ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, DOMINGO  16    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Justiça manda Twitter retirar acusação de assédio contra tatuador

Jovem usou tag #exposedcg para denunciar tatuador que a teria assedidado em 2016, quando ela tinha 19 anos

Por Silvia Frias | 23/06/2020 09:22
Postagem com acusação foi feita no início de junho (Foto/Reprodução)
Postagem com acusação foi feita no início de junho (Foto/Reprodução)

A Justiça em Campo Grande determinou que o Twitter retire do ar a postagem em que um tatuador de 41 anos é acusado de assediar cliente de 19 anos. O relato foi publicado pela suposta vítima com a tag #exposedcg no início de junho, também utilizada por outras mulheres que denunciaram casos de assédio e estupro cometidos por homens da Capital.

Na decisão dada ontem (22), o juiz Maurício Petrauski, em substituição legal na 10ª Vara Cível, concedeu antecipação parcial de tutela, ou seja, deferiu parte do pedido feito pelo advogado Eduardo Correia Pracz,que representa o tatuador.

O magistrado determinou que o Twitter suspenda e retire imediatamente a publicação, sob pena de multa diária de R$ 1 mil por dia de descumprimento da ordem, limitada ao período de 30 dias. “(...) a permanência da postagem poderá implicar danos irreversíveis à imagem do Autor, já que a informação é pública e demonstra estar se propagando de maneira acelerada, em razão do número de "curtidas" e "retweets"”.

Porém, Petrauski negou, em caráter liminar, o pedido do advogado para que o Twitter forneça dos dados da usuária, alegando que não há dano iminente e que essa avaliação pode aguardar a resposta da empresa, na tramitação regular do processo.

A reportagem não conseguiu contato com assessoria do Twitter. Também entrou em contato com a jovem que postou a acusação e aguarda retorno.

Acusação – no dia 3 de junho, com a tag #exposedcg, uma jovem, hoje com 23 anos, denunciou assédio que teria sofrido em 2016, quando tinha 19 e foi ao estúdio para fazer tatuagem entre os seios. Ela foi ao local acompanhada de um amigo, por precaução, justamente para não ficar sozinha na sala com o profissional.

A jovem diz que o tatuador insistia para que o amigo fosse fumar, o que acabou acontecendo enquanto a tatuagem ainda estava sendo feita. Durante o procedimento, ela diz que o homem a convenceu a ficar sem o tampão nos seios, pois não havia problema ficar sem nada.

“Uma hora ele foi limpar e passou a mão nos meus seios, na época, tinha piercing no mamilo e foi totalmente desconfortável”, relatou. A garota disse que pediu pausa durante a tatuagem e comentou que tinha namorado. “Falou até em separar da mulher se eu desse uma chance a ele, na época ele já tinha filha e ainda era casado!”.

Quando o amigo voltou, o tatuador colocou esparadrapo nos seios e terminou a tatuagem.

No dia 1ª de junho, o perfil “Elizabeth Brum” abriu espaço para denúncias de assédios e estupros e várias mulheres resolveram aderir, relatando casos ocorridos em Campo Grande. Em poucas horas, a tag #exposedcg chegou a entrar nos “trending topics”, nos assuntos mais comentados do Twitter.

Os relatos se multiplicaram e, no dia seguinte, rendeu boletins de ocorrência por injúria, difamação, calúnia e investigação após uma das vítimas que expôs o caso em rede social ter procurado a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher).

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário