A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

10/02/2016 14:43

No parque do estádio e homenagem a amigo: lixo, mato e cerca aberta

Aline dos Santos
Grade aberta e mato no parque de 49 hectares nas Moreninhas. (Foto: Allan Nantes)Grade aberta e mato no parque de 49 hectares nas Moreninhas. (Foto: Allan Nantes)
Bancos com apoio improvisados no parque Jacques da Luz. (Foto: Allan Nantes)Bancos com apoio improvisados no parque Jacques da Luz. (Foto: Allan Nantes)

Nas Moreninhas, todos os caminhos levam ao parque Jacques da Luz. Chega-se ao local, que contabiliza 49 hectares e uma saga de quase 10 anos entre ser inaugurado e ficar pronto, pelo portão oficial, pelas passagens abertas na cerca ou pelo extenso trecho sem cerca. Na paisagem, predomínio de mato e lixo. 

Morando em frente ao parque há 30 anos, o comerciante Antônio Sobrinho, 56 anos, é enfático ao afirmar que já esteve pior.

“Está limpo agora. Estava lotado de lixo de fora a fora. Falta atenção das autoridades. Na época de campanha, abrem as portas do céu”, conta. Há três décadas, o parque era pasto de fazenda. Hoje, viceja mato em meio a pista de 2,4 quilômetros de caminhada, ginásio e campinhos de futebol. O local também tem estádio, que após interdição foi liberado e recebe partidas do campeonato estadual de futebol.

“A situação aqui é uma vergonha. Com lixo para tudo que é lado. E a população não ajuda, fica jogando lixo e mais lixo”, afirma a vendedora Adriana Lucas, 42 anos. Esposo de Adriana, Mauro da Silva Lima, 45 anos, conta que vai ao parque para fazer caminhada. Ele reclama que as piscinas estão interditadas, banheiros estragados e iluminação precária.

O parque, na rua Barreiras, Moreninha 2, faz parte da rota diária de Érica Freitas, 17 anos, e a filha Sara. Com o mato alto, ela preferiu estender a manta fora do parque para aproveitar a sombra da árvore. “Venho quase todos os dias. Ela brinca na academia”, diz. Segundo Érica, o local não tem parquinho infantil, por isso muitas crianças brincam nos equipamentos da academia ao ar livre.

Diante dos problemas, a direção do Jacques da Luz informa que toma medidas para atender a população. No caso do mato alto, o entorno da pista de caminhada começou a ser capinado para dar mais seguranças aos usuários. Conforme o gestor Luiz Carlos Timóteo de Oliveira, o local foi roçado há três semanas, mas o tempo chuvoso faz o mato crescer rápido.

Piscinas estão interditadas e obra deve levar 70 dias. Piscinas estão interditadas e obra deve levar 70 dias.
Casal Mauro e Adriana recalma da conservação do parque.  (Foto: Allan Nantes)Casal Mauro e Adriana recalma da conservação do parque. (Foto: Allan Nantes)
Entorno da pista de 2,4 quilômetros começou a ser capinado.  (Foto: Allan Nantes)Entorno da pista de 2,4 quilômetros começou a ser capinado. (Foto: Allan Nantes)

Quanto às piscinas, o prazo para a liberação é ao menos 70 dias. “As piscinas ficaram oito meses paradas. Quando o Bernal voltou, os motores estava estragados, mas conseguimos colocar para funcionar aula de hidroginástica e para as crianças”, diz o gestor.

No entanto, uma rachadura no fim do ano levou ao desabamento e interdição das piscinas. Apesar de sem uso, elas têm água. Porém, a direção informa que o líquido recebe tratamento para não ser criadouro do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya.

O gestor destaca que a prefeitura obteve documentação e conseguiu reabrir o estádio de futebol. Ainda segundo ele, forma retomadas as aulas de judô, caratê, futsal, ginástica rítmica e aeróbica. Na biblioteca, há oferta de curso de informática.

Com arquitetura similar ao parque Ayrton Senna, que fica do outro lado da cidade e foi interditado por ordem judicial, o Jacques da Luz tem menor população de pombos, cuja infestação levou a diversos fechamentos do “irmão gêmeo” no bairro Aero Rancho.

Saga – Duas placas perto do ginásio informam um lapso temporal entre inauguração e conclusão do local. A primeira, datada de dezembro de 1994 e assinada pelo então governador Pedro Pedrossian, anuncia a entrega de um espaço de "lazer, sadia confraternização e humanização da cidade". Ao lado, uma placa de 1999, assinada pelo ex-governador Zeca do PT, marca a  retomada da obra. Já prefeitura informa que o parque foi reinaugurado em 2003.

Anjo faz tudo – Jacques Rodrigues da Luz Filho, que dá nome ao parque nas Moreninha, era homem de confiança do ex-governador Pedro Pedrossian. Com funções que ia da segurança pessoal a “faz tudo”, ele era tido como uma espécie de anjo da guarda.

“Ele foi jogou bola nos anos 60 e trabalhou muito tempo com o doutor Pedro. Minha mãe conta que ele era segurança, amigo e braço direito. Ele faleceu em 1986, em um acidente de carro”, conta Jacques Dias da Silva Luz, 38 anos, um dos sete filhos do homenageado.

Série - O Campo Grande News percorre os principais parques da cidade, mostrando a situação em que se encontram, suas principais características, qualidades e problemas.

Parque foi entregue pela primeira vez em dezembro de 1994. (Foto: Allan Nantes)Parque foi entregue pela primeira vez em dezembro de 1994. (Foto: Allan Nantes)
No dia 31 de janeiro, estádio de parque nas Moreninhas foi palco do jogo entre Comercial e Novo Operário. (Foto: Marcos Ermínio)No dia 31 de janeiro, estádio de parque nas Moreninhas foi palco do jogo entre Comercial e Novo Operário. (Foto: Marcos Ermínio)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions