A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

02/03/2016 11:07

Operação prende dono e fecha "pior ferro-velho de Campo Grande"

Natalia Yahn
Soldados do Exército auxiliaram na retirada dos materiais do ferro-velho. Trabalho deve durar uma semana. (Foto: Natalia Yahn)Soldados do Exército auxiliaram na retirada dos materiais do ferro-velho. Trabalho deve durar uma semana. (Foto: Natalia Yahn)

O ferro-velho da Rua Jatobá, bairro Guanandi, considerado o mais problemático de Campo Grande, foi interditado na manhã desta quarta-feira (2) e o proprietário do local, José Ferreira da Silva, foi preso em flagrante por crime de poluição ambiental, furto de energia e de água.

Ele foi levado para a Decat (Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e de Proteção ao Turista), onde ficará preso. O delegado Wilton Vilas Boas explicou que Silva também vai responder por colocar a vida de terceiros em risco. "Ele furtava energia e os fios passavam pela rua. Se uma pessoa pisasse ali poderia até sofrer uma descarga elétrica e vir a óbito".

O trabalho de retirada dos materiais do terreno deve durar uma semana, de acordo com a previsão inicial da CCEV (Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais) - ligada a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde).

A interdição foi realizada pela Vigilância Sanitária Municipal, e teve o apoio da Decat, Exército, Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) e Conselho Tutelar. No local, equipes da Energisa e da Águas Guariroba também trabalhavam para retirar ligações clandestinas de abastecimento de energia elétrica e água.

O coordenador da CCEV, Alcides Ferreira, confirmou que o depósito - conhecido como "ferro-velho do Zé" -, atualmente, é o maior problema para as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti - que transmite dengue, zika e chikungunya. "Este é o pior lugar em termos de focos do mosquito no bairro Guanandi. Acredito que é o maior da cidade toda. Os mosquitos que se proliferam aqui infestam uma área enorme e por isso os casos de dengue e zika são inúmeros na região".

Vizinhos do ferro-velho, Johny Mikolet, 30 anos e Joseane Oliveira, 29 anos, moram no local há seis meses e já pegaram dengue e zika este ano. O filho deles, Enzo Gabriel, de apenas 4 meses, também teve dengue e só melhorou há uma semana. "Nosso filho quase morreu. Ele ficou muito mal. Precisamos procurar atendimento no hospital particular porque no posto demorou demais para ele ser atendido. Ficou todo o meu salário para pagar o médico", disse o pai do bebê.

O casal veio de Anastácio, a 130 quilômetros de Campo Grande, quando Joseane estava grávida e na pressa de arrumar um lugar para morar, acabaram ficando vizinhos do ferro-velho. "Nos arrependemos demais, tem muito mosquito, chega a formar nuvem. Além de escorpião e rato, que é até maior do que o gato, parece um gambá de tão grande, e outros bichos", afirmou Mikolet.

Johny e o filho Enzo, de apenas 4 meses, tiveram dengue este ano. (Foto: Natalia Yahn)Johny e o filho Enzo, de apenas 4 meses, tiveram dengue este ano. (Foto: Natalia Yahn)

Agora, por conta da interdição do ferro-velho, o casal que já procurava outra casa para morar decidiu que vai esperar. "Se forem limpar tudo mesmo e resolver o problema a gente fica, mas senão vamos embora. Meu marido e meu filho tiveram dengue e eu zika. Como já tive dengue antes percebi que os sintomas são mais leves, mas fiquei preocupada por causa do bebê", disse Joseane.

Problema - O Campo Grande News mostrou o problema do "ferro-velho do Zé", em uma reportagem publicada no dia 27 de janeiro. Na época moradores do bairro Guanandi também reclamaram do local e dos demais ferros-velhos da região. 

Mas o coordenador da CCEV afirma que todos os locais são monitorados e com a interdição de hoje (2) o trabalho de combate aos criadouros do Aedes será intensificado. "Nos outros ferros-velhos do bairro existe entrada e saída, transição dos materiais, e os demais cuidam, tiram a água acumulada, fazem a cobertura dos artigos. Aqui (ferro-velho do Zé) não era feito nada disso, o problema é antigo, são mais de 14 anos. Foram feitas várias notificações, além dos processos em tramite na Justiça", explicou Ferreira.

Para os agentes de controle de vetores a interdição do ferro-velho vai contribuir muito no combate à dengue no bairro. "O caso aqui é bem conhecido por todos. Os agentes não conseguiam nem entrar. Agora vai ser um grande alívio", disse a supervisora de controle de vetores, Marina Antunes.

Os vizinhos do ferro-velho afirmaram que uma famílía vivia nos fundos do terreno usado como depósito. "Era o pai, mãe e três crianças. Eles viviam no meio da sujeira e todos já tiveram dengue este ano", disse Mikolet.

A Sesau informou que a família foi retirada do local, mas não revelou para onde foram levados.




Gostaria de saber, quem deveria ser preso por por também colocar a vida de terceiros em risco, permitindo a existência de um lixão a céu aberto dentro do bairro Jardim Noroeste.
E ainda construindo casas populares.
 
Nete em 02/03/2016 22:30:10
Destaque para desmanche situado na Via Morena a 80 metros da Av.. Salgado Filho no sentido bairro centro, existem grande quantidade de carros semi desmontados e sucatas
muitos sem vidros. Acredito ja terem sido notoificados pois alguns carros aparecem com plasticos cobrindo a falta devidros porém logo estão novamente expostos. Como diz o ditado popular a fiscalização e " Só para Ingles ver ".
 
idoso em 02/03/2016 13:54:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions