ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, SEXTA  28    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Militar que matou a mãe perseguia ex-esposa e a filha

Dono de perfil violento, ele é investigado por perseguir, agredir e até colocar fogo na casa da vítima

Por Clayton Neves | 08/12/2021 15:29
Edilson é militar aposentado e foi preso em flagrante por matar a mãe e esfaquear o irmão. (Foto: Redes Sociais)
Edilson é militar aposentado e foi preso em flagrante por matar a mãe e esfaquear o irmão. (Foto: Redes Sociais)

Preso por matar a própria mãe a facadas, o 2º sargento aposentado do Exército Edilson Donato Nolasco, de 51 anos, acumula passagens na polícia por crimes de violência doméstica contra a ex-esposa e a filha, uma criança de 11 anos. Apontado como dono de perfil violento e possessivo, o criminoso é investigado por aterrorizar a mulher com ameaças, perseguições e até por incendiar a casa da vítima.

Consta no sistema da polícia, que o primeiro registro contra Edilson foi feito em outubro de 2009. Na ocasião, a mulher com quem ele foi casado por 28 anos contou que ela e a filha foram espancadas pelo militar. Quando a Polícia Militar foi acionada, ele tentou atacar os agentes com uma faca, mas foi contido e preso em flagrante. O episódio aconteceu mesmo a vítima tendo medida protetiva contra ele.

Já entre os meses de julho e dezembro de 2021, Nolasco soma a maior quantidade de crimes cometidos e todos em curto espaço de tempo. No dia 31 de julho, outro boletim de ocorrência de violência doméstica foi registrado contra ele, desta vez, na DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher) de Corumbá.

À polícia, a ex-mulher contou que a família estava em viagem e Edilson ficou agressivo depois de começar a beber. Durante discussão, ele jogou uma jarra de água no rosto da vítima e a ameaçou de morte. “Se eu quiser, acabo com você”, disse na época.

Onze dias depois, o homem que matou a mãe foi apontado como suspeito de incendiar a casa onde a família morava. Sem ter onde ficar, a mulher e a filha tiveram de pedir abrigo a desconhecidos. Em depoimento na delegacia, ela disse que não tinha como se manter e que o suspeito não pagava pensão para a filha.

Decidida a terminar o relacionamento após série de agressões e ameaças, a mulher passou a ser perseguida. Em outra denúncia, do dia 27 de agosto, a vítima contou que no intervalo de poucas horas, o militar aposentado ligou 35 vezes para o celular dela, fazendo diversas ameaças. “Não sabe com quem está falando. Você não é nada”, afirmou em uma das vezes.

Quando foi preso na noite de ontem (7) por matar a mãe, a aposentada Maria do Carmo Brasil Nolasco, 72 anos, a polícia verificou que Edilson estava foragido da Justiça, justamente por um dos crimes de violência doméstica cometidos.

O caso – Maria do Carmo Brasil Nolasco, 72 anos, foi assassinada na noite desta terça-feira (7) pelo próprio filho, Edilson Donato Nolasco, de 51 anos, na Rua Quinheira, no Bairro Coophatrabalho, em Campo Grande.

Militar do Exército aposentado, Edilson esfaqueou a mãe na sala da casa onde ela vivia. Maria foi atingida no pescoço e peito. Edilson também esfaqueou o irmão, de 45 anos, no pescoço e costas. O homem foi socorrido para a Santa Casa de Campo Grande, pelo Corpo de Bombeiros Militar.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário