A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019

15/01/2013 15:49

Lixo, buraco e abandono evidenciam lentidão de serviços públicos

Luciana Brazil
Buracos pelo asfalto viram obstáculo corriqueiro em Campo Grande. (Fotos: Luciano Muta)Buracos pelo asfalto viram obstáculo corriqueiro em Campo Grande. (Fotos: Luciano Muta)
Lixo espalhado pelo chão em áreas de lazer também tem sido algo comum de encontrar.Lixo espalhado pelo chão em áreas de lazer também tem sido algo comum de encontrar.

Praças abandonadas, calçadas cobertas de mato e ruas cheias de buraco são hoje o cenário comum na cidade. Campo Grande parece ter sido esquecida em meio a tantas indefinições. Por qualquer local que se ande, é fácil encontrar lixo acumulado, “panelas” no asfalto e mato, muito mato, tanto na região central como nos bairros.

Em meio a uma epidemia de dengue, locais públicos se tornaram criadouros do mosquito Aedes aegypti. O lixo e o abandono mostram a morosidade dos serviços públicos da nova administração. Nesta terça-feira (15) pela manhã, a Praça Ary Coelho estava imunda, com garrafas e sacos plásticos jogados pelos canteiros, acumulando água. Os postos de saúde, lotados há dias, continuavam cheios na manhã de hoje.

Entre buracos, locais abandonados e postos de saúde lotados, a equipe de reportagem do Campo Grande News flagrou o que tem sido reclamação de muitos campo-grandenses.

No bairro ou na área central, é preciso estar atento às aberturas na pista. “Eu tenho certeza que em cada buraco que eu caio, porque muitas vezes não dá para ver, o meu carro estraga cada vez mais. É um absurdo”, disse o engenheiro Fábio Possai, 37 anos.

Indignado, ele fez questão de ressaltar como é o asfalto em outros países. “Isso aqui é uma palhaçada. Agora nem operação tapa-buraco eles estão fazendo. Ou seja, a gente que se ferre. Nos países de primeiro mundo isso não acontece. O asfalto parece uma seda”.

No cruzamento da rua Joaquim Murtinho com a rua Pestalozzi, o buracão é de chamar atenção, além de atrapalhar o condutor que precisa desviar da “cratera”. Pedaços de calota se espalham pelo local, provavelmente soltos após o veículo cair no buraco. A mesmo cena se repete no bairro Tiradentes, na rua Dona Ziza, onde três “panelas” seguidas enfeitam o asfalto.

No bairro Cidade Jardim a situação não é diferente. No cruzamento da rua Centaurea com a rua Da Assembleia um buraco enorme está no asfalto há pelo menos 10 dias, segundo moradores. Bairros como o Carandá Bosque, Vila Lucinda, Vila Margarida e o Parque do Sóter também sofrem com os problemas.

Parecida com um queijo suíço, cheia de buracos, a cidade vive hoje a lentidão dos trabalhos. Porém, os problemas não se resumem aos buracos.

Sentados na praça da rua Marques de Lavradio, estudantes disseram na manhã de hoje que o local foi esquecido. “Está virando um lixão”, contou Jiovan Cardoso, 17 anos.

Em outra praça abandonada no bairro Maria Aparecida Pedrossian, vasilhas com água parada estavam cheias de larva do mosquito da dengue, o que mostra também a falta de educação da população que ainda não se conscientizou do básico: não jogar lixo na rua. “A gente sofre muito. Eu já peguei dengue duas vezes e tenho medo de pegar de novo. Segundo a mulher do posto de saúde, muita gente do bairro está com dengue”, contou a funcionária pública Simone Aparecida Charon, 38 anos.

No Posto de Saúde do bairro Coronel Antonino, mesmo no horário do almoço quando, geralmente, os postos estão mais vazios, a fila na recepção era imensa. A demora no atendimento se repetia em outros pontos da cidade, como no posto de saúde do bairro Tiradentes.

Nas ruas, o cidadão pede apenas mais respeito pelo município. "É triste ver as coisas assim. Falta respeito e amor pela cidade. Espero que as coisas mudem", disse o operário João Lucio, 37 anos.

A Prefeitura de Campo Grande informou, quando Alcides Bernal assumiu, que retomaria o serviço de tapa-buracos, apeser de o prefeito ter tido em campanha que era contra esse tipo de medida e defendia um programa de recapeamento. Sobre as áreas de lazer, foi lançado um programa de recuperação nesta semana.

Entre buracos, locais abandonados e postos de saúde lotados, a equipe de reportagem do Campo Grande News flagrou o que tem sido reclamação de muitos campo-grandenses.

No bairro ou na área central, é preciso estar atento às aberturas na pista. “Eu tenho certeza que em cada buraco que eu caio, porque muitas vezes não dá para ver, o meu carro estraga cada vez mais. É um absurdo”, disse o engenheiro Fábio Possai, 37 anos.

Indignado, ele fez questão de ressaltar como é o asfalto em outros países. “Isso aqui é uma palhaçada. Agora nem operação tapa-buraco eles estão fazendo. Ou seja, a gente que se ferre. Nos países de primeiro mundo isso não acontece. O asfalto parece uma seda”.

No cruzamento da rua Joaquim Murtinho com a rua Pestalozzi, o buracão é de chamar atenção, além de atrapalhar o condutor que precisa desviar da “cratera”. Pedaços de calota se espalham pelo local, provavelmente soltos após o veículo cair no buraco. A mesmo cena se repete no bairro Tiradentes, na rua Dona Ziza, onde três “panelas” seguidas enfeitam o asfalto.

No bairro Cidade Jardim a situação não é diferente. No cruzamento da rua Centaurea com a rua Da Assembleia um buraco enorme está no asfalto há pelo menos 10 dias, segundo moradores. Bairros como o Carandá Bosque, Vila Lucinda, Vila Margarida e o Parque do Sóter também sofrem com os problemas.

Parecida com um queijo suíço, cheia de buracos, a cidade vive hoje a lentidão dos trabalhos. Porém, os problemas não se resumem aos buracos.

Sentados na praça da rua Marques de Lavradio, estudantes disseram na manhã de hoje que o local foi esquecido. “Está virando um lixão”, contou Jiovan Cardoso, 17 anos.

Em outra praça abandonada no bairro Maria Aparecida Pedrossian, vasilhas com água parada estavam cheias de larva do mosquito da dengue, o que mostra também a falta de educação da população que ainda não se conscientizou do básico: não jogar lixo na rua. “A gente sofre muito. Eu já peguei dengue duas vezes e tenho medo de pegar de novo. Segundo a mulher do posto de saúde, muita gente do bairro está com dengue”, contou a funcionária pública Simone Aparecida Charon, 38 anos.

No Posto de Saúde do bairro Coronel Antonino, mesmo no horário do almoço quando, geralmente, os postos estão mais vazios, a fila na recepção era imensa. A demora no atendimento se repetia em outros pontos da cidade, como no posto de saúde do bairro Tiradentes.

Nas ruas, o cidadão pede apenas mais respeito pelo município. "É triste ver as coisas assim. Falta respeito e amor pela cidade. Espero que as coisas mudem", disse o operário João Lucio, 37 anos.

A Prefeitura de Campo Grande informou, quando Alcides Bernal assumiu, que retomaria o serviço de tapa-buracos, apeser de o prefeito ter tido em campanha que era contra esse tipo de medida e defendia um programa de recapeamento. Sobre as áreas de lazer, foi lançado um programa de recuperação nesta semana.




Não se pode criticar tanto um prefeito que ainda não esquentou a cadeira, o Nelsinho,para quem não lembra ficou pintando meio fio durante um ano inteiro,esta buraqueira que ai está foi ele quem deixou, porque depois da derrota fulminante, não fez mais nada, nem pintar o meio fio.
 
Sergio Sangalli em 16/01/2013 13:48:10
NA região da Praça do Papa, tá um mato enorme!! Fora a buraqueira que tá na Rua Marechal Candido Mariano Rondon do inicio até a Av. Getulio Vargas... uma vergonha! Bernal, pelo amor de Deus, resolva!
 
Erico Correa Lopes em 16/01/2013 11:37:07
E o Bernal?????????
Tá preocupado em colocar fichas sujas no seu governo!
Cadê os 400 médicos?????????
Já estava díficil, mas parece agora que o Caos irá tomar conta.
Chupa quem votou nele!!!!!!!!!
 
Claudiney Matos em 16/01/2013 10:13:31
É por essas e outras barbáries brasileiras que estou de mudança com minha família. Prefiro pagar imposto para a rainha do que continuar a ver como o brasileiro aceita tudo calado. Lota as ruas pra parada gay ou carnaval, mas quando se trata de sua cidadania, fica reclamando no Twitter. Good luck!
 
Bruno Nodes em 16/01/2013 10:02:36
Perto da praça do Papa, observei diversas vezes o mato tomar conta e só ser cortado quando chegava alguma evento. O mato ficava tão alto que parecia plantação de milho. Então a limpeza era em prol da população, para prevenir algo ou em benefício de eventos? E buracos então, até estraguei um pneu em buraco em rua do centro perto da Mato Grosso com a Rui Barbosa ano passado.
 
Adriano Magalhaes em 16/01/2013 09:17:06
hauahuauhau, a rua da minha casa está a 5 anos com buracos que ninguém resolve, quem sabe com esse novo prefeito a situação se resolva.
 
Arnaldo Alencar em 16/01/2013 08:42:06
é bernal vc é pessimo mesmo
pior é o povo que votou em vc
 
JULIO JUNIOR em 16/01/2013 07:35:51
NÃO É DE HOJE QUE A CIDADE ESTÁ ABANDONADA.As calçadas, inclusive de bairros chamados nobres, estão uma vergonha. Algumas são calçadas em declive, impossível de andar; outras então no meio do mato ou esburacadas. As árvores crescem a vontade, sem poda...as luminárias ficam no meio da vegetação e as ruas em completa escuridão, carros que passam tem que desviar dos galhos. Os terrenos baldios viram matagal, os prédios abandonados viram lixeira. Já observei que o bairro Jardim dos Estados é bem cuidado e limpo e também outros na mesma região. O novo prefeito vai ter que fazer mágica para recuperar a cidade.
 
NILZA FLORES DA ROCHA CARUSO em 15/01/2013 20:47:14
Parece que todo mundo é prematuro, 15 dias de mandanto é querem que o cara faça o q os 8 anos d administração passada fizeram? falta de coerência de alguns comentários, todos que votaram nessa administração atual sabiam que isso iria acontecer, atrasos em melhorias, isso porque gente do alto escalão do ex-prefeito ignorou o fato d passar adiante o q deveria ser feito quando outros assumiçem o poder, resumindo, se vocês não sabem votar, ou mesmo esperar quem sabe mais 20 dias, veremos uma melhora, aqui tá igual ao Rio de Janeiro,todo mundo sabe que quando começa a temporada de chuvas sabe que irão acontecer deslizamentos, aqui é assim ou tem muita gente com memória fraca? esqueceram como estava no prolongamento da Fernando Corrêa da Costa, até hje não foi terminado a obra da Ernesto Geisel
 
Jeferson Barros Lima em 15/01/2013 20:03:30
De uma olhada na Praça Tomas Bernal Ubietra aqui no Santo Amaro, só não chegue muito perto dela, risco de se perder no meio do mato que ja passa facilmente 1,5 metro de altura. Durante a noite a situação complica mais ainda com a falta de iluminação.
 
Antonio Rodrigues em 15/01/2013 19:50:44
Essas obras mau feitas com valores ultrasuperfaturados(alguém esta embolsando 70% dos valores que dizem ser gastos!) e depois vem a prefeitura e repassa todos os gastos ao povo, dizendo que a cobrança do asfalto esta correta com a bem feitoria que foi feita. Se estamos pagando pela obra porque a mesma não foi feita corretamente com o orçamento relata aos moradores e não fomos isentos dos IPTU, IPVA,ICMS e etc... se temos de pagar a parte quem esta ficando com o dinheiro dos impostos? Essa cobrança é ilegal, imoral e criminosa visto que alguém esta se beneficiando dos pagamentos e dos impostos!
 
Alexandre de Souza em 15/01/2013 18:31:41
Só de quinze dias pra cá apareceram milhares de buracos, em quinze dias o mato chegou a dois metros de altura nas praças e em quinze dias mosquitos nasceram, cresceram e levaram a cidade à epidemia de dengue. Também em quinze dias o asfalto se dteriorou e ganhamos um lixão de milhares de toneladas. tudo culpa do Bernal? elegemos um prefeito e 29 vereadores, não fadas.
 
rogerio candido da silva em 15/01/2013 17:32:08
E O BERNAL??????
 
FABRICIO LIMA em 15/01/2013 17:26:13
Devemos cobrar uma posição do Prefeito Bernal, pois ele já assumiu o cargo há 15 dias e nada fez.
Deveria fazer como o prefeito antecessor (Prefeito empreendedor) que deixou a cidade nessa situação.
 
ricardo rodrigues em 15/01/2013 17:05:18
Os asfaltos de Campo Grande estão uma vergonha. Não dá pra andar de moto e nem de carro é buraco em todos os bairros,isso porque a gente paga imposto, e cadê os governantes que só querem ganhar as eleições, mas não fazem nada e ganham salários altíssimos? Muitas vezes, dá vontade de mudar de país,porque lá fora as coisas funcionam.
 
sueli m mattos em 15/01/2013 16:57:01
ISSO OCORRE, PORQUE O PODER PÚBLICO, POUCO FISCALIZA, É SÓ AUMENTAR O NÚMERO DE FUNCIONÁRIO, E EXIGÍR QUE TRABALHEM A FAVOR DA POPULAÇÃO E DE SÍ MESMO, CONSCIENTIZÁ-LOS, QUE SERVIDOR É EMPREGADO PÚBLICO E DELE MESMO, DA FAMÍLIA DELE, POIS TODOS SOMOS BRASILEIRO, GOVERNOS, PREFEITOS E AUTORIDADES, VAMOS FORTALECER AS LEIS, COMO? TODOS NOS SENTINDO AUTORIDADE, POIS A LEIS É PARA QUEM RECLAMA, QUEM CONSENTEM, PERDE O DIREITO, SEJAMOS PATRIOTAS, DEVEMOS RECLAMAR, ATRAVÉS DO RÁDIO, TELEVISÃO, PROMOTORIAS, PROCURAR OS POLÍTICOS PARA OS QUAIS VOTAMOS, DESDE QUE NÃO VENDEMOS O VOTOS, SE VENDEMOS, RECLAMAR COMO? SE FIZERMOS OPERAÇÃO CONJUNTA, UM POR TODOS, TODOS POR UM, TEREMOS UM PAÍS, COMO NUNCA, O BRASIL, MS E CAMPO GRANDE EM NOSSAS MÃOS, RECLAME OS SEUS DIREITOS, QUE DEUS ABENÇOE.
 
PEDRO ANTUNES BRAGA em 15/01/2013 16:46:40
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions