A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

27/05/2011 10:09

Na Santa Casa, pacientes de plano de saúde e SUS dividem mesma fila

Aline dos Santos e Ítalo Milhomem
Luiz Alberto Kanamura, diretor clínico da Santa Casa.Luiz Alberto Kanamura, diretor clínico da Santa Casa.

A superlotação na Santa Casa de Campo Grande, que penaliza os pacientes atendidos pelo SUS (Sistema Único de Saúde), também afeta quem paga plano de saúde.

À noite, quando as clínicas particulares conveniadas fecham as portas, o Prontomed – setor que atende convênios e particulares na Santa Casa - aparece como única opção em casos de acidentes e traumas.

Neste cenário, tanto pacientes do SUS, que dão entrada pelo Pronto Socorro, quanto usuários do plano de saúde entram na mesma fila por atendimento. “Se o Pronto Socorro estiver lotado, prejudica o Prontomed”, admite o diretor clínico Luiz Alberto Kanamura. Ele afirma que o critério de seleção para o atendimento é a gravidade do caso. “Quem estiver pior é atendido primeiro. Não importa se convênio ou SUS”.

Em caso de superlotação, que ocorre geralmente aos fins de semana, quando a mistura de álcool e excesso de velocidade faz explodir os números de acidente de trânsito, pacientes do SUS são levados para o Prontomed.

Reclamações dos usuários dos planos de saúde chegam ao Siems (Sindicato dos Trabalhadores na área de Enfermagem). “A família de uma paciente que deu entrada pelo Prontomed reclamou que demorou dois dias para ela ser encaminhada ao centro cirúrgico”, relata a presidente do sindicato, Helena Delgado. Neste dia, cinco salas do centro cirúrgico foram transformadas em CTI (Centro de Terapia Intensiva).

Filé – A presidente do Siems compara que a rede particular fica com o “filé mignon” dos traumas, como luxaçã e entorse. E suspendem o atendimento no período noturno, quando há maior incidência de acidentes de trânsito. Um atendimento mais complexo e que exige mais estrutura e recursos por parte da unidade que recebe o paciente.

A reportagem do Campo Grande News ligou para diversas clínicas para saber como funciona o atendimento à noite aos usuários de plano de saúde. No hospital Miguel Couto, da Unimed, somente clínico geral atende 24 horas.

Na Orthos, o atendimento com ortopedista vai até as 19h. Depois, a orientação é procurar o Proncor da Maracaju ou o Prontomed.

No Proncor, o atendimento de ortopedia termina a meia noite e retorna às 7h do dia seguinte. Na Ortotrauma, um médico fica de sobreaviso até 21h.



Não é novidade!! Pior que ninguém toma uma atitude!! Tem um ditado que diz: "já mandou recado para quem não conhece"!! Há anos a impressa fala...fala...fala..e nada muda nesta Santa Casa!! Tem que abrir de uma vez essa caixa preta..pois a coisa está preta mesmo lá dentro!! E a população é quem paga a conta!! Socorrro!!
 
Alex Andrade em 27/05/2011 12:29:59
A grande maioria dos planos de saude não possui os meios de atendimento centralizado. As consultas e pequenas procedimentos ambulatorial são realizados no local, mas quando há necessidade de qualquer atendimento de complecidade somente a santa casa possui em todo o estado de MS os meios para este atendimento. A população do estado que necessitou pelo menos uma vez deste tipo de atendimento começa a não procurar o atendimento pelo convenio, e, sim dirige-se direto para santa casa, causando mais e mais superlotação da Santa Casa.
Solução: repensar todo o procedimento de emergência para o estado como um todo
 
Luís Eloy em 27/05/2011 11:33:18
minha mae dias atras ficou mais de doze horas em uma maca para poder ser atendida mesmo tendo plano de saude
 
claudinei braz de lima em 27/05/2011 10:31:41
O pior não é ter convenio e ser atendido pelo SUS, o pior é ver seu filho, ficar 16 horas sem poder beber agua, sob a alegação q a qquer momento vai passar por uma cirurgia, quando eles (enfermeiros e medicos) sabem que isso não vai acontecer. Foi o que aconteceu com meu filho, ficou 16 horas esperando por um cirurgia na Santa Casa, sendo que tinha paciente esperando ha uma semana na mesma condição, sem poder beber agua e eles sabendo que podiam beber quanto agua quizessem, visto que a cirurgia ia demorar muito.
 
loraine pereira em 27/05/2011 05:46:55
MS vai mal de tudo, mas essa da saúde vejo como algo gravíssimo. Mesmo os hospitais particulares vão mal, não querem sequer atender seus pacientes de plano de saúde à noite. Depois das 18h., quem tiver condições, que procure hospital em outro Estado.
 
Jorge Souza em 27/05/2011 04:04:33
Boa tarde,

Como cidadã e com revolta - Acho que todo o problema da Santa Casa se resume a Gestão, que deveria ser feita especificamente por gestores, os médicos, diretores clinicos apenas para gerir a área de saúde, internação, parte de administração, direcionamento financeiro com conselhos administrativos por setores, alas, pessoal que vive e conhece area de saúde, médicos não podem administrar essa parte até porque, onde pouco entendo, apenas opinião leiga, é necessário distribuir com critério o orçamento interno, o orçamento de material, etc.
O que acontece com tanta interferência e tanta sindicância sem que o que é devido seja feito? intervenção, associação, afinal, o certo seria um conselho de administração com gestores e técnicos da área para gerirem com personalidade e eficiência todo o caos do momento, o IMEDIATISMO está dando a desordem e o caos, e o SUS acaba por não funcionar com o deveria.

Gostaria muito de ver setores de trigem eficientes, pessoal técnico dirigindo e pessoal de cada área atuando para o benefício de todos sem política ou jogo político, falando minha opinião de cidadã, graças a DEUS tenho saúde, mas espero não ver mais ninguém morrer pelos corredores por desculpas, por falta apenas do uso correto do dinheiro da saúde pública e gestão com competência.

Att.
Loadir Ap.Silva
Cidadã Campograndense - MS
 
Loadir Aparecida Silva em 27/05/2011 03:36:06
E nao é so no infantil nao, esses tempos minha esposa sofreu um acidente de moto, e deu entrada no prontomed e nao hora de tirar raio x, entrou na fila junto com os pacientes do sus, eu acho q tem q investigar mesmo, e ir afundo porque deve ter muita coisa pra ser descoberta ainda...
 
Rafael Martins em 27/05/2011 02:00:02
Quem vai ficar aberto no período noturno ?? Uma consulta pelo convenio paga no máximi r$50 reais bruto sem descontar impostos , e ainda tem-se um monte de dispesas com funcionário, luz ,água ,segurança etc
 
roberto pereira jr em 27/05/2011 01:21:33
É UMA VERGONHA VER A NOSSA SAÚDE PUBLICA DESSA FORMA, JÁ QUE TEMOS NO GOVERNO E NA PREFEITURA DOIS MÉDICOS, É LASTIMÁVEL PENSAR EM GASTAR UMA FURTUNA EM AQUARIO E A SAÚDE PUBLICA NESSE DESCASO. CONVENHAMOS QUE O DINHEIRO DO POVO DEVERIA SER APLICADO EM BENEFICIO PARA O MESMO, E NO MOMENTO UM AQUARIO NÃO VAI SALVAR A VIDA DE NINGUÉM. É TRISTE, QUE DEUS ABENÇÕE ESSAS PESSOAS QUE ESTÃO PRECISANDO DE UM CTI, PARA NÃO MORRER.
 
PRISCILA SANTANA em 27/05/2011 01:16:52
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions