A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

17/01/2015 11:20

Moradores ficam indignados com ruas precárias e imposto caro

Vania Galceran
Morador mostra carnê onde imposto cobrado diz que rua do bairro é asfaltada, mas não é. (Foto: Marcelo Calazans)Morador mostra carnê onde imposto cobrado diz que rua do bairro é asfaltada, mas não é. (Foto: Marcelo Calazans)

No Jardim Montevidéu os moradores estão indignados com a situação das ruas do bairro, antes, durante e depois das enxurradas que atingem a cidade. Quando a chuva passa e o dia amanhece é que pode se notar a causa da indignação de Cícero Aloízio da Silva, 46, frentista.

Ele conta que a avenida Ana Rosa, onde mora com a família, consta no carnê do IPTU como asfaltada, e o valor que ele vai pagar pelo imposto esse ano é de R$ 645,92. Mas ao chegar no bairro, nossa equipe constatou que a avenida não é pavimentada, depois da BR-163, e se transforma em buracos, crateras e muito lixo, matagal e segundo os moradores, animais peçonhentos são encontrados com facilidade pelas ruas do bairro.

"É um absurdo, estamos ilhados quando chove e quando passa a chuva, quem desce do ponto de ônibus não consegue pássar pro lado de cá da BR e seguir pra casa, alguns moradores quando voltam pra casa depois do trabalho de bicicleta, não atravessam a rua de jeito nenhum. R$ 645, 92 de IPTU para isso que vocês estão vendo, é um roubo, pago mais de imposto que quem mora no bairro Coronel Antonino", comenta indignado o frentista.

Ratos, cobras e até uma jararaca já foi encontrada na travessa Lábria, onde mora dona Rosemeire Ospedal, 30, ela contou a nossa equipe que o bairro está abandonado, não há limpeza, o caminhão do lixo muitas vezes nem passa no bairro, porque o veículo não consegue atravessar os buracos que se abrem nas ruas depois das chuvas. A dona-de-casa contou que até o pedreiro que trabalhava na casa dela já foi picado por uma jararaca, enquanto terminava o trabalho.

Depois das enxurradas e de toda água que acumula em um condomínio de luxo que fica a poucos metros do bairro, a situação se agravou.

Cícero conta que a empresa que cuida das obras do condomínio na Avenida Cônsul Assaf Trad, construiu uma espécie de "piscinão" e que as tubulações instaladas no local, não tem dado vazão a quantidade de água que sai do local.

"Construíram esse piscinão para conter as águas que saem do condomínio, e nós aqui do Montevidéu é que estamos sofrendo com as enxentes, deságua tudo aqui", comenta.

Rosângela dos Santos, 37, está com a bebê de apenas 6 meses, infectada pelo mosquito da dengue. A mãe conta que nem os agentes de saúde visitam o bairro. "Com essa sujeira, lamaçal e enxurradas, por mais que eu cuide da limpeza da minha casa, não há como conter os mosquitos da dengue", disse.

Avenida Ana Rosa no Jardim Montevidéu, depois da chuva. Moradores reclamam do descaso. (Foto: Marcelo Calazans)Avenida Ana Rosa no Jardim Montevidéu, depois da chuva. Moradores reclamam do descaso. (Foto: Marcelo Calazans)
Morador reclama da enxurrada que deixa o bairro em situação precária e intransitável. (Foto: Marcelo Calazans)Morador reclama da enxurrada que deixa o bairro em situação precária e intransitável. (Foto: Marcelo Calazans)
Brinquedos feitos por detentos são doados para crianças em escola
Parceria feita entre a a Semed (Secretaria Municipal de Educação) e a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) garantiu ne...
Falta de pagamento faz prefeitura suspender hemogramas na rede pública
A falta de pagamento para um fornecedor de insumos fez com que a prefeitura de Campo Grande suspendesse a partir desta quarta-feira (13) a realização...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions