A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

01/09/2012 11:31

No velório de universitários, a dor se mistura à busca por uma explicação

Elverson Cardozo e Luciana Brazil
Velório e sepultamento foram realizados no cemitério Parque das Primavares. (Foto: Rodrigo Pazinato)Velório e sepultamento foram realizados no cemitério Parque das Primavares. (Foto: Rodrigo Pazinato)
Familiares, amigos e desconhecidos se despediram dos rapazes na manhã de hoje. (Foto: Rodrigo Pazinato)Familiares, amigos e desconhecidos se despediram dos rapazes na manhã de hoje. (Foto: Rodrigo Pazinato)

Ninguém parece acreditar no que aconteceu. E não poderia ser diferente. A morte dos estudantes Breno Luigi Silvestrini de Araújo, de 18 anos, e Leonardo Batista Fernandes, 19 anos, chocou familiares, amigos e desconhecidos, que se despediram dos rapazes na manhã deste sábado (1).

No velório dos estudantes - mortos após serem sequestrados na saída de um bar - uma multidão ainda tentava acreditar no que aconteceu. No olhar de cada parente, de cada amigo, um misto de revolta e dor.

O Parque das Primaveras ficou lotado. Na capela, os caixões dos universitários, amigos de infância, foram posicionados lado a lado. Era intensa a movimentação para dar o último adeus a Breno e Leonardo.

Quem foi ao velório buscava e tentava distribuir conforto. E o alento chegava a todo o momento, em um novo abraço, uma nova lágrima que rolava, nas palavras de carinho ou nas canções que entoavam.

“E ainda se vier, noite traiçoeira, se a cruz pesada for Cristo estará contigo. O mundo pode até fazer você chorar, mas Deus te quer sorrindo”, dizia uma das músicas.

O primeiro a ser enterrado, às 9h30, foi Breno, que cursava engenharia civil. O sepultamento de Leonardo aconteceu às 11h. Ele era estudante de direito no Rio Grande do Sul e estava em Campo Grande porque a universidade está em greve.

"Breno era bem na dele, bem tranquilo. Ele era mais quieto", disse um rapaz que preferiu não se identificar. "A irmã dele sempre me dizia que eu era igual a ele, mas japonês. Parecíamos na personalidade e também fisicamente", disse Vinícius Ueta, 19 anos.

Visivelmente abalado, Jorge Fernando, tio de Leonardo, diz que “a ficha ainda não caiu”. “Sem Palavras. É violento demais, uma coisa absurda. Ainda estamos passados”, disse, consternado.

Segundo os amigos mais próximos, o rapaz “era tranquilo”. Gostava de poesia e frequentava aulas de Jiu Jitsu. Sthefanie Carretoni, de 19 anos, tem boas lembranças do amigo que “fazia todo mundo rir”.

Amigos ainda tentam entender o que aconteceu. (Foto: Rodrigo Pazinato)Amigos ainda tentam entender o que aconteceu. (Foto: Rodrigo Pazinato)

O crime que chocou pela brutalidade também chamou a atenção pelas circunstâncias em que aconteceu. “É um absurdo porque não foi de madrugada, foi às 20h30, em um lugar movimentado”, afirmou. “São duas vidas em vão”, completou.

Camila Zequini, de 18 anos, que mora perto do bar 21, também questiona a situação que considera absurda. “Eu passo ali todos os dias”, relatou. Para Márcio Moura, de 28 anos, o que falta é policiamento, especialmente nas fronteiras, onde os criminosos sabem da facilidade em traficar.

Ele acredita que os bandidos mataram para roubar o carro em que os universitários estavam, uma Pajero, que foi abandonada em Corumbá.

Eduardo Maluf, de 19 anos, cobra mais segurança. “Tem que ter policiamento em bar, em tudo”, destacou. Ele acredita que os estudantes não reagiram porque ficaram sem reação.



Quem já ouviu de algum político a necessidades de mudanças a partir do código penal?Quem já ouviu falar em colonias agricolas para que esses monstros pelo menos possam prover sua s necessidades e de sua famílias?: Que não ouviu , que nos brasileiros não aturamos mais engodos, roubo, corrupção daqueles individuos que supostamente estariam lá para defenderem a população que os elegeu???????
 
martia cleia barbosa em 05/09/2012 12:51:03
Pena de morte!Quem rouba vidas, deve pagar com suas vidas, Que justiça existe, se um individuo que pode até pegar prisão perpetua, mesmo assim não haverá justiça, só haveria justiça se os assasinos pudessem devolver as familias as vidas ceifadas, que lhes causaram tanta dor, e ainda continuarão no sofrimento, pq não há cura para uma dor igual a que essas famílias estão passando....
 
maria cleia barbosa em 05/09/2012 12:41:30
Esse políticos,estão lá para legislarem em favor da sociedade, mas ao contrário disse, legislam em causa próprias, (o que por sí só, ja afronta a população, que tem que sustentar esses assasinos(eles custam à união mais de mil reais, por mes, e ainda recebem cestas básicas para suas famílias, tudo isso extorquidos de nós cidadões com impostos abusivos. A nossa resposta é agir com determinação!
 
maria cleia barbosa em 05/09/2012 12:34:31
Estou com qualquer movimento que se inicie para pelo menos mostrar a nossa indignação, e revolta diante de tanta crueldade e frieza. As coisas devem ser mudadas a partir da ansiedade do povo brasileiro contra a ação dos políticos corruptos, que deveria mudar o código penal, por estarmos vivendo coisas aterradoras, e nunca ouvimos de nem um politico preocupação de proteger as famílias brasileiras.
 
maria cleia barbosa em 05/09/2012 12:25:52
Pena de morte já! Economia para o nosso dinheiro de impostos gastos com marginais, que recebem cesta básica e dinheiro todo mês, além de carne de boa qualidade todos os dias em suas refeições. E nós somos obrigados a ficar trancados em casa. Já sofri assalto à mão armada e sei o que é estar por um segundo no inferno. Bandido bom é bandido morto! Pronto falei!
 
Marcia Maria de Brito em 02/09/2012 12:21:09
Pena de morte URGENTE para esses indivíduos sem condições de viver em sociedade por 2 motivos apenas:
1 - eles tem que pagar pela atrocidade que cometeram com uma resposta imediata para nós humanos de bem;
2 - NÃO posso e NÃO concordo em sustentá-los por anos com comida, roupa e alojamento com o meu dinheiro pago em impostos.
 
Marco Aurélio Poss em 02/09/2012 11:15:00
A explicação é simples. O Povo quer pena de morte para crimes hediondos como este. Até quando vamos ter que aturar isto! Matam sem piedade, e o Estado o que faz? Façam um plebiscito e vão ver, 90% da população brasileira aprovarão a pena de morte. Cadê os parlamentares eleitos que cruzam os braços e não fazem leis que o povo deseja. Renunciem, é mais honesto, já que não tem coragem!
 
ademir gomes em 02/09/2012 08:51:07
Meus pêsames.Sinto muitíssimo. Fico extremamente triste e envergonhado que em nossa cidade, em nosso estado, em nosso país aconteça tragédias dessa natureza. É uma vergonha para para a nossa cidade.
 
Paulo Calvoso em 01/09/2012 12:54:30
My heart goes out to the families of Breno and Leonardo during this tragic loss. It was such a senseless and unimaginable crime. To see so many people come out to the funeral this morning was a testimony to how much these two boys touched the lives of others around them. Leo not only touched the people of Campo Grande, but also families in Oxford and Corinth, Mississippi in the United States.
 
Britt Fitts em 01/09/2012 12:39:27
Que Deus conforte essas famílias, lembrem - se que a justiça do homem pode falhar, mas a de Deus é justa e infalível. Se apeguem a Deus, pois só ele nos proporciona o conforto e a tranquilidade de sabermos que eles estão em um lugar lindo e maravilhoso... um lugar onde essas " pessoas " se é que podemos chama - los assim não poderam conhecer.

Que Deus ilumine a todos.
 
Franciely Moreira em 01/09/2012 12:16:14
Onde estão os representantes dos direitos humanos?No momento da dor dos inocentes tem- se o direito de clamar por justiça e chorar pelas perdas.Até quando os direitos humanos ficarão ao lado dos fracos e oprimidos? Afinal quem é realmente o desprotegido neesa história?
 
Fernando Alves em 01/09/2012 04:23:06
Campo Grande precisa urgente de mais policiamento, a cidade cresce e a violência também. C Grande está em luto, é doloroso e revoltante demais perder pessoas de bem pelas mãos de criminosos inescrupulosos. A cidade precisa se planejar para tirar de circulação essa escória da sociedade. E os campograndenses DEVEM se juntar em manifestação pedindo segurança, não podemos ficar quietos e a mercê.
 
Ana Maria Souza em 01/09/2012 04:17:41
Como estes veículos são mais visados a Polícia Federal tinha que parar todos e pedir documentação dos veículos na hora de entrar no país vizinho. É muito fácil passar para outo lado da fronteira.
 
CIDA BARROS em 01/09/2012 03:06:31
Diante do exposto, e muito triste sabermos o que aconteceu com estes jovens. Ao ler esta triste reportagem,uma das muitas que acontecem todos os dias, no meu ver, temos que repensar como podemos cobrar de alguem uma conduta diferente se nao teem nada pra oferecer? Caros leitores, repensemos o qto e importante o amor em nossas vidas...
Deus conforte as familias enlutadas.
 
cleora gil em 01/09/2012 02:50:22
Que Deus de o conforto a todos os familiares.
Senhor de o descanso a alma desses jovens que foram tao cedos,deixando aqui muitos em dor e sofrimento.
Aos pais ,irmaos e familiares mais proximos,tenham muita fe.
Deus os ajudara.
 
valdenicio pereira de souza em 01/09/2012 02:08:00
Lamento muito a morte destes jovens, e o perigo q ronda a todos, mas sabemos q o maior problema sao as divisas secas, e a policia peca e muito em nao parar os carros nas saidas da cidade, rumo a corumba e nas proximidades das fronteiras, fui a Corumba na segunda nao fui parado, la entrei no carro ia colocar o cinto 5 guardas me multaram, tem q fiscalizar as saidas e chegadas dos veiulos sempre
 
Belmiro Zamecki em 01/09/2012 01:50:32
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions