A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

04/05/2012 13:04

Júri popular absolve acusado de homicídio no bairro Taquarussu

Nadyenka Castro

Jurados reconheceram que ele foi o autor do crime, mas, acataram tese da defesa

Em júri popular realizado nesta sexta-feira, em Campo Grande, Ronaldo Lima Pino foi absolvido da acusação de homicídio e constrangimento ilegal.

Ronaldo foi julgado pelo assassinato de Enéias Fernandes Paredes ocorrido na noite do dia 18 de agosto de 2008, no Jardim Tijuca II, na Capital. Enéias foi morto com cinco tiros.

A acusação pediu a retirada da qualificadora do motivo fútil e a defesa alegou legítima defesa, predomínio da violenta emoção e injusta provocação da vítima.

Os jurados reconheceram que foi Ronaldo quem atirou em Enéias e acataram a tese da defesa. Com isso, Ronaldo foi absolvido e teve expedido o alvará de soltura.

O crime aconteceu quando Enéias tentava dar fim a uma discussão entre Ronaldo e mais duas pessoas. Estas duas tinham sido mantidas em cárcere privado por Ronaldo.

Uma das duas pessoas havia abusado sexualmente de um sobrinho de Ronaldo.

Vai a júri amanhã acusado de assassinato no bairro Taquarussu
Vítima foi alvejada por tiros quando tentava dar fim a uma discussãoVai a júri popular a partir das 8 horas desta sexta-feira, em Campo Grande, Rona...
Confundido com ladrão, homem causa acidente e acaba agredido
Flávio Guimarães Fernandes, 39 anos, foi confundido com ladrão e agredido por moradores após se envolver em acidente. O caso aconteceu na madrugada d...
Sesau e SES recolhem quase 10 toneladas de lixo no Jardim Noroeste
A ação de recolhimento de lixo realizada em casas e terrenos baldios no Jardim Noroeste - bairro localizado na regiões leste de Campo Grande - somou ...


E kd que temos Legisladores de verdade (pergunto)pra tirar esses modelos arcaicos vindos d´além mar sendo que a gente nem tem o perfil daquele povo(o júri é modelo inglës).Kd que tomaram alguma medida contra a pedofilia praticada pelo causador de toda essa confusão(pergunto).Nossas criançcas e nossos jovens não são cuidados pelo Estado que só faz politicagem dia e noite, nem se ocupam do Povo
 
rose mara em 05/05/2012 06:38:20
Mais um bandido solto nas ruas.
 
nikko flores em 05/05/2012 03:16:39
João Ferri, não julgue as pessoas dessa forma, um dia poderiam abusar de um filho seu e alguém tentar tirar sua vida por causa disso!!!
 
Maria Teresa Rocha em 05/05/2012 01:06:21
Vejam bem, ao que parece uma pessoa abusou do sobrinho do atirador e o mesmo manteve a pessoa e mais outra provavelmente por isso em cárcere privado. O outro entrou para apartar a confusão e acabou morto.
Até a parte do ódio contra o abusador, não justifica mas é compreensível.Agora, o resultado final é uma chacota a respeito da seriedade desse tipo de juri, pois ao que parece,morreu O INOCENTE?
 
Cristianna Lunardelli em 04/05/2012 11:38:36
E tem mais, um crime não justifica o outro, é o que tenho escutado das autoridades policiais e judiciarias a vida toda, agora o fulano sequestra, mete cinco tiros nos outro e ainda sai solto, gente mão na conciência, por favor, por isso cada vez menos entendo as pessoas, voces do juri, deveriam ter seus nomes estampados junto à reportagem para podermos saber quem são vocês .
 
João R. Ferri em 04/05/2012 10:31:36
Por isso que todo mundo sai atirando por ai, gente desqualificada dá liberdade para um vagal desse que deu apenas 5 tirinhos na outra pessoa, além de sequestrar as pessoas da discussão se foi o que entendi. Parabéns jurados incompetentes, amanhã vou sair atirando em todo mundo por ai viu ? vcs absolvem mesmo né, beleza, não reclamem se amanhã esse lixo sai atirando em alguém da familia de vocês ok
 
João R . Ferri em 04/05/2012 10:25:01
É POR ESSE DESEQUILÍBRIO EMOSIONAL DO JURI POPULAR, RAZÃO PELA QUAL NÃO PODEM JULGAR POLICIAIS
 
jorge ferreira em 04/05/2012 08:22:24
É por este motivos e muitos outros que sou contra o Juri Popular. Acontece muito de jurados se envolverem emocionalmente (por mais que não transpareçam) e acabam tomando decisões leigas. Acho que somente o juiz, pessoa de idôneo conhecimento juridico, pode julgar racionalmente uma pessoa, e fazer cumprir a lei como deve ser cumprida.
 
Priscila Barcelos em 04/05/2012 05:48:49
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions