A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

19/02/2013 08:53

Mãe aguarda há 5 anos punição do responsável pela morte do filho

Adolescente tinha 15 anos quando morreu, depois de veículo ser atingido por carro que cruzou preferencial

Luciana Brazil
Mãe se desespera ao lembrar que a cabeça do filho foi decepada no acidente. (Fotos:Simão nogueira)Mãe se desespera ao lembrar que a cabeça do filho foi decepada no acidente. (Fotos:Simão nogueira)

O desgosto de uma mãe ao perder o filho de 15 anos em um acidente de carro parece ser ainda mais doloroso diante da luta em punir o culpado pelo desastre. Kaique Gabriel Britto Sena morreu no dia 9 de agosto de 2008 no cruzamento da Via Parque com a Santa Barbara. A investigação apontou que Anastácio da Silva Yarzon Ortiz, à época com 18 anos, dirigindo um Pálio, cruzou a preferencial sem respeitar a sinalização, atingindo o veículo Gol onde estavam seis jovens.

Kaique morreu na hora e o jovem Dener Cesar Nunes de Araújo de 19 anos faleceu no hospital. Outros dois rapazes que estavam no Gol ficaram gravemente feridos.

A última decisão judicial sobre o acidente fez a mãe de Kaique, Marleide Moreira Britto, 47 anos, se sentir impotente e derrotada. “Sinto como se todos os dias eu tivesse enterrado meu filho. Nada vai fazer ele voltar. Mas quero que a justiça seja feita. Se ele (Anastácio) não for para o júri, pra mim não vai ter sido feito justiça”.

E continuou: “Me sinto derrotada e impotente”, disse cobrindo o rosto e secando as lágrimas.

O processo impetrado pelo MPE (Ministério Público Estadual) à época corria pela 1° Vara do Tribunal do Júri. Anastácio enfrentaria, assim, o júri popular. Porém, a decisão dos desembargadores do Tribunal de Justiça no último dia 28 de janeiro acatou o recurso da defesa do réu, que tornou a acusação menos grave, transformando o crime em homicídio culposo, que não vai a júri. A decisão do colegiado foi de dois votos contra um.

“Isso é um absurdo. Não posso aceitar uma coisa dessas. O rapaz mata duas pessoas, uma delas meu filho, e depois de beber, ainda não tinha habilitação e dizem que ele não tinha intenção de matar?”, questionou revoltada.

 

No dia vestígios do acidente estavam espalhados pela Via Parque.  (Foto: Arquivo)No dia vestígios do acidente estavam espalhados pela Via Parque. (Foto: Arquivo)
Peritos coletavam informações no local do acidente, no dia seguinte a tragédia. Peritos coletavam informações no local do acidente, no dia seguinte a tragédia.

Em 2011, Anastácio confirmou ter bebido cerveja antes do acidente. O teste do bafômetro acusou presença de 0,93 milímetros de álcool por litro de sangue. Ele foi preso, mas solto sete dias depois por um habeas corpus.

Segundo Marleide, consta nos autos do processo que o Palio conduzido por Anastácio estava a 120 Km/h. “Estouro os órgãos do meu filho por dentro. Decepou a cabeça do meu filho. Estou me sentindo derrotada. Até agora o Anastácio não foi punido de nada. Matou duas pessoas e não sofreu. Está vivendo tranquilamente”.

De acordo com a promotoria que acompanha o caso, o MPE ainda não foi intimado sobre a decisão do TJ. Ao tomar conhecimento, e não concordando com a decisão do Tribunal de Justiça, o MPE deverá recorrer ao Supremo Tribunal de Justiça (STJ). Se houver parecer favorável ao Ministério Público, o réu pode recorrer ainda ao STF (Supremo Tribunal Federal). Porém, se a decisão do STJ for positiva para o réu, quem apela ao Supremo Federal é o MPE.

“Não entendo como pode agora alguém ler o inquérito e dizer que não houve intenção de matar. O outro menino que morreu era irmão do melhor amigo do Kaique. A mãe dele está acabada”.

Convivendo diariamente com a dor, Marleide evita passar por lugares onde o filho costumava ficar. “Não passo na frente da praça que fica perto da minha casa. É só olhar para o lá que eu me lembro de alguma coisa”.

Marleide mostra orgulhosa as fotos do filho na rede social.Marleide mostra orgulhosa as fotos do filho na rede social.
Foto de Kaique tirada dias antes do acidente está estampada no perfil do Facebook de Marleide. Foto de Kaique tirada dias antes do acidente está estampada no perfil do Facebook de Marleide.

Todos os dias Kaique declarava seu amor e fazia questão de repetir que jamais ia viver longe da mãe. “Ele dizia todo dia que nunca ia se separar de mim. Ele brincava que se arranjasse uma namorada que não gostasse de mim, ele ficaria solteiro. Ele era carinhoso demais”.

Marleide conta que precisa se manter firme, apesar da dor. Os outros dois filhos cobram, de alguma forma, que a mãe esteja firme.

Um ano antes do acidente, Marleide havia se separado do marido e os filhos estavam morando com a avó materna. “Nós estávamos nos preparando para morarmos todos juntos. No dia do acidente passei o dia inteiro com ele”, se recorda. “Agora quero justiça. Que ele vá a júri popular”.



infelizmente isso é uma falta de respeito com a familia e com a vida dos meninos...como foi dito ANASTÁCIO cometeu 9 crimes de uma só vez.Entre eles assumiu a direção de um carro sabendo não ser habilitado, completamente embriagado e invadiu a preferêncial, tirou a vida de dois jovens e a promotoria vai explicar pra familia que ANASTÁCIO NÃO TEVE A INTENÇÃO DE MATAR E VAI ESCAPAR DO JURI POPULAR??..PORQ? QUEM PROTEJE ANASTÁCIO?...quer dizer que a vida deles não tinha valor nenhum? Parece que ninguem lembrou de considerar a DOR que a familia sente em lembrar como poderia ser a vida dos meninos se O CAPRICHO E O MOMENTO DE DIVERSÃO do ANASTÁCIO não tivesse tirado a VIDA DELES.
DENER era meu primo, estava planejando seu casamento e uma vida toda pela frente, mas o ANASTACIO tirou a vida dele
 
TAINA NUNES ARAUJO em 06/03/2013 00:48:09
queremos justiça isto não pode ficar impune !
 
ilda rodrigues em 19/02/2013 22:59:42
NÃO SÓ ESTA MÃE ,, MEU IRMÃO TAMBEM O O FILHO DELE TAMBEM MORREU NESTE ACIDENTE..
QUE NÃO FOI ACIDENTE...
 
Marlete Araujo em 19/02/2013 17:56:40
Que Deus te comforte e a justiça seja feita.
 
Marcio Eduardo Pereira em 19/02/2013 15:41:39
Marleide, passei por algo parecido...parecido pq acidente so muda de endereço e de vitimas, justiça do homem não precisa esperar, se agarre o quanto puder com DEUS, só ele vai te confortar, procure não lamentar muinto pois o espirito de seu filho fica tristonho, c/certeza ele esta melhor que nois neste mundo de provas e expiações. bjus
 
VIEIRA MARIA JOSE em 19/02/2013 15:23:52
Se eu fosse essa mãe estrava com processo contra os desembargadores que votaram em favor do criminoso, assim como contra o juíz que aceitou o argumentos de ambos por prática de associação com o crime (o rapaz bebeu e dirigiu, ignorou sinalização, não possui CNH, matou 2 e deixou 4 feridos , cometeu 9 crimes de uma vez) e advogar para o crime(já que todos os fatos,testemunhas, perícias e laudos indicam crime e não tem nada que o prove contra). Lex Davis mesmo a lei sendo "frouxa" o cara estudou para aplicar o que é certo para o bem dos cidadãos, assim ele (Juíz) deveria ir a favor da moral, bom senso, fatos, vítimas e justiça para por ultimo buscar a lei. Imagine um médico dizer que você deve amputar a perna quebrada pois irá mancar o resto da vida? Isso é o que aplica os juízes hoje.
 
Alexandre de Souza em 19/02/2013 14:11:21
o entendimento de um desembargador no nosso pais custa caro!
 
ayrton junior em 19/02/2013 12:10:42
até quando a impunidade vai imperar nesse país chamado brasil ? onde temos a sençação que a justiça são para poucos. Autoridades da esfera judicial, estudaram os códigos de leis cívis para que quando ocupassem um cargo de desembargador, tivessem o poder de decidir após provas apresentadas nos autos do processo, decisões judiciais que esplanassem o sentido de justiça.Será que dirigir alcoolizado,sem habilitação e tirar a vida de duas pessoas não são provas suficientes para que se caracterize um crime de trânsito e que o réu seja condenado?
 
eugenio menossi em 19/02/2013 12:08:43
Já que as Leis brasileiras são fouxas, não promovem a Justiça e nem permitem a vida civilizada entrea as pessoas, o melhor é fazer uso da Lei de TALIÃO...
 
Adriano Roberto dos Santos em 19/02/2013 11:29:23
É lamentável a decisão dos desembargadores! Esses senhores deviam pensar nas consequencias de suas decisões!!!!
 
Marcos Santos em 19/02/2013 10:27:07
O problema não são os juízes, que apenas aplicam a lei, mas da própria da norma, que é frouxa. O problema está em nossa Constituição, feita sob a ânsia de uma democracia, depois de anos de repressão militar. Essa nossa Carta Magna é extremamente frouxa quanto à atuação do Estado limitando as liberdades do cidadão. Necessitamos de uma reforma penal, que seja extremamente rígida com bandidos, inclusive este que matou os dois jovens, pois não há outro adjetivo para descrevê-lo. Quem dirige sem ser habilitado e sob influência de álcool, ou qualquer substância entorpecente assume o risco de matar. Chega de passarmos a mão na cabeça de vagabundos e delinquentes. Diminuição da maioridade penal para 12 anos (idade que se finda a infância) e maior rigor do legislador quanto às penas cominadas já!
 
Lex Davis em 19/02/2013 10:24:56
Vivemos em um país medíocre, mas gostaria de usar um adjetivo mais incisivo nesse caso. Nos países civilizados, casos como esse apresentam punições severas. Em outros, conhecidos como "terra sem lei", a justiça é feita pelas próprias mãos (na Bolívia, esse condutor já teria sido morto por familiares da vítima). Entretanto, no Brasil, não há qualquer tipo de punição. Ou melhor, o rapaz vai pagar umas cestas básicas e prestar serviços à comunidade daqui uns 15 anos. Esse é o preço de uma vida!
 
Luiz Felipe em 19/02/2013 10:08:13
Infelizmente muitas vidas são ceifadas por conta da imprudencia no transito. Não creio na justiça do homem. Creio na justiça Divina. Essa pessoa sabia que dirigir sem habilitação e depois de ingerir álcool se transformaria em uma arma, portanto assumiu o papel de provavel assassino ou suicida. Hoje ele leva na alma duas mortes que serão julgadas. Seu travesseiro antes de penas, se transformaram em espinhos e o medo das consequencias se transformaram em pesadelo. A unica certeza que temos é que ele vai pagar pelos atos, se não aqui, no dia do seu julgamento final analisado por mãos Divinas. Desejo que Deus em sua infinita bondade conforte o coração dessa familia.
 
silvia guimaraes em 19/02/2013 10:06:15
sinto imensamente como cidadão campograndense que as interpretações desse processo e sua decisão nos revela que esses excelentíssimos do TJMS estão longe de fazer justiça com neutralidade.
 
plinio luiz em 19/02/2013 09:47:40
Isso é a realidade das nossas leis, num país onde as leis são feitas para ser mudada de acordo com quem convém, onde está a severidade das leis, não tem....qd tivermos juizes e politicos sérios, quem sabe a justiça seja feita......
 
merlei bueno em 19/02/2013 09:40:59
E ai senhores juízes, está na hora de mostrar que vocês são a nossa esperança de justiça neste país. Em cinco anos muita coisa mudou senhores. Teve o caso daquele acidente provocado na Av. Afonço Pena em que a justiça foi feita pelos senhores, está na hora de demonstrarem que ainda podemos ter fá na justiça dos homens. Pensem nisso vocês também tem filhos e se fosse um deles a perecer na mão de um bêbado?
 
Gilberto Ozuna em 19/02/2013 09:31:10
Q.Marleide, fique firme vc. tem Kaique sempre contigo e tem mais dois contigo.
A justiça não faltrá.
Fale com Deus, ele vaí te apacentar e te mostrar que a vida continua.
 
EDSON LUIZ DE MIRANDA em 19/02/2013 09:20:54
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions