. É lamentável saber que ainda nos dias de hoje A COR determina se o cidadão é de bem ou não. Quantos colarinhos "brancos" prejudicam nossa sociedade e fica por isso mesmo. Zé vá em frente com a ação de danos morais contra o Estado e contra a dona da confeitaria pois esse negócio de "achismo" só porque a pessoa é negra, EU ACHO QUE É BANDIDO, EU ACHO QUE FOI ELE, EU ACHO, EU ACHO, tem que acabar. Boa sorte Zé.
 
Ruymar Douglas em 20/12/2010 09:21:23
É um absurdo o que a proprietária do comércio fez , sempre julgar o cidadão com aparência...
 
Odilson Lemos em 20/12/2010 09:17:00
É inadmissível,que isso ocorra ainda nos dias de hoje somos todos iguais com os mesmos direitos, idependente de credo religioso ou raça, precisamos analisar nossos atos e evitarmos que estas situações ocorram, Campo Grande já tem uma fama ruim lá fora, de que as pessoas aqui não são muito receptíveis, e agora preconceito e racismo NÃO!!!
 
REINALDO GONDIM DOS ANJOS em 20/12/2010 09:16:31
APOIO A DECISÃO DESSE CIDADÃO,POR MAIS QUE SE FALE EM CONSCIÊNCIA NEGRA, O RACISMO AINDA É ALGO BEM CLARO ENTRE A HUMANIDADE.A SOCIEDADE ,NÃO GENERALIZANDO, FINGE QUE NOS ACEITA ,MAS NA PRIMEIRA OPORTUNIDADE EXPÕE SUA VERDADEIRA OPNIÃO.
 
LEILA SOARES em 20/12/2010 09:07:52
Parabéns ao Zé Luiz por ter denunciado essa prática inaceitável de racismo. Talvez assim a senhora proprietária possa olhar com respeito e humanidade aos seus semelhantes independentemente de sua cor, raça....
 
Silvia Maira em 20/12/2010 08:51:31
Que desculpinha mais esfarrapada dessa proprietária, só não xingo tudo esta mulher por conta disso porque o CG news não Publica!
Mas tenha vergonha nessa cara, simplesmente porque ele é negro você suspeita que ele ira te roubar, só porque os últimos assaltos, os bandidos eram negros, se for assim todo negro é bandido!
Barack Obama vai roubar os Estados Unidos então?
E o ato da policia também, pelo amor de Deus, se fosse um branquelo nada disso tinha acontecido!
Essa mulher tinha que se presa e linchada, pelas afro descendentes dentro da cadeia, só pra aprende!
 
Rodrigo Oliveira em 20/12/2010 08:49:39
Umo vergonha p/ nossa cidade.... basta! ali não frequento mais !
 
alexandre sabino em 20/12/2010 08:44:54
o meu amigo tambem sou negro é muita falta de preparo acho q esses caras ficam fazendo oq no cefap pegou o nome e numero da viatura vai na corregedoria denuncia esses caras primeiro faz um boletim de ocorrencia de racismo e constragimento ilegal por parte desses pm os caras manda as pessoas calarem a boca porq tao de farda tira ela a harma pra ve se sao bravo mesmo ou entao manda eles irem para o rio de janeiro subi o morro sem os navais e exercito. e quanto a esses segurança se for vigilante vai na delesp policia federal e pede pra cassar a cnv deles ou faz faculdade de direito e poe eles no lugar deles policia tem q prender bandido e evitar assalto a onibus e coibir o trafico de drogas e nao deixar a situaçao ficar igual a do rio aponto do exercito entrar no meio para fazer o trabalho deles
 
WEILLER FELIZARDO GIMENEZ em 20/12/2010 05:40:23
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions