A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017

04/11/2016 16:56

Músico ganha direito a R$ 6,1 mil de indenização depois de cair em buraco

Luana Rodrigues
Incidente ocorreu no Parque das Nações Indígenas. (Foto: Marcos Ermínio)Incidente ocorreu no Parque das Nações Indígenas. (Foto: Marcos Ermínio)

Músico de 36 anos vai receber R$ 6,1 mil de indenização por ter se machucado ao cair em um buraco do Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande. A Justiça condenou o Estado de Mato Grosso do Sul ao pagamento, por considerar que as provas indicavam que o buraco estava no passeio, parcialmente encoberto pela grama, sem tampa e sem qualquer tipo de sinalização, e levou a vítima a queda.

Segundo sentença proferida na 2ª Vara de Fazenda Pública e de Registros, o Estado deve pagar R$ 5 mil por danos morais, além de R$ 1.142 mil por danos materiais, referentes as despesas médicas gastas pelo músico, que lesionou o tornozelo.

No processo, o rapaz contou que no dia 2 de dezembro de 2007 estava em um show musical no parque, acompanhado de sua namorada e da filha dela, de 5 anos, quando ao final da apresentação, já próximo ao portão de saída da Rua Antônio Maria Coelho, caiu em um buraco. Ele disse que estava carregando a criança no colo e ao cair no chão, a menina desmaiou.

Segundo os autos, o buraco tinha aproximadamente 60 centímetros de diâmetro e 2,4 metros de profundidade, estava sem tampa, sem sinalização, sem luz e ainda encoberto pelo mato.

O músico disse à Justiça que precisou de atendimento médico, pois sofreu uma lesão no tornozelo, o que provocou muita dor e o fez ficar imobilizado em uma cama necessitando de ajuda de familiares.

Afirmou ainda que neste período não conseguiu exercer sua profissão de músico, passando por dificuldades financeiras. Em contestação, o Estado pediu pela improcedência da ação, alegando que o acidente ocorreu por culpa exclusiva da vítima.

Em análise dos autos, o juiz que proferiu a sentença, Alexandre Tsuyoshi Ito, observou que as fotos juntadas no processo demonstram a existência de um buraco no passeio público que dá acesso ao parque, o qual é de responsabilidade do Estado

“Note-se que o buraco em questão estava parcialmente encoberto pela grama, sem tampa e sem qualquer tipo de sinalização, circunstâncias que demonstram a culpa exclusiva do referido ente público pelo resultado lesivo provocado no autor”, frisou o juiz.

Sobre o pedido de danos morais, o juiz levou em conta que, além dos transtornos narrados pelo autor, os atestados médicos demonstram que ele teve que se afastar do trabalho por 60 dias e da faculdade por 30 dias.

“Tais documentos demonstram o efetivo afastamento do autor de suas atividades cotidianas por um longo período. Além disso, entende-se que a submissão ao tratamento médico e fisioterápico realizado até sua integral recuperação são circunstâncias que, somadas, caracterizam-se como suficientes para provocar os transtornos psicológicos relatados nestes autos”.

Beleza Negra reúne candidatos em 10ª edição do evento no próximo sábado
Acontece no próximo sábado (25) mais um Concurso Beleza Negra Campo Grande, a partir das 19h, no Centro de Convivência do Idoso Vovó Ziza. Em 2017 o ...
Programa de residência em áreas da saúde segue com inscrições abertas
Seguem abertas as inscrições para o programa programa de residência multiprofissional na área de saúde da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso d...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions