ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Na melhor das hipóteses, uniformes e kits escolares devem chegar em abril

'Nome sujo' atrapalhou aquisição de materiais antes das aulas; Problema ocorreu na gestão anterior, segundo Semed

Por Yarima Mecchi | 06/02/2017 12:12
Aluna com uniforme do ano passado. (Foto: André Bittar)
Aluna com uniforme do ano passado. (Foto: André Bittar)

Na melhor das hipóteses, os uniformes e kits de material escolar da Reme (Rede Municipal de Ensino) devem ser entregues em no mínimo 30 dias e no máximo 40. O prazo foi dado pela secretária de educação, Ilza Mateus, na manhã desta segunda-feira (6), primeiro dia de aula dos cerca de 107 mil alunos do município. 

Ela explicou que a falta de uma certidão do Cauc (Serviço Auxiliar de Informações para Transferências Voluntárias) atrapalhou a aquisição mais rápida dos kits escolares em uma 'carona' com a ata de registro de preços dos FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação).

"As empresas, que fazem parte da ata, têm uma capacidade de produção muito grande e acredito que vamos receber dentro de 30 a 40 dias tanto os kits quanto os uniformes. Ainda não foi confirmada a adesão, mas a ata dos kits escolares está mais adiantados. Os uniformes estamos tentando com São Paulo".


De acordo com a responsável pela Semed (Secretarial Municipal de Educação), após a determinação do TCE (Tribunal de Contas do Estado) de suspender as licitações, no dia 27 de dezembro, o que atrapalhou para uma entrega mais rápida dos kits de material escolar, foi a falta de certidão positiva de Campo Grande para aderir a ata do FNDE.

Secretaria de educação. Ilza Mateus. (Foto: Yarima Mecchi)
Secretaria de educação. Ilza Mateus. (Foto: Yarima Mecchi)

"Não recebemos ainda porque o município não tinha um registro por causa de problemas da gestão anterior. Poderia ser mais ágil se o município estivesse legal, com a documentação toda em dia. Não tinha uma certidão que é necessária do Cauc", afirmou.

Ilza, destaca que os processos licitatórios deveriam ter sido feitos em novembro e a rapidez fez com que fossem contestados por outras empresas. "Foi feito correndo, em dezembro, houve questionamento e foram cancelados. Eu entrei na época da transição, eu tentei acompanhar. Entretanto nos processos licitatórios, que estavam já na licitação da prefeitura, foram tomadas decisões independente do nosso pedido", declarou.


Uniformes - Assim como os kits escolares, a Prefeitura de Campo Grande está tentando uma 'carona' para a compra dos uniformes. Enquanto negociam com o FNDE para aquisição de material, o Executivo Municipal tenta embarcar junto com a Prefeitura de São Paulo na obtenção de uniforme.

"A gente entra na carona de um município de grande porte porque as empresa que aderem a licitação têm condições de produzir rapidamente. Serão duas camisetas por alunos, uma bermuda e um tênis, nas cor azul", explicou a secretaria.

Alunos foram para aula com uniforme do ano passado. (Foto: André Bittar)
Alunos foram para aula com uniforme do ano passado. (Foto: André Bittar)
Alunos foram para aula sem uniforme. (Foto: Marcos Ermínio)
Alunos foram para aula sem uniforme. (Foto: Marcos Ermínio)
Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário