ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, TERÇA  13    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Motoristas de app pedem ajuda ao Procon após 5 anos sem reajuste

Motoristas de aplicativo se reuniram hoje na Segov e relataram relação abusiva com plataformas

Por Ana Paula Chuva | 05/03/2021 17:02
Motoristas reunidos em frente a Segov nesta manã. (Foto: Paulo Francis)
Motoristas reunidos em frente a Segov nesta manã. (Foto: Paulo Francis)

Durante manifestação na manhã de hoje (5), motoristas pediram ao Procon fiscalização nas práticas abusivas das plataformas de corridas por aplicativo. A solicitação foi feita no mesmo protesto que questionou o alto valor da gasolina.

Mais de 200 motoristas estacionaram os veículos e caminharam pelo Parque dos Poderes mais uma vez nesta sexta-feira. Após o protesto, cinco representantes da categoria foram atendidos por Sérgio Murilo, titular da  Segov (Secretaria Estadual de Governo) e pelo superintendente do Procon-MS, Marcelo Salomão.

De acordo com um dos organizadores da manifestação,  Alfredo Machado, de 35 anos, os motoristas de aplicativo estavam há mais de cinco anos sem reajuste na tarifa mínima e muitas vezes acabam sendo assediados por promoções, que reduzem em 30% o que a plataforma repassa para o motorista.

“Estamos há cinco anos sem reajuste nos valores pagos para o motorista. Recebemos R$ 1,15 por quilômetro rodado desde setembro de 2016. Muitas vezes somos assediados para fazermos viagens nas modalidades promocionais, que a gente considera crime contra ordem econômica, porque já estamos com valores defasados e essas modalidades reduzem ainda mais o repasse para o motorista. Então o que pedimos para investigar é a relação abusiva da plataforma com o motorista”, explicou Alfredo.

Além disso, ele ressaltou a pressão para que o motorista aceite corridas através de mensagens, inclusive para que o profissional fique logado na plataforma.

Alfredo e outros representantes na Segov nesta manhã. (Foto: Paulo Francis)
Alfredo e outros representantes na Segov nesta manhã. (Foto: Paulo Francis)

“São situações que caracterizam abuso da plataforma com os motoristas. Eles desligam o motorista quando ele não aceita uma corrida, ficam mandando mensagem dizendo que precisamos aceitar e fazer mais corridas. E prontamente o Procon se dispôs a analisar a situação e saber porque isso está acontecendo”, afirmou o motorista.

“Vamos colaborar e já estamos em contato com os motoristas para que enviem o material que tem de assédio, para que formularmos um documento e na semana que vem vamos entregar no Procon para que possamos dar encaminhamento no processo.”, finalizou Alfredo.

Ao Campo Grande News, o superintendente do Procon, Marcelo Salomão explicou que os motoristas fizeram várias reivindicações e o órgão ficou responsável pela intermediação.

“Vamos verificar possíveis ilegalidades ou abusividade pelas contratantes (administradora de plataformas), e vamos discutir com o Sinpetro um modelo de negócio voltado para os motoristas de aplicativos. Enfim, vamos agir para que os motoristas de aplicativo possam ter viabilidade no seu negócio”, declarou Salomão

Reunião com secretário de Governo, Sérgio Murilo. (Foto: Edemir Rodrigues | Governo de MS)
Reunião com secretário de Governo, Sérgio Murilo. (Foto: Edemir Rodrigues | Governo de MS)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário