ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SÁBADO  13    CAMPO GRANDE 16º

Capital

Moto foi sonho realizado para segurança que acabou morrendo em acidente

Aldo Martins morreu na noite de ontem (4), na Avenida Marechal Deodoro, enquanto estava indo trabalhar

Por Gabrielle Tavares e Mirian Machado | 05/07/2022 14:07
Segurança se envolveu em acidente na noite de ontem (4), na avenida Marechal Rondon. (Foto: Paulo Francis)
Segurança se envolveu em acidente na noite de ontem (4), na avenida Marechal Rondon. (Foto: Paulo Francis)

Corpo do segurança Aldo Martins Aquero, de 43 anos, foi velado na manhã de hoje (5), em Campo Grande. De acordo com amigos, a moto Honda CB 300 em que estava no momento do acidente, na noite de ontem (4), na Marechal Deodoro, era o sonho de Aldo, que havia conquistado há apenas seis meses.

Ele seguia sentido centro-bairro e transitava pela faixa da esquerda, quando um ônibus, que fazia uso na pista, deu sinal para que ele mudasse de faixa. Aldo entrou na frente de uma Honda Hornet, que estava na mesma direção e não conseguiu evitar a colisão. Aldo perdeu o controle, caiu e bateu a cabeça. O outro piloto precisou ser socorrido e foi encaminhado para a Santa Casa de Campo Grande.

Velório foi realizado hoje (5), em Campo Grande. (Foto: Mirian Machado)
Velório foi realizado hoje (5), em Campo Grande. (Foto: Mirian Machado)

O segurança estava indo trabalhar no momento do acidente, em um supermercado que fazia a guarda noturna. Além disso, ele estava feliz que havia conseguido um emprego fixo e começaria a trabalhar com carteira assinada, como afirmou o amigo Cléber Colman, de 45 anos.

“Antes ele tinha uma 250 e o sonho dele era a 300, que era essa que ele estava no acidente. Eu fui na casa dele no sábado (2), a gente assou uma carne. A gente se conhecia há 25 anos, era muito comunicativo, estava feliz com o emprego fixo”, disse.

Outro amigo de Aldo, Tiano Morais, 38, também o viu pela última vez há poucos dias, na quinta-feira (30), em um aniversário. Ele descreveu o amigo como “extrovertido e muito brincalhão”.

“Ele fazia amizade muito fácil, gostava muito de tereré e sempre levava para o serviço. Foi uma fatalidade. É a vida né, tem que aproveitar a família e os amigos enquanto estão aqui”, lamentou.

A família estava muito abalada e preferiu não conversar com a reportagem. Aldo será enterrado no cemitério Nacional Parque, na Vila Alba, em Campo Grande.

Nos siga no Google Notícias