ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 25º

Capital

MS zera vagas de UTI e tem 160 pacientes na fila por leitos em hospital

Fila de espera só reduz com mortes, diz secretário de Saúde do Estado.

Por Ângela Kempfer | 22/03/2021 11:32
Profissionais em atendimento na UTI do Hospital regional de Campo Grande. (Foto: Saul Schrann)
Profissionais em atendimento na UTI do Hospital regional de Campo Grande. (Foto: Saul Schrann)

Não há mais qualquer vaga disponível para internação em UTI em Mato Grosso do Sul. Em 24 horas, 28 pessoas foram internadas por conta da covid-19 em Mato Grosso do Sul. Depois de um ano com poucas vezes superando os 500 hospitalizados, nesta segunda-feira (22) já são 1.086 pessoas internadas, ontem eram 1.058. Sem vagas, 160 pacientes estão em leitos improvisados, chamados leitos críticos.

A maior fila de espera está na Macrorregião de Campo Grande, onde 124 aguardam transferência em postos de saúde ou leitos improvisados em hospitais, 102 são moradores da Capital. Nas contas do governo, para 317 leitos de UTI habilitados na Capital, há 336 pacientes. Hoje Campo Grande registra mais 400 infectados e 13 mortes, das 28 registradas em todo Estado.

Nos últimos 7 dias, a média móvel de contaminações em Mato Grosso do Sul subiu para 1.135 casos e de mortes chega a 32.3.

Veja no gráfico a escalada da doença neste mês.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

No interior, a situação também é crítica. Corumbá, também está sem nenhuma vaga disponível de UTI, informa o secretário de Saúde Geraldo Resende, que reclama da falta de colaboração de parte dos sul-mato-grossenses.

 "Na Central de Regulação de Dourados, são mais 6 na fila de espera e na Central do Estado, a fila tem 30 pessoas esperando leitos de covid.  Mas apesar de todos esses números,a população continuam fazendo festas clandestinas e saindo de casa sem necessidade."

A taxa de contágio também preocupa, subiu para 1.3

Veja como está a fila de espera nos municípios:

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário