A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 24 de Agosto de 2019

24/12/2012 10:57

Na véspera de Natal, prêmio de R$ 230 milhões enche as lotéricas

Luciana Brazil
Para fazer uma fezinha, apostadores esperam na fila que se estende pela calçada na Lotérica da rua Calógeras. (Fotos:Rodrigo Pazinato)Para fazer uma "fezinha", apostadores esperam na fila que se estende pela calçada na Lotérica da rua Calógeras. (Fotos:Rodrigo Pazinato)

O prêmio de R$230 milhões da Mega-Sena da Virada, que será sorteado no último dia do ano, fez com que as agências lotéricas de Campo Grande ficassem lotadas na manhã desta segunda-feira (24), véspera do Natal.

No meio de tantos apostadores, os sonhos são muitos e vão desde carros luxuosos, casa na praia, até a solidariedade, onde a ajuda ao próximo tem destaque. Pagar dívidas e viajar pelo mundo também fazem parte das pretensões.

"Se eu ganhasse, compraria um carro de luxo, uma casa maravilhosa, e ia viajar muito. Ia dar uma casa pra minha vó, dinheiro para família do meu namorado e ia ajudar muita gente amiga", disse a estudante de direito, Gabriela Soares, 22 anos.

Pelo segundo ano consecutivo, o casal Emanuele Saldanha e Manoel Adriano sonha com a bolada. A quantidade de planos é tão grande que fica difícil de descrever. “No primeiro mês eu fugiria do mundo e depois nem faço ideia. É muito dinheiro”, contou Manoel.

"Depois viveria só de rendimentos, aproveitando a vida", completou Emanuele.

Para outros, ajudar os mais pobres é essencial. Essa seria uma das prioridades da advogada e economista Maria Pedrossian, 50 anos. “Encaminhar os filhos, aproveitar um pouco e ajudar muita gente pobre. Eu estaria sempre atenta a quem estivesse a minha volta”, frisou.

Maria já fez mais de 20 jogos na esperança de levar pra conta bancária o prêmio de mais de R$ 200 milhões.

Casal viajaria no primeiro mês e depois viveria de rendimentos.Casal viajaria no primeiro mês e depois viveria de rendimentos.
Maria garante que estaria sempre atenta aos necessitados.Maria garante que estaria sempre atenta aos necessitados.

Regiana Alves, 34 anos, proprietária da casa lotérica localizada na rua Pedro Celestino, lembrou que o movimento tem sido intenso nestes últimos dias. "Está ótimo. É o tempo todo esse entra e sai".

Na rua Calógeras, a fila de apostadores se estendia pela calçada. O movimento, segundo os atendentes, é constante.

Apesar das grandes filas, tem gente que não se preocupa com a demora, tendo em vista o tamanho do prêmio. "Eu fico na fila o tempo que for. Até procuro ir na lotérica mais vazia, mas nenhuma delas está assim nesses dias", conta a publicitária Juliana Sanches, 33 anos.

 

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions