ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  03    CAMPO GRANDE 20º

Capital

Noite dos Namorados tem de restaurante vazio à fila na calçada

Com ou sem reserva, casais não deixaram de sair de casa para comemorar com um jantarzinho romântico

Por Adriano Fernandes e Caroline Maldonado | 12/06/2021 19:25
Fila de clientes aguardando para entrar na Cantina Masseria. (Foto: Kísie Ainoã) 
Fila de clientes aguardando para entrar na Cantina Masseria. (Foto: Kísie Ainoã)

Mesmo com o alto risco de contágio pela covid-19 na Capital, muitos casais não deixaram de sair de casa para irem comemorar o Dia dos Namorados com um jantarzinho romântico, na noite deste sábado (12). Apesar do movimento moderado na maioria dos estabelecimentos da região central, alguns dos restaurantes mais populares tiveram filas.

Na Cantina Romana, no Jardim dos Estados a espera de clientes do lado de fora começou por volta das 18h30 e gerou crítica. “Acho que o vírus não deve circular no dia dos namorados”, comentou um morador, que pediu para não ter a identidade divulgada.

Clientes aguardando atendimento do lado de fora da Cantina Romana. (Foto: Kísie Ainoã) 
Clientes aguardando atendimento do lado de fora da Cantina Romana. (Foto: Kísie Ainoã)

Para organizar o movimento e diminuir o risco de aglomeração a Cantina Masseria, na Avenida Afonso Pena, permitiu que os clientes fizessem reserva.

A farmacêutica Lutiane Marques Nascimento, de 38 anos, e o companheiro chegaram bem cedo, às 18h, para garantir um lugar. Esse foi o primeiro Dia dos Namorados que o casal comemorou no restaurante.

“Fizemos a reserva há 4 dias e achamos super organizado. Eles, inclusive, orientaram para que chegássemos nesses horário, pois era o que estava disponível”, comentou. Cerca de oito casais aguardavam para entrar no estabelecimento, no início desta noite.

A empresária Michele Madeleine, de 32 anos, até tentou fazer reservas em outros restaurantes, mas acabou tendo que esperar na fila do Japa Lounge, para conseguir ser atendida. “Tem 18 casais na nossa frente, vamos ter que esperar 1h30 mais ou menos, mas vale a pena”, comentou ao lado do namorado. A cada mesa liberada a administração do restaurante japonês chamava os casais que aguardavam atendimento, pelo celular.

Na Casa Colonial, um dos restaurantes mais tradicionais da Capital o movimento era tranquilo. (Foto: Kísie Ainoã) 
Na Casa Colonial, um dos restaurantes mais tradicionais da Capital o movimento era tranquilo. (Foto: Kísie Ainoã)

A reportagem passou por cerca de 12 estabelecimentos do Centro, no Jardim dos Estados e Chácara Cachoeira. Com exceção dos restaurantes já citados, na maioria dos outros pontos, incluindo em pizzarias e hamburguerias e até na Casa Colonial - um dos restaurantes mais tradicionais da cidade - o movimento era moderado. Alguns estabelecimentos inclusive estavam com as mesas vazias. Por estes bairros o fluxo de pessoas só estava mais intenso nos bares como no Tasco, Bada Bar e BarZito.

Vale lembrar que todos os estabelecimentos devem fechar às 21h. Amanhã (13) começa uma fase de medidas restritivas mais duras na Capital, com toque de recolher a partir de 20 horas e fechamento de bares e restaurantes por pelo menos 14 dias. A lista de serviços essenciais que estão liberados para funcionar inclui 51 atividades, dentre supermercados, transporte coletivo, bancos, lotéricas e até igrejas e academias.

Clientes aguardando liberação de mesas no Japa Lounge. (Foto: Kísie Ainoã) 
Clientes aguardando liberação de mesas no Japa Lounge. (Foto: Kísie Ainoã)
Restaurante na Via Parque tinha poucos clientes. (Foto: Kísie Ainoã) 
Restaurante na Via Parque tinha poucos clientes. (Foto: Kísie Ainoã)
Ao contrário da maioria dos restaurantes o Bada Bar lotou mais uma vez. (Foto: Kísie Ainoã) 
Ao contrário da maioria dos restaurantes o Bada Bar lotou mais uma vez. (Foto: Kísie Ainoã)
No Tasco Bar também haviam poucos clientes. (Foto: Kísie Ainoã) 
No Tasco Bar também haviam poucos clientes. (Foto: Kísie Ainoã)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário