A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 26 de Agosto de 2019

01/07/2019 12:49

Nova inspeção municipal busca orientar e não punir, diz prefeito

Prefeito Marquinhos Trad (PSD) assinou decreto com as novas regras de inspeção a produtos de origem animal

Leonardo Rocha
Prefeito Marquinhos Trad (PSD), ao centro, assinou decreto sobre inspeção municipal. Do lado esquerdo, Alessandro Coelho (Sindicato Rural) e Rogério Bereta (Semagro). Do lado direito, o vereador Eduardo Cury (SD) e o secretário Herbert Assunção (Foto: Leonardo Rocha)Prefeito Marquinhos Trad (PSD), ao centro, assinou decreto sobre inspeção municipal. Do lado esquerdo, Alessandro Coelho (Sindicato Rural) e Rogério Bereta (Semagro). Do lado direito, o vereador Eduardo Cury (SD) e o secretário Herbert Assunção (Foto: Leonardo Rocha)

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) assinou hoje (01), durante a manhã, o decreto com novas regras para inspeção municipal de produtos de origem animal. Ele explicou que a intenção é orientar os produtos e não prever mais punições. Ele também adiantou que haverá fiscalização constante, já que o consumidor quer itens de qualidade.

“Este sistema (regras) que será implantado em 2019, já deveria estar funcionando desde 2014, há muito tempo atrás. O consumidor quer saber se os produtos têm selo, a data do lote, validade, porque estão exigentes pela qualidade”, disse o prefeito, durante o evento, em seu gabinete.

Ele garante que as novas regras buscam “orientar” os produtos e não criar “punições”, tanto que haverá um período pedagógico, para todos se adequarem às exigências. “Ninguém hoje quem comprar um produto ruim, quer garantia, com rótulo e selo. Vamos cadastrar o pequeno (produtor) e até oferecer um design ao produto”.

O titular da Sedesc (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia), Herbert Assunção, explicou que as novas regras para o Sistema de Inspeção Municipal quer “tornas as regras mais claras”, com a previsão de fiscalizações constantes, para garantir a qualidade do produto.

“A fiscalização vai ser mais extensa, porém de forma pedagógica, abrindo um período de até seis meses para todos se adequarem, pedindo mais certificações aos frigoríficos e produtores, estando mais perto das regras nacionais”, pontuou.

Fiscalização - Ele citou que a supervisão em dias de abates será constante, assim como a fiscalização na produção de ovinos e caprinos. As empresas também ganharão uma certificação para ampliar suas vendas no mercado interno, tendo selo que passou pela inspeção municipal.

“Antes as regras não eram tão claras e detalhadas, agora haverá um decreto com toda regulamentação e a inspeção pelos fiscais municipais”. O presidente do Sindicato Rural de Campo Grande, Alessandro Coelho, espera que as regras sejam simplificadas, para ajudar o produtor.

“Estamos à disposição para contribuir, até para ajudar com o pequeno produtor, pois ninguém quer produzir errado, mas esta informação tem que chegar”, disse Coelho. Ele citou que muitos produtos (origem animal) podem até seguir para exportação. “Simplificar e deixar clara (regras), isto que desejamos”.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions