ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  12    CAMPO GRANDE 19º

Capital

Morte de Carla causa medo entre mulheres, mas polícia descarta crimes em série

A delegada Bárbara Camargo Alves, da Deam, explica que até o momento três situações diferentes chegaram ao conhecimento da polícia

Por Geisy Garnes e Aletheya Alves | 03/07/2020 15:23
Um dos casos foi desvendado durante investigações do GOI (Foto: Kisie Aionã)
Um dos casos foi desvendado durante investigações do GOI (Foto: Kisie Aionã)

Após o sequestro e assassinato de Carla Santana de Magalhães, de 25 anos, histórias de perseguição e até tentativa de sequestro vieram á tona nas redes sociais. Em todos os casos, os autores estavam em veículos pratas, o que fez surgir a hipótese de todas estarem interligados. A situação, no entanto, é descartada pela polícia.

Ao Campo Grande News a delegada Bárbara Camargo Alves, da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), explica que até o momento três situações diferentes chegaram ao conhecimento da polícia e não há provas que indiquem ligação entre elas.

O primeiro caso registrado é o desaparecimento e morte de Carla. Ela foi sequestrada em frente de casa, no Bairro Tiradentes, na noite de terça-feira (30). Na manhã de hoje, seu corpo foi encontrado na “varanda” de um mercado a poucos metros do local em que foi abordada. Equipes do GOI (Grupo de Operações e Investigações) e da DEH (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídio) investigam ao crime.

Foi justamente durante as apurações do desaparecimento da jovem de 25 anos que os investigadores desvendaram o segundo caso denunciado nas redes sociais. Também na terça-feira, uma jovem de 20 anos procurou a polícia para relatar ter sido assediada por um homem em um Ford Fiesta prata. O autor chegou a passar a mão na bunda da vítima.

Imagens o veículo do suspeito aparentemente seguindo duas mulheres foram amplamente compartilhadas nesta sexta-feira. Através do mesmo vídeo, os policiais civis identificaram o motorista. Ele foi levado a Deam, reconhecido pela vítima e ouvido pela delegada.

O autor, de 30 anos, não só confessou o assédio como relatou ter feito isso mais de uma vez. Chegou a contar que se masturbou dentro do carro e foi visto por outra mulher, mas segundo a delegada, esse caso ainda não foi denunciado a polícia. Como não estava em situação de flagrante, o homem foi indiciado por importunação sexual e liberado em seguida. “Acreditamos que ele tenha desvio de conduta sexual”.

Em comentários no Facebook, outras mulher narraram situações parecidas nos bairros Itamaracá e Los Angeles. Por conta disso, Bárbara pede que possíveis vítimas procurem a delegacia para registrar boletim de ocorrência.

Assim como as imagens do suspeito de assédio, um terceiro caso foi compartilhado como forma de alerta nas redes socais após o desaparecimento de Carla. A história contada pela própria vítima retrata uma tentativa de sequestro em que os autores, dois homens, estavam em um carro sedan “cinza escuro”.

“Ouvi um barulho de porta batendo, dei uma olhada pro lado de leve, sem mexer a cabeça quase e quando olhei o cara tinha descido do carro, foi até o porta-malas e abriu. Na mesma hora outro cara no passageiro na frente abriu a porta e ficou parado me olhando. O outro cara vindo na minha direção, quando ele foi chagando mais perto levantei e fui pro rumo de casa e ele começou a correr, aí corri e fechei a porta”.

O relato nas redes sociais chegou a Deam, mas até o momento, o crime não foi oficialmente registrado em nenhuma delegacia da cidade. Ainda assim, a delegada está monitorando o caso.

Confira as imagens: