A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

05/06/2016 17:32

Marido de deputada diz que foi agredido ao entregar certidão do filho

Mayara Bueno e Adriano Fernandes
Herlon Zaparolli, marido da deputada estadual Grazielle Machado (PR). (Foto: Fernando Antunes)Herlon Zaparolli, marido da deputada estadual Grazielle Machado (PR). (Foto: Fernando Antunes)

O marido da deputada estadual Grazielle Machado (PR), Herlon Zaparolli, negou que tenha agredido funcionários da Santa Casa de Campo Grande, neste domingo (5). Ele e a esposa foram até a instituição levar o filho, com quadro de vômito e diarréia, quando começou uma confusão por conta de vaga do estacionamento e no momento do atendimento à criança.

O caso foi parar na delegacia. Herlon relata que ele foi agredido quando tentou entrar na área de atendimento para entregar a certidão de nascimento, enquanto dois funcionários da instituição dizem que eles é que sofreram agressões.

Segundo Herlon, ele e a mulher estavam sentados aguardando a chamada para o atendimento, quando um dos funcionários pediu para que eles retirassem o carro deles da vaga destinada para ambulância. O argumento para continuar no local seria de que Grazielle é deputada.

Quando foram chamados, Herlon disse que tentou entrar também, no entanto, o número de acompanhante do paciente já havia excedido. No entanto, segundo a explicação do marido, ele precisou entrar para entregar a certidão de nascimento do filho, mas foi impedido por um funcionário.

Ele teria, então, empurrado um dos funcionários como forma de afastá-lo. Segundo a versão do marido, pelo menos dois servidores tentaram imobilizá-lo, dando uma 'gravata' nele.

Herlon e os dois funcionários foram à Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro para registrar boletim de ocorrência.

Grazielle, que divulgou em seu Facebook um vídeo para relatar a confusão, conta que estacionou o carro na vaga que é destinada a ambulâncias e quando o funcionário do hospital a questionou, ela alega que falou “em voz baixa” que o carro dela é oficial por conta de seu mandato legislativo.



O dia em que o povo entender que os políticos são funcionários públicos, portanto, pagos com o dinheiro dos nossos impostos, vai colocá-los nos seus devidos lugares. Eu entendo que este casal, até por uma questão de altivez, já deveria ter reconhecido que errou e pedido desculpas à sociedade e aos eleitores da deputada. É muito mi mi e chororô por uma barbeiragem. Vão trabalhar pelo povo e não errem de novo!
 
Ezequiel em 06/06/2016 10:25:59
É incrível a 'cara de pau' desses dois. O carro dessa senhora deputada poderia ser o que for, mas existe placas sinalizando no PS que o espaço que existe ali é EXCLUSIVAMENTE PARA AMBULÂNCIA! A não ser que eles tenham problemas para entender frases como estas. Tentou usar de sua posição como parlamentar e não conseguiu, e isso deve ter frustado o esposo que provavelmente deve estar acostumado a dar as famosas "carteiradas" e ser atendido de prontidão. PARABÉNS aos funcionários que desempenharam seu trabalho com excelência, mostrando aos cidadãos que no PS não existe preferência no atendimento da população.
 
Ju em 06/06/2016 08:28:11
E desde quando carro oficial tem essa prerrogativa?
 
EDSON TROMBINE LEITE em 05/06/2016 20:35:54
O que me chama a atenção são dois pontos, primeiro tratarem a "carteirada" como se fosse coisa normal. Pois a meu ver , ser deputada e estar em carro oficial não dá´o direito a ocupar vaga exclusiva de ambulância, ainda mais em um PS de hospital, essa senhora como representante do povo como é deveria saber disso. Dois, é essa entidade de comunicação dar tanto enfase em um sucedido como se ele fosse de tamanha importância, quando deveria noticiar fatos de efetiva relevância para a sociedade em geral, como as precárias condições em que se encontra o Hospital Universitário, por exemplo.
 
Patrícia Peralta de Freitas em 05/06/2016 19:44:20
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions