A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

06/05/2015 19:05

Médico tem "supersalário" e ganha até R$ 42,5 mil/mês, garante secretário

Antonio Marques
Wilson do Prado disse na coletiva que a Prefeitura não quer o confronto com os médicos (Foto: Fernando Antunes)Wilson do Prado disse na coletiva que a Prefeitura não quer o confronto com os médicos (Foto: Fernando Antunes)
O secretário de Administração apresentou uma planilha mostrando os salários dos médicos (Foto: Fernando Antunes)O secretário de Administração apresentou uma planilha mostrando os salários dos médicos (Foto: Fernando Antunes)

O secretário municipal de Administração, Wilson do Prado, declarou na tarde de hoje (6), durante entrevista coletiva à imprensa, que a “grande maioria dos médicos” da rede municipal de Saúde recebe salários acima de R$ 25 mil e tem profissional que recebeu até R$ 42,5 mil, em março passado.

Ao iniciar a conversa com os jornalistas, Prado fez questão de dizer que a Prefeitura não quer o confronto com a categoria dos médicos, apenas convocou a imprensa para esclarecer alguns números que estavam sendo divulgados equivocadamente à população. De acordo com secretário de Administração, o município tem 1.200 médicos na rede municipal e a folha da Saúde corresponde a R$ 36 milhões. Conforme o Sinmed-MS (Sindicato dos Médicos), existem 1.400 profissionais.

Segundo o secretário, os médicos podem ter até dois vínculos de trabalho com a Prefeitura. Ao serem contratados ou realizarem concursos, os profissionais teriam a opção de trabalhar 12 horas, 20 ou 40 horas semanais. Assim, eles podem ter dois vínculos de 12h; um de 12h e outro de 20h; um de 12h e outro de 40h; ou dois vínculos de 20h por semana.

De acordo com a Prefeitura, o salário base para o médico com vínculo de 12h é de R$ 2.516,00; com 20h, R$ 2.580,00; e com vínculo de 40h, o salário inicial é de R$ 5.300,00. Mas, segundo o Wilson do Prado, a grande maioria dos médicos recebem salários acima de R$ 25 mil, considerando terem mais de dois vínculos, realizarem os plantões e somado as incorporações salariais, que incluíam as gratificações.

Além disso, os médicos também podiam fazer até 28 plantões de 12 horas por mês, sendo 14 por vínculo. Recentemente, a Prefeitura cortou os plantões e estabeleceu até 14 plantões para cada profissional. “Vimos que seria possível fazer essa mudança sem que isso significasse grande perda na renda do médico”, afirmou Prado, acrescentando que havia profissional com dois vínculos, que somando aos plantões cumpria até 62 horas por semana, algo considerado preocupante para a saúde do profissional.

A cada plantão de 12 horas o médico recebe R$ 950,00. Aqueles que faziam até 28 plantões conseguiam R$ 26.600,00 de acréscimo no vencimento mensal. Agora esse profissional só poderá fazer, no máximo, 14 plantões, o que corresponde a R$ 13.300,00 a mais no salário. 

Em relação as gratificações retiradas, medida muito questionada pelo presidente do Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul, Valdir Shigueiro Siroma, como um dos principais motivos da decisão da categoria pelo movimento grevista, o secretário disse que são três gratificações passíveis de serem excluídas da folha a qualquer momento. “Isso foi feito em razão do momento de crise financeira e contamos com a compreensão dos profissionais”, argumentou.

Os médicos perderam a gratificação por desempenho, no valor de R$ 1.021,00; de Atenção Básica (incentivo ambulatorial), no valor de 870,00; e o adicional de responsabilidade técnica, de R$ 1.300,00. Já no salário de abril, que recebem na próxima sexta-feira, eles deixam de receber R$ 3.191,00.

Somando as perdas da categoria com as medidas tomadas pela Prefeitura, os médicos teriam redução no vencimento a partir deste mês de quase R$ 16 mil. Questionado sobre qual seria a proposta para acabar com a greve, Wilson do Prado declarou que o Executivo manteria a proposta apresentada ao sindicato para melhorar as condições de trabalho e a mudança da referência conforme solicitado pelo sindicato.

Wilson do Prado ressaltou que se reuniu por várias vezes com o sindicato da categoria desde o início do ano, porém não houve muito avanço nas negociações em razão de certa intransigência dos dirigentes e o fato da data base ter referência no mês de maio. “Diante da situação financeira da Prefeitura, que teve queda na arrecadação, não temos como apresentar proposta que possa impactar no aumento da folha”, afirmou.

O secretário alegou que o Executivo municipal está proibido de aumentar as despesas com servidores, por ultrapassar o limite do índice prudencial previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que determina o limite de 54% da Receita Corrente Líquida (RCL) para pagamento da folha. Este índice chegou a 52,54%, superando o prudencial, que é de 51%.

Em tempo, a prefeitura aguarda a decisão da Justiça sobre o pedido de suspensão da greve que deve sair a qualquer momento.



Mas para receber tem que estudar, se formar e trabalhar muito, e não pode ficar doente, pois se não trabalha não recebe, ao contrario da classe eleita e nomeada, o eu to errado!!!
 
Falavina em 07/05/2015 11:07:48
É muito engraçado mesmo, estão tirando vários beneficio/auxilio dos médicos, nossos deputados, vereadores, governantes etc etc ganha auxilio pra tudo, auxilio sapato, auxilio meia, auxilio calça, auxilio cueca, auxilio paletó, auxilio gabinete etc etc somando tudo isso o gasto é imenso e garanto que muitos estão ali só pra ROUBAR cada vez mais, estão querendo jogar a população contra a classe médica e contra os servidores da saúde, ha dias estamos ouvindo falar em crise e pode ter certeza, logo logo sairá uma aprovação de aumento de salários/benefícios para os governantes e eles defenderão firmemente esses aumentos.
 
Adauto em 07/05/2015 10:37:18
ISSO É MENTIRA!!!! verdadeira mentira. O fato é simples, o médico trabalhando 8 hrs/dia ganhará menos que 5 mil reais. Essa é a carga horária de uma pessoa normal (como esse secretário aí). Agora é fácil falar que se a pessoa virar um "zumbi" e não ter mais vida com a família, ela vai ganhar pouco mais que isso. Porém, esse papo de mais de 40 mil não existe!Mesmo que o médico não durma mais, emende um plantão com outro, não vai chegar a isso. Mentirosos... querem jogar a população contra os médicos. Tenho vários médicos na família e seus holerites já estão circulando no wts para desmentir esse bandos de corruptos que "fedem". Tenho nojo dos políticos brasileiros. Ontem à noite tava o Prefeito la na casa colonial tomando o melhor vinho em meio à "crise" que ele plantou.
 
Donado em 07/05/2015 10:35:38
Acho que o Dr. Paulo Siufi ganha mais: o dia só tem 24 horas, pelo menos o meu. e o dr. em questão é médico em dois contratos/concursos da prefeitura, político e apresentador de TV. Que eficiência! Meu sobrinho "dormindo" 24 horas, 7 dias da semana em posto de saúde nunca ganho isso? Lógico, não é eficiente.
 
francisco josé vidal em 07/05/2015 09:30:28
Realmente a Ana está coberta de razão; para que não fique no ar, a intenção de jogar a população contra a classe médica, porque não exibir holerith, sem identificação nominal, porque um simples relatório fornecido pela PMCG é questionável? ou mesmo a associação médica deve ter um relatório também, com que possa esclarecer o possível "mal entendido", afinal de contas, por causa de um ( ou dois), os demais não devem ser jogados na fogueira santa, é só separar o joio do trigo, e que parece já vem mamando nas gordas tetas dos cofres públicos, há anos; ou será que não se pode mexer com os privilegiados? Existem bons e atenciosos profissionais ( a maioria) que não deve fazer parte dessa casta.
 
ARIete em 07/05/2015 08:24:55
Desafio o secretário a mostrar os holerites com os nomes dos profissionais! A prefeitura quer jogar população contra médicos e só quem perde é a população. Uma idéia é os médicos pedirem demissão em massa! Pronto! Resolvido o problema desses médicos mercenários que viram plantões pra cobrir escalas, que atendem soluço há 2 horas e "olho de peixe" há 3 meses! UPA 24h, Que levam de suas casas simples CANETAS pois NÃO TEM no POSTO, que levam água para beber durante o serviço, que usam banheiros em PÉSSIMAS condições. Que dão a cara para a violência dos pacientes e se expõem a doenças e NÃO recebem INSALUBRIDADE (direito por lei) há 20 ANOS. Que trabalham em dois turnos de 12 horas TODOS OS DIAS DA SEMANA! Que pagaram em torno de 5 mil reais para se formarem e que só... SÓ salvam vidas.
 
Ana em 06/05/2015 22:28:28
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions