A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

01/08/2015 11:29

Mães fazem "mamaço" em busca do direito de amamentar no trabalho

Mariana Rodrigues
A ação denominada  A Hora do Mamaço, faz parte da Semana Mundial da Amamentação 2015. (Foto: Vanessa Tamires)A ação denominada "A Hora do Mamaço", faz parte da Semana Mundial da Amamentação 2015. (Foto: Vanessa Tamires)

Centenas de lactantes foram até à Praça do Rádio Clube, em Campo Grande, na manhã deste sábado (1), para chamar a atenção da importância da mães que precisam voltar a trabalhar e buscam o direito de uma pausa para amamentar o bebê. A ação denominada "A Hora do Mamaço", faz parte da Semana Mundial da Amamentação 2015.

Após a concentração na praça, as mães foram até a Avenida Afonso Pena, esquina com a Pedro Celestino, onde em uma passeata simbólica, gritavam o tema da campanha: "Amamentar e trabalhar, basta apoiar!".

Conforme a enfermeira e consultora em amamentação, Paula Serafin, o objetivo este ano é conseguir a sensibilização para que as mães voltem ao trabalho e continuem amamentando. "Mas o foco central de tudo é o aleitamento materno, independente do período que a mãe está amamentando", concluiu.

Ela comenta ainda que há muito preconceito quanto o ato de amamentar, de acordo com Paula, a mulher precisa expor o corpo par amamentar. "Existe um esteriótipo de sexualidade em cima do ato de amamentar, isso é muito triste temos que crescer muito em torno disso para apoiar o aleitamento", afirma.

Segundo Fátima Scarcelli, consultora da área da criança pelo Ministério da Saúde, diz que o aleitamento é visto como uma ação básica de saúde que contribui com até 13% na redução da mortalidade infantil , isso se for feito de forma exclusiva até os seis meses e continuada até os dois anos ou mais, conforme os parâmetros OMS (Organização Mundial da Saúde). "O aleitamento é importante para o bebê já que possui todos os nutrientes e fortalece o vínculo mãe e filho, pois tem todo o envolvimento entre a mãe e a criança. A política do aleitamento materno é prioritária para o desenvolvimento infantil. Bebê que mama adoece menos", afirma.

A enfermeira e consultora em amamentação, Paula Serafin comenta ainda que há muito preconceito quanto o ato de amamentar. (Foto: Vanessa Tamires)A enfermeira e consultora em amamentação, Paula Serafin comenta ainda que há muito preconceito quanto o ato de amamentar. (Foto: Vanessa Tamires)
Letícia Neto Herter, 33 anos e Alex Cândido, 41 anos, acreditam que é de extrema importância a ajuda da sociedade e da família. (Foto: Vanessa Tamires)Letícia Neto Herter, 33 anos e Alex Cândido, 41 anos, acreditam que é de extrema importância a ajuda da sociedade e da família. (Foto: Vanessa Tamires)

Fátima informou ainda que quando se pensa em aleitamento, se pensando desenvolvimento integral do bebê, a parte de QI, da afetividade. "Quando você tem um bebê amamentado no peito, você vê um diferencial de desenvolvimento infantil nessa criança", afirma.

Para a mãe, a amamentação ajuda na prevenção de câncer e na facilidade de alimentar o bebê e do útero voltar ao tamanho normal. "O leite materno desenvolve o estímulo da criança e a mãe trabalha uma interação da mãe com o bebê".

"Nesta ação pedimos também que as mães amamentem os seus bebês e que no excesso elas doem para os bancos de leite que nós estamos precisando e muito desse leite", disse. 

Não foram só as mães que participaram da ação, vários pais acompanharam suas esposas nesta luta pelo direito das mulheres voltarem a trabalhar e terem um tempo para amamentar.

Fátima Scarcelli, consultora da área da criança pelo Ministério da Saúde, diz que o aleitamento é visto como uma ação básica de saúde. (Foto: Vanessa Tamires)Fátima Scarcelli, consultora da área da criança pelo Ministério da Saúde, diz que o aleitamento é visto como uma ação básica de saúde. (Foto: Vanessa Tamires)

Letícia Neto Herter, 33 anos, tem dois filhos, um de cinco anos e uma bebê de apenas um mês. Ela conta que amamentou o primeiro filho até os dois anos, fato que ela quer repetir com a filha mais nova."Tive essa experiência com meu primeiro filho e sei da importância na pausa para a amamentação, sou profissional da saúde e na teoria a gente sabe muito, mas na prática é mais complicado. Estou articulando com meu marido para ele levar minha bebê para no trabalho para eu poder amamentar", conta.

Alex Cândido, 41 anos, servidor público, acompanhou a esposa Letícia, pois acha importante a ação. "Temos que acompanhar desde o começo e ajudar, pois a amamentação é muito importante e a mulher precisa de apoio dentro de casa e da sociedade", finalizou.

Serviço: Ainda hoje as mães contam com várias atividades no Shopping Bosque dos Ipês. Das 16h às 17h30 haverá palestras sobre com o Pediatra Dr. Durval Batista Palhares; Dificuldades na amamentação com a Enfermeira e consultora Paula Serafin e Translactação - Experiência compartilhada com pacientes.

Centenas de mães foram até a Praça para participar do mamaço. (Foto: Vanessa Tamires)Centenas de mães foram até a Praça para participar do mamaço. (Foto: Vanessa Tamires)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions