A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

05/05/2012 12:45

Manifestações na Afonso Pena reúnem aproximadamente 80 pessoas

Ana Paula Carvalho e Elverson Cardozo
Com causas diferentes, manifestantes ficaram lado a lado. (Foto: Minamar Júnior)Com causas diferentes, manifestantes ficaram lado a lado. (Foto: Minamar Júnior)

Duas manifestações realizadas na manhã deste sábado, no cruzamento da avenida Afonso Pena com a rua 14 de Julho, reuniram aproximadamente 80 pessoas. Uma pedia para a presidente Dilma Rousseff vetar o Código Florestal aprovado pelos deputados federais no último dia 25 de abril e a outra protestava contra a mudança no código penal que deixará mais branda a pena para quem cometer maus tratos contra animais.

A primeira foi organizada por meio do Facebook e faz parte de um movimento nacional. Os participantes percorreram três ruas do centro. O grupo levou às ruas 13 razões para o veto total do código.

Uma delas é a retirada do primeiro artigo do texto aprovado pelo Senado que, segundo os manifestantes, estabelecia os princípios jurídicos de interpretação da lei que garantia a essência ambiental no caso de controvérsias jurídicas e administrativas.

A retirada desse artigo deixa claro, na visão dos organizadores, que o propósito da lei é consolidar atividades agropecuárias em áreas ambientalmente sensíveis.

Outra razão é o aumento da possibilidade legal de novos desmatamentos nas áreas de preservação ambiental.

Bióloga é representante do comitê sul-mato-grossense para o Rio+20.(Foto: Minamar Júnior)Bióloga é representante do comitê sul-mato-grossense para o Rio+20.(Foto: Minamar Júnior)

De acordo com a bióloga Cintia Possas, de 26 anos, que é representante do comitê sul-mato-grossense para o Rio+20, o Código foi escrito sem base científica. "Eles usam o discurso que vão beneficiar os pequenos produtores", afirma.

O governo e os ambientalistas defendiam o texto aprovado pelos senadores e enviado à Câmara para nova votação, com o argumento de que, no Senado, a proposta havia sido acordada com o setor produtivo e com os ambientalistas, e que também contou com a aprovação de deputados.

Proteçãos aos animais - Já o movimento nacional de proteção e defesa animal, realizado por voluntários do Abrigo dos Bichos, Ong de Campo Grande, pede pelo avanço da proteção ao penal ao meio ambiente e aos animais.

Uma dos voluntários, Jorge Barbosa, de 45 anos, explica que o objetivo principal é protestar contra a reforma do Código Penal Brasileiro, que poderá abrandar crimes de maus tratos a animais, por exemplo.

“A gente quer que aumente e não diminua”, afirmou.

Guarda oferece palestra sobre prevenção e combate às drogas em Uneis
Jovens da Unei (Unidades Educacional de Internação) Dom Bosco e da Unidade de Internação Feminina Estrela do Amanhã, em Campo Grande, receberam pales...
Cadastramento biométrico é oferecido pela Carreta da Justiça em Anhanduí
Desde o início desta semana a Carreta da Justiça está realizando atendimentos da biometria no distrito de Anhanduí, no município de Campo Grande, gra...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions