A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

20/03/2015 12:24

Olarte espera a liberação de R$ 270 milhões para drenagem em cinco regiões

Leonardo Rocha e Kleber Clajus
Olarte ressaltou que recursos irão resolver problemas graves de alagamento na cidade (Foto: Marcos Ermínio)Olarte ressaltou que recursos irão resolver problemas graves de alagamento na cidade (Foto: Marcos Ermínio)

O prefeito Gilmar Olarte aguarda a liberação de R$ 270 milhões do Ministério da Integração Nacional, que serão investidos em um projeto de manejo de águas pluviais, onde estão incluídos obras de drenagem, controle de enchentes em cinco regiões de Campo Grande. Ele entregou esta proposta ontem (19), em Brasília, ao ministro Gilberto Occhi, para que façam parte do PAC III (Programa de Aceleração do Crescimento).

“Deixamos os projetos no valor de R$ 270 milhões no Ministério (Integração), vamos esperar para ver o que podemos fazer, temos como prioridade o Santo Antônio, onde tem entidades federais instaladas, assim como na região do Lago do Amor, onde quando chove vira um grande mar no local”, disse o prefeito.

Olarte ressaltou que a intenção é corrigir estes “problemas graves” da cidade, conseguindo estes recursos junto ao Governo Federal, através de articulação política tanto da bancada de Mato Grosso do Sul, como de outras “bancadas amigas”.

Os recursos serão empregados em cinco bacias hidrográficas da cidade, resolvendo o problemas de alagamento em bairros como a Vila Popular, Santo Antônio, Jardim Paradiso, assim como no entorno das margens dos córregos Vendas e Prosa.

O maior investimento é justamente na Bacia do Prosa, que está previsto R$ 80 milhões, com espaço que segue impermeabilizado. O objetivo é acabar com o alagamento em regiões como na intersecção das ruas Bahia, Joaquim Murtinho e Ricardo Brandão, assim como construção de barragem no córrego, e rebaixamento do lago do Parque nas Nações Indígenas.

Para a Bacia do Bandeira, onde se espera R$ 20 milhões, existem obras de desassoreamento do Lago do Amor, que seria readequado para funcionar como piscinão e regular o fluxo da água pluvial, aliviando a carga que é descarregada no Rio Anhanduí. A prefeitura inclusive já licitou esta recomposição e urbanização das margens do Anhanduí.

Na Bacia do Imbirussu, o investimento de R$ 75 milhões, com a implantação de reservatório de amortecimento de cheias no Córrego Serradinho e ampliação do bueiro celular na intersecção da Avenida Duque Caxias. Esta obra vai ampliar a capacidade de captação do sistema de drenagem existente no local.

Já na região do Segredo, com investimento de R$ 60 milhões, o objetivo é por fim aos alagamentos na região que estão com graves problemas de assoreamento do Segredo e o processo de impermeabilização da região, com a chegada da pavimentação nos bairros que ficam às margens do córrego.

Olarte espera a liberação de R$ 270 milhões para drenagem em cinco regiões


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions