A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

13/01/2015 15:45

MPE pede combate à poluição visual e retomada da revitalização do Centro

Ricardo Campos Jr.
Fachadas devem seguir um padrão no Centro (Foto: Marcelo Calazans)Fachadas devem seguir um padrão no Centro (Foto: Marcelo Calazans)
Empresário guarda a fachada antiga e prédio está sem identificação enquanto ele espera orientações sobre como proceder. (Foto: Marcelo Calazans)Empresário guarda a fachada antiga e prédio está sem identificação enquanto ele espera orientações sobre como proceder. (Foto: Marcelo Calazans)

O MPE (Ministério Público Estadual) recomendou à Prefeitura de Campo Grande que providencie dentro de 60 dias a regulamentação das regras de publicidade e comunicação visual para o Centro da cidade, fiscalize e estabeleça prazos para adequação de fachadas e dê sequência à revitalização. Os comerciantes reclamam que o projeto foi esquecido e ficou pela metade. Muitos já arcaram com os custos para reformular as lojas, enquanto outros aguardam orientações sobre como devem proceder.

“Eu tirei o meu letreiro porque era fora do padrão e até hoje não o coloquei de volta. Não adianta fazer alguma coisa que não vá servir para nada. Nós não temos orientação alguma”, reclama o empresário Sidney Alves, 40 anos, dono de uma firma de crédito na Rui Barbosa.

Na época em que as normas vieram à tona, segundo ele, havia a presença de fiscais que faziam os apontamentos necessários. A identificação antiga ainda está guardada dentro do estabelecimento. Ele chegou a planejar a remodelação do toldo e reforma da fachada, “mas ninguém falou mais nada”, diz.

A loja da comerciante Rose Gonçalves, 46 anos, está entre aquelas que já se adequaram, no entanto, de nada adianta as frentes dos estabelecimentos estarem de acordo se calçadas continuam quebradas e fora de padrão, os fios de energia estão expostos e alguns proprietários ainda mantêm a estrutura com poluição visual.

“Se parou o projeto, todo mundo para. Quem vai querer mexer em alguma coisa que está pronta? As pessoas só vão mexer se a prefeitura exigir”, relata.

Já a empresária Rosângela Lima, 38 anos, foi atrás de orientações ao remodelar o estabelecimento dela. “Já fizemos dentro das normas”, relata. O principal problema, na opinião dela, é a quantidade de vagas de estacionamento. Ela teme que após a conclusão do projeto, haja redução nas vendas como ocorreu quando a Júlio de Castilho ficou pronta. “Aqui na Rui Barbosa nós somos bem esquecidos”, relata.

Resposta – De acordo com a assessoria do Planurb (Instituto Municipal de Planejamento Urbano), o órgão ainda não recebeu cópia da recomendação do MPE, mas afirma que existe uma comissão com representantes de secretarias e entidades civis para rever os itens que não são cabíveis dentro da lei de revitalização do centro.

Com relação à fiscalização, ela é de responsabilidade da Semadur (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano).

O Campo Grande News entrou em contato com a assessoria de imprensa da prefeitura para saber qual a medida que adotará diante da demanda do Ministério Público e se planeja retomar as obras na região central. Por e-mail, o órgão respondeu apenas que a administração pública ainda não foi oficiada sobre a recomendação.

Mapa do plano de revitalização. Em rosa, áreas chamadas de Zeic (Zona Especial de Interesse Cultural) e em azul, áreas consideradas de influência para a região central. MPE quer que normas de publicidade e comunicação visual nesses locais sejam regulamentadas. (Foto: reprodução)Mapa do plano de revitalização. Em rosa, áreas chamadas de Zeic (Zona Especial de Interesse Cultural) e em azul, áreas consideradas de influência para a região central. MPE quer que normas de publicidade e comunicação visual nesses locais sejam regulamentadas. (Foto: reprodução)
Câmara discute nesta 2ª feira falta de estacionamento e revitalização do Centro
A Câmara Municipal realiza audiência pública nesta segunda-feira, dia 7 de julho, para discutir mobilidade urbana no Centro de Campo Grande. Serão de...
CDL afirma que empresários irão cobrar revitalização do centro de Campo Grande
Os empresários e lojistas da área central de Campo Grande estão insatisfeitos com o abandono do projeto de revitalização do centro, que deveria ter s...
Com inspiração japonesa, luzes vão iluminar compras no Centro
Iluminação especial passa a ser adotada, nesta quarta-feira (13), na região central de Campo Grande. Dezesseis estruturas de alumínio, com lâmpadas d...


Só pode ser brincadeira, nas eleições a cidade fica cheia de poluição visual com politicos para tudo quanto é lado, enchem a cidade de lixo, santinhos, sanduiches, placas, etc, nos países de primeiro mundo como Japão e Estados Unidos as ruas são cheias de publicidade, ao invés do MPE preocupar com buracos na rua(tá cheio), segurança(cadê policiamento na cidade), falta de placas com nomes de ruas, placas indicando bairros, e um monte de coisas que a cidade falta, vão preocupar com a publicidade dos comerciantes que sofrem com uma montanha de pagamento de impostos inclusive o de publicidade, impedindo de fazerem uma fachada bonita melhorando a aparência das ruas, depois da fiscalização sobra um monte de lixo, envelhece a cidade deixando a amostra prédios velhos, tenha dó....
 
sidney em 13/01/2015 20:13:48
O que emporcalha a cidade e nos envergonha, não são os letreiros, mas "as pichações" realizadas por vândalos, desocupados, maus campo-grandenses que além de sujarem a cidade ,nos causam revolta. Convém o MPE mudar o foco!
 
henrique luiz mayer nunes em 13/01/2015 18:44:31
Enquanto os responsáveis na prefeitura sequer se dão ao trabalho de responder à imprensa, a cidade continua abandonada. O projeto de revitalização do centro foi uma das melhores notícias recentes, mas infelizmente está empacada graças à incompetência sem limites da prefeitura!
 
Luiz Pereira em 13/01/2015 16:58:14
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions