ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, QUARTA  01    CAMPO GRANDE 20º

Capital

Operação prende envolvidos em assassinato de casal esquartejado e carbonizado

Mandados de prisão temporária e de busca e apreensão são cumpridos contra suspeitos nesta manhã

Por Geisy Garnes e Bruna Marques | 24/11/2021 07:47
Equipes da DEH e da Derf voltando para a delegacia na manhã de hoje. (Foto: Marcos Maluf)
Equipes da DEH e da Derf voltando para a delegacia na manhã de hoje. (Foto: Marcos Maluf)

Equipes da DEH (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídio), com apoio de outras duas delegacias especializadas, cumprem nesta manhã (24) mandados de prisão temporária e de busca e apreensão contra suspeitos de assassinar Priscila Gonçalves Alves, de 38 anos e do marido dela, Pedro Vilha Alta Torres, de 45 anos. O crime aconteceu em agosto deste ano e os corpos foram deixados carbonizados às margens da BR-262.

De acordo com o delegado Carlos Delano, responsável pelas investigações do crime, já foram cumpridos nesta quarta-feira dois mandados de prisões temporárias contra envolvidos no homicídio. Além disso, as equipes visitaram seis endereços ligados aos suspeitos, nos bairros Vivendas do Parque e Panorama.

Em um deles, o alvo da ação entrou em luta com um dos policiais e tentou tomar a arma da sua mão, por isso, acabou detido e levado para a delegacia.

Delegado Carlos Delano, responsável pelas investigações do crime. (Foto: Marcos Maluf)
Delegado Carlos Delano, responsável pelas investigações do crime. (Foto: Marcos Maluf)

A ação ainda reúne possíveis testemunhas do crime. Em pouco mais de uma hora de ação, oito pessoas foram à unidade policial para prestar depoimento sobre a morte do casal. Elas são levadas por equipes da Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos) e do Garras (Delegacia Especializada Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros).

Priscila e Pedro Vilha foram encontrados mortos no dia 16 de agosto. Seus corpos foram esquartejados e carbonizados em um terreno baldio às margens da BR-262. Conforme apurado pela reportagem, o casal foi visto com vida pela última vez em uma boca de fumo da região. Durante as investigações, as equipes refizeram os passos das vítimas para chegar aos autores.

Pedro e Priscila estavam juntos há 12 anos. Se casaram escondidos e tiveram duas filhas. Conforme apurado pela reportagem, o relacionamento foi marcado pelo vício em drogas e prisões, principalmente do homem.

Esse histórico de envolvimento dos dois com o tráfico de drogas, segundo o relato dos próprios parentes, os levaram cometer pequenos furtos para manter o vício. Em janeiro deste ano, a mãe da Priscila chegou a procurar a polícia para denunciar que vinha sofrendo constantemente com os crimes dentro de casa.

Eles levavam eletrodomésticos da casa para comprar drogas e os crimes sempre acabavam em discussão. Em uma das brigas delas, Pedro ameaçou comprar uma arma e matar os irmãos da sogra. Foi o medo que levou a mulher de 57 anos à polícia.

Esses furtos cometidos pelo casal estão entre as linhas de investigação da DEH (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos), como possíveis motivações para o crime.

Priscila e Pedro foram casados por 12 anos. Eles morreram em agosto deste ano. (Foto: Redes Sociais)
Priscila e Pedro foram casados por 12 anos. Eles morreram em agosto deste ano. (Foto: Redes Sociais)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário