ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, DOMINGO  14    CAMPO GRANDE 19º

Capital

Prefeitura quer "melhor dos mundos" no anel viário: mudando traçado e duplicando

Construção de um novo não é considerado em projeto da Prefeitura de Campo Grando

Por Cassia Modena | 28/05/2024 11:51
Anel viário de Campo Grande, na saída para Cuiabá (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)
Anel viário de Campo Grande, na saída para Cuiabá (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)

Mais uma vez em discussão na Câmara, o destino do anel viário de Campo Grande – no trecho da BR-163 que liga as saídas para Cuiabá e São Paulo – conta com um projeto na Prefeitura da Capital, disse hoje (28) o secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Marcelo Miglioli.

Possibilidade que os vereadores vão debater amanhã (29) na Casa de Leis, a construção de um novo anel para desafogar o alto fluxo de veículos e solucionar problemas que surgiram após o existente ser "engolido" pela cidade, não é considerada pela atual gestão da administração municipal.

A proposta é mudar o trajeto. "O ideal, nosso sonho de consumo, é a duplicação [da BR-163] desde Aquidauana, passando por Sidrolândia e chegando na saída para São Paulo em Campo Grande, onde a gente precisaria alterar o traçado para tirar de dentro da cidade. É o melhor dos mundos", explica Miglioli.

A mudança atenderia à projeção de aumento ainda mais expressivo de cargas transitando após a conclusão da Rota Bioceânica. Envolveria a concessionária CCR MSVia, que administra rodovia, mas pede há cinco anos a relicitação do contrato, e também o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte). O secretário não detalhou como seria esse novo traçado e não falou em estimativas de custos.

A duplicação da rodovia, incluindo o anel viário, é promessa prevista no projeto de relicitação da rodovia. Atualmente ele está travado. O último sinal foi dado no início deste ano pelo ministro dos Transportes, Renan Filho, quando informou estarem programados nove leilões de estradas federais até dezembro, com a otimização do contrato da BR-163 entre os 15 que deverão ser contemplados até 2026.

Vereadores - Presidente da Comissão Permanente de Mobilidade Urbana da Câmara, o vereador André Luis, "Professor André" (PRD), lembra que outras audiências públicas já discutiram soluções para o trânsito do anel viário de Campo Grande, sendo a última realizada há pouco mais de um ano.

Na opinião dele, o melhor caminho é transpor o trajeto "tirando a rodovia de onde está" e "jogando lá para trás do [condomínio] Terras do Golfe e do Autódromo de Campo Grande", nas regiões do Bairro Jardim Noroeste e Chácara dos Poderes. A proposta é a mesma defendida desde o ano passado.

A pista atual não seria desativada nessa hipótese, mas sim, transformada em avenida perimetral que delimitaria a área urbana de Campo Grande.

Ainda para o Professor André, deixar o traçado como está e apenas duplicar, não resolveria o problema. "A duplicação implica numa maior quantidade de veículos pesados. Hoje transitam lá veículos pesados mesmo, como os caminhões bitrem enquanto a população utiliza o anel viário para deslocamento, o que gera muito acidente de trânsito, principalmente envolvendo moto", finaliza.

Vice-presidente da comissão, Luiza Ribeiro (PT) afirma que desconhece haver projeto de construção de um novo macroanel, e que essa possibilidade provavelmente teria que ser discutida do zero.

Ela diz que amanhã será debatida a melhor solução para "ficar fora o que hoje está dentro" e garantir "qualidade no tráfego e segurança" no anel viário.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.


Nos siga no Google Notícias