A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 21 de Agosto de 2018

26/10/2016 11:58

MPE recolhe malotes e pastas de documentos sobre radares na Agetran

Luana Rodrigues e Julia Kaifanny
Agentes apreenderam dezenas de pastas com documentos em sala na Agetran. (Foto: Julia Kaifanny)Agentes apreenderam dezenas de pastas com documentos em sala na Agetran. (Foto: Julia Kaifanny)
Promotor Marcos Alex Vera, diz que tem prazo de 60 dias para analisar documentos. (Foto: Julia Kaifanny)Promotor Marcos Alex Vera, diz que tem prazo de 60 dias para analisar documentos. (Foto: Julia Kaifanny)

Dois malotes e dezenas de pastas com documentos. Este foi o resultado da operação feita pelo MPE (Ministério Público Estadual), na manhã desta quarta-feira (25), em cumprimento a mandado de busca e apreensão na Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), em Campo Grande.

O objetivo da ação é localizar documentos que comprovem que a aferição de alguns radares da Capital está vencida e, portanto, que multas foram cobradas de maneira indevida.

De acordo com o promotor da 29ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público, Marcos Alex Vera, que conduziu a ação, durante as buscas foram apreendidos contratos da Agetran com empresas que fazem aferição dos radares e documentos com as datas das últimas aferições.

Além disso, também foi confiscada a relação de todos os aparelhos utilizados para a aplicação de multas em Campo Grande, nos últimos cinco anos. “Caso seja comprovado que esses equipamentos estavam com a aferição vencida, nós vamos pedir a anulação desse autos de infração e o cancelamento das multas”, disse o promotor.

Conforme Marcos Alex, o MPE decidiu solicitar as buscas a Justiça depois que a prefeitura pediu prazo de 90 dias para enviar a documentação requisitada pela promotoria.

Entre os documentos solicitados estava a relação discriminada de todos os aparelhos usados para aplicação de multas no trânsito, juntamente com documentos de comprovação de origem, aquisição e relação de aferição técnica atualizada feita pelo Inmetro, além de também apresentar, a relação de todas as multas aplicadas na cidade em 2015 e 2016, com seus respectivos recursos.

“Corríamos o risco de não ter as informações, já que no fim do prazo já haverá uma nova gestão na prefeitura. Agora temos 60 dias para a análise documental e só depois poderemos afirmar se a cobrança foi feita de maneira irregular e providenciar o cancelamento das multas”, explicou.

Atualmente, a capital tem 16 lombadas, 53 radares fixos, um estático (tripe, que pode ser transportado) e um portátil. Caso o vencimento da aferição do radares seja comprovado, os responsáveis pela Agetran e a prefeitura podem responder por improbidade administrativa.

Homem é encontrado ferido a tiros em frente a motel durante a madrugada
Sidinei Veiga Ribas, 22 anos, foi encontrado ferido com dois tiros, na madrugada desta terça-feira (21), na Avenida Redentor, no Parque Residencial M...
Traficante é preso transportando em veículo 250 kg de maconha
Vindo de Minas Gerais, Amélio José de Oliveira Junior, 50 anos, foi preso transportando em um carro de passeio 250 quilos de maconha, na madrugada de...


Parabéns Doutor Marcos Alex Vera, são pessoas assim com a sua coragem que o nosso Estado precisa. Se puder, Cadeia nos responsáveis que por ventura estejam errados.
 
Verissimo em 26/10/2016 14:44:30
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions