A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 25 de Abril de 2019

06/11/2018 12:06

Mineira Marly, que descobriu paixão por lecionar em MS, morre aos 86 anos

Pedagoga participou da equipe de transformação das FucMats para atual UCDB

Danielle Valentim
Foi na cidade sul-mato-grossense de Jardim, que Marly deu aula de português, pela primeira vez.(Foto: Divulgação)Foi na cidade sul-mato-grossense de Jardim, que Marly deu aula de português, pela primeira vez.(Foto: Divulgação)

Faleceu nesta terça-feira (6), no dia do aniversário, a cirurgiã-dentista e pedagoga Marly Marinho Américo dos Reis, aos 86 anos. A mineira morou em diversas cidades do Brasil, devido as transferências do marido, mas descobriu a paixão por lecionar, nos anos 70, em terras sul-mato-grossenses. Ela sofreu uma parada cardíaca. 

A causa da morte não foi divulgada, mas cerimônia do velório acontece no Cemitério Jardim das Palmeiras, na Avenida Tamandaré, 6934, Bairro Lagoa da Cruz.

Marly fez parte do corpo docente das Fucmats (Faculdade Dom Aquino de Filosofia, Ciências e Letras das Faculdades Unidas de Mato Grosso), participou do Cesup (Centro de Ensino Superior Plínio Mendes dos Santos), da Mace (Moderna Associação Campo-Grandense de Ensino) e do Colégio Dom Bosco- CDB.

Também participou da equipe que transformou a Fucmat em UCDB (Universidade Católica Dom Bosco). Depois disso participou do Conselho Universitário da mesma Universidade e da assessoria da reitoria da UCDB, onde permaneceu por muitos anos.

Marly também exerceu o cargo de Secretária Adjunta da Educação de Mato Grosso do Sul e também o de Conselheira do Conselho Estadual de Educação-CEE/MS, quando teve oportunidade de ministrar várias palestras sobre a nova Lei nº 9.394/95, que trata das Diretrizes e Normas para a Educação Nacional, ainda em vigor.

História de vida - Conforme biografia publicada em 2013, pelo Jardim Notícias, Marly nasceu em Rio Preto-MG, em 1932. Mas foi em Juiz de Fora - MG, onde cursou o ginásio e também prestou o vestibular para odontologia na Universidade Federal da cidade. Marly se casou no Rio de Janeiro em 1959, com Paulo Américo dos Reis. Entre as transferências do esposo, a mineira também morou em Jardim do MT, no Mato Grosso do Sul, quando o Estado ainda não era dividido.

Foi na cidade sul-mato-grossense de Jardim, que Marly deu aula de português, pela primeira vez. No mesmo local, teve oportunidade de prestar atendimento odontológico às crianças. Depois de muito trabalho, se tornou diretora da Escola Estadual Cel. Juvêncio. No entanto, se despediu do município em 1971, por causa de uma nova transferência do marido, para Wenceslau Braz/MG.

Marly começou pedagogia em Wenceslau Braz , mas terminou nas Fucmats, depois de o marido ser transferido para Campo Grande. No último semestre foi convidada para ministrar aulas e impossibilitada de exercer a odontologia, por problemas de saúde, nunca mais deixou o magistério.

Na biografia veiculada pelo jornal de Jardim, em 2013, quando Marly já estava em casa, a educadora disse que faria tudo de novo. “Se outra vida tivesse não a queria diferente dessa; fui cativa do ensino e de atividades sociais em prol da comunidade; procurei deixar uma pequenina lembrança de mim por onde passei; fiz bons amigos e companheiros de trabalho. Minha família, hoje, é composta de 5 filhos, 9 netos, 4 bisnetos e mais um a caminho. Apesar da idade e do tempo, há, ainda, muito que fazer, muito que lembrar, muito para esperar e, principalmente, muito para amar!(sic)”.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions