ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SEGUNDA  16    CAMPO GRANDE 14º

Capital

Mulher de 28 anos espera há quase uma semana vaga de tratamento especializado

Por Vinícius Squinelo | 14/11/2013 22:02

Edmara Pereira de Carvalho, 28 anos, espera há quase uma semana vaga para tratamento psiquiátrico especializado na rede pública de saúde de Campo Grande. Quem denuncia a situação é o marido da mulher, Jaime de Carvalho, 48, que acompanha tudo sem nada poder fazer.

Segundo ele, Edmara passou mal na sexta-feira passada (8) e encaminhada para o Hospital do Dia, no Parque Novos Estados, e foi liberada pelo médico poucas horas depois. Ela tem transtorno bipolar, e passava por momento de surto psicológico.

Mesmo tendo alta, já na terça-feira (12), Edmara teve que ser encaminhada novamente para o hospital, com o mesmo quadro clínico.

“Ela está internada desde terça, e ninguém encaminha ela para um tratamento especializado”, reclamou Jaime.

Com o quadro da esposa, Jaime tem que ficar ao lado da esposa 24h por dia, e está afastado do trabalho. Os filhos do casal, um de cinco anos e outro de cinco meses, estão com amigos.

“Estamos em uma situação degradante e agora querem transferir ela pro Caps III, no Aero Rancho, e não tenho condição de ficar lá”, afirmou o marido, se referindo a uma Unidade de referência para portadores de transtornos mentais no momento de crise psiquiátrica.

Segundo Jaime, outras opções são mais viáveis para a família, como o Caps II, próximo do Novos Estados, ou mesmo a Santa Casa.

“Mas o que vemos aqui é uma má vontade, está complicado”, denunciou.

Nos siga no Google Notícias