A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 18 de Janeiro de 2019

10/01/2019 20:52

Moradores devem interditar BR-262 em protesto contra ordem de despejo

Terreno que começou a ser ocupado há cerca de 20 anos, fica é uma APP (Área de Preservação Ambiental) às margens do Rio Anhanduí

Adriano Fernandes
Reunião entre os moradores realizada nesta quarta-feira (09). (Foto: Direto das Ruas) Reunião entre os moradores realizada nesta quarta-feira (09). (Foto: Direto das Ruas)

Moradores do Jardim Colorado devem interditar a BR-262, no anel viário de Campo Grande, na manhã desta sexta-feira (11) em protesto pela ordem de despejo que ameaça deixar sem teto, cerca de 61 famílias da região.

O aviso foi entregue por oficial de justiça na última sexta-feira (04) e desde então, os moradores temem a desapropriação. Na decisão da Justiça o município cobra a retomada da área, que equivale a cerca 28 mil m² que compreende duas quadras, na extensão da Rua Sebastião Ferreira.

O local é uma APP (Área de Preservação Ambiental) que fica à margem do Rio Anhanduí e que segundo os próprios moradores, começou a ser ocupada a cerca de 20 anos. No perímetro, casas de alvenaria dividem espaço com outras de madeira, sem ligação de água ou luz, mas onde vivem cerca de 150 pessoas, entre adultos e crianças. 

A reintegração é decorrente de um inquérito instaurado pela Decat (Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e Atendimento ao Turista) ainda em 2014 e que constatou o desmatamento da vegetação além da própria irregularidade das moradias.

No local, boa parte das casas é de alvenaria. (Foto: Direto das Ruas) No local, boa parte das casas é de alvenaria. (Foto: Direto das Ruas)

Hoje, depois de procurarem a defensoria pública e não terem uma resposta favorável a permanência no local, uma nova reunião realizada esta noite (10) entre os ocupantes, decidiu pela interdição da rodovia, amanhã por volta das 08h, no trecho em frente ao antigo lixão da Capital, próximo ao Dom Antônio Barbosa. 

“Aqui tem idoso, desempregado e ninguém tem para onde ir. Eles alegam que a região foi desmatada, mas os moradores mantém a área verde, inclusive na beira do córrego”, comentou a garçonete Franciele de Souza, de 28 anos, que vive no local com o marido e dois filhos de 4 e 11 anos. “Cheguei aqui há 16 anos. Fui uma das primeiras moradoras”, acrescenta.

Despejo – No mandado de intimação entregue aos moradores, não está estabelecido uma data para quando a área será retomada. Mas fica autorizada a reintegração de posse imediata “desde já autorizado o arrombamento e uso da força policial caso se faça necessário”, diz o documento.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions