A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 25 de Abril de 2019

18/03/2019 16:22

Março é mês de tragédia para mãe que perdeu filhos em incêndio e acidente

Exatos 17 anos separam os dois sofrimentos de Terezinha Corrêa; Em 2002 enfrentou a morte da filha em um incêndio na Itália e, agora, do filho, nora e neta em colisão na BR-060

Danielle Valentim
À esquerda, Valéria e Terezinha em 2002 antes da jovem embarcar para a Itália. À direita, 17 anos depois, Márcio e a mãe. (Foto: Arquivo Pessoal)À esquerda, Valéria e Terezinha em 2002 antes da jovem embarcar para a Itália. À direita, 17 anos depois, Márcio e a mãe. (Foto: Arquivo Pessoal)
Marcio, filha e esposa morrem após acidente na BR-060. (Foto: Arquivo Pessoal)Marcio, filha e esposa morrem após acidente na BR-060. (Foto: Arquivo Pessoal)

Março é, definitivamente, um mês de luto para Terezinha Corrêa. A moradora do Conjunto José Abrão, há mais de três décadas, vive cercada de amigos e familiares, mas conhece bem a dor de perder quem mais importa para uma mãe: os filhos.

Em 2002, a filha Valéria Lopes, na época com 27 anos, morreu na Itália durante incêndio em um restaurante. Nesta madrugada, o filho Márcio Lopes da Silva, 46 anos, a nora Rejane Lopes Calvis, 44 anos, e a neta Aylanna Lopes Calvis da Silva, 25 anos, morreram em acidente na BR-060.

Apesar da péssima coincidência, a família se apega aos bons momentos e à lembrança de que Valéria e Márcio, além de irmãos, eram grandes amigos. Muito abalada, Terezinha conversou rapidamente com o Campo Grande News por telefone. Nesta tarde, ela recebe o conforto e carinho de amigos, enquanto aguarda a liberação dos corpos para o velório, o que só deve ocorrer à noite.

A mãe conta que, antes de cada tragédia, os filhos de Terezinha seguiam rumo a realização de sonhos. Ainda em 2002, a cabeleireira Valéria enfrentava dificuldades financeiras e decidiu trabalhar na Itália. Ela embarcou em busca do sonho de conquistar uma vida melhor em janeiro de 2002. Pouco antes do incêndio fatal, que matou Valéria e mais duas crianças, em março do mesmo ano, Márcio se preparava para encontrar a familiar. Ele já estava de passagens compradas, mas a tragédia o manteve no Brasil.

 

Valéria e a mãe Terezinha. (Foto: Arquivo Pessoal)Valéria e a mãe Terezinha. (Foto: Arquivo Pessoal)

Valéria ajudava a cuidar dos filhos da amiga Eva dos Anjos, que morava na Itália há cinco anos, e trabalhava no restaurante onde o curto circuito aconteceu. A jovem foi encontrada abraçada às crianças. O incêndio foi noticiado em jornais dos dois países. Os corpos das duas crianças e de Valéria chegaram ao Brasil no dia 10 de março de 2002 e foram recebidos com homenagens no Aeroporto Internacional de Campo Grande.

Dezessete anos depois, Terezinha recebe a notícia da morte do filho, nora e neta de uma só vez. Márcio, Rejane e Aylanna se envolveram em um acidente na noite deste domingo, 17 de março, na BR-060. Márcio conduzia um Honda Civic, quando bateu na lateral de um caminhão. Informações são de que o pneu do veículo estourou. Mãe e filha morreram na hora e Márcio na madrugada desta segunda-feira (18).

Segundo Deise Corrêa Lopes, tia das vítimas, a família saiu de Ponta Porã onde vivia e seguia para Campo Grande para participar da missa de formatura de Aylanna marcada para as 19h desta segunda-feira (18).

“Eles estavam felizes. Aylanna havia acabado de se formar em Estética na Unigran da Capital. Foi uma tragédia o que aconteceu com a nossa família”, lamentou. Márcio também era cabeleireiro e tinha um salão de beleza no Shopping China há mais de 10 anos.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions