ACOMPANHE-NOS    
MAIO, DOMINGO  16    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Jogo do bicho volta a registrar apostas menos de 20 dias após Omertà

Loteria ilegal voltou a correr no dia 10 de outubro e já teve apontador flagrado pelo Garras

Por Marta Ferreira | 14/10/2020 17:40
Apontador do bicho em frente a banca na Coronel Antonino, que estava operando nesta terça-feira, foi detido pelo Garras. (Foto: Direto das Ruas)
Apontador do bicho em frente a banca na Coronel Antonino, que estava operando nesta terça-feira, foi detido pelo Garras. (Foto: Direto das Ruas)

Menos de 20 dias depois da “Black Cat”, a quarta fase da “Operação Omertà”,  o jogo do bicho voltou a correr em Campo Grande. Nesta quarta-feira (14), por exemplo, deu coelho na milhar, que paga o maior prêmio aos apostadores, segundo os resultados divulgados na internet em portal dedicado à loteria ilegal.

Conforme levantado pela reportagem, já houve flagrante pela Polícia Civil de apontador vendendo apostas nesta terça-feira (13). Ele foi levado para o Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros) e enquadrado em contravenção penal, depois liberado.

Segundo a apuração do Campo Grande News, as extrações do “Gato Preto”, organização cuja chefia é atribuída à família Name, voltaram a ser feitas no dia 10 de outubro, 18 dias depois da operação que lacrou parte dos pontos de aposta.

A data de reinício das ações ilegais é a mesma anunciada em áudios que circulavam pelo WhatsApp, dando conta de que o jogo voltaria, mas de forma menos acintosa.

Os guichês seguem sem movimentação, parte deles com o lacre colocado pela ação conjunta entre Polícia Civil e Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado).

Fotos obtidas mostram como a organização está mantendo as apostas mesmo com as bancas lacradas.

O funcionário do “Gato Preto” fica sentado ao lado da banca, em sua maioria.

Antecipada - De acordo a apuração, o fato de a fase 5 da Omertà ter vazado, também por meio do WhatsApp, antecipando a ida das equipes às ruas em um dia, com menos gente, atrapalhou a ação de lacrar as bancas.

De um total de 500 pontos de venda de aposta estimadas na cidade, até agora foram fechadas 107.

Quando a ação foi deflagrada, 28 apontadores foram levados para o Garras. Todos foram liberados com a assinatura de TCO (Termo Circunstanciado de  Ocorrência).

Bloco de aposta, azul, ao lado de apontador do bicho em outro local. (Foto: Direto das Ruas)
Bloco de aposta, azul, ao lado de apontador do bicho em outro local. (Foto: Direto das Ruas)

Conexão – Em nota divulgada após a Omertà, o Gaeco disse que a investida contra o jogo do bicho tem como objetivo mostrar que a organização que comanda a contravenção é perigosa e violenta.

A Operação Omertà começou há um ano e já enquadrou cerca de 50 pessoas em crimes que vão de formação de milícia armada a tráfico de armas e assassinados.

O material que está sendo apreendido com o pessoal ligado ao jogo do bicho vai ser usado como provas contra os envolvidos no bando fora da lei.

 O “bicho” usa os números da Loteria Federal para definir as premiações. O esquema tem até o suporte de um site, o “Deu no poste”, onde são divulgados resultados das bancas de aposta no país todo.

Denúncias sobre o funcionamento podem ser feitas no telefone 3357-9500, no Garras.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário