A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

01/11/2011 10:57

Pagamento só com cartão passa a ser obrigatório em 36% dos coletivos

Marta Ferreira
Usuária do trasnporte passa cartão em terminal de ônibus. (Foto: Simão Nogueira).
Usuária do trasnporte passa cartão em terminal de ônibus. (Foto: Simão Nogueira).

Foi ampliado hoje, em Campo Grande, o número de linhas do transporte coletivo onde o pagamento só pode ser feito com cartão. Mais 17 linhas passam a fazer parte do sistema, que prevê atingir todo o sistema em janeiro de 2012.

O pagamento automatizado começou a ser obrigatório no dia 26 de agosto, com os ônibus articulados. Com a ampliação de hoje, a regra passa a valer para para 36% da frota de ônibus, conforme o presidente da Assetur (Associação Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano), João Rezende.

Para os usuários desavisados, permanece valendo o acordo com o MPE (Ministério Público Estadual) que prevê a venda de cartões dentro dos ônibus. Cada motorista deve ter 10 cartões.

A Assetur alerta para uma regra do acordo que estabelece o número máximo de 4 vezes para a pessoa pagar o transporte com o dinheiro. Depois disso, ela pode ser até impedida de circular, conforme o acordo. Segundo João Rezende, não houve essa situação ainda, embora haja usuários do sistema que ainda chegam sem o cartão.

Ele informou que depois do feriado, a Associação vai distribuir um material informativo à população.

Quais linhas-A partir de hoje, a obrigatoriedade do cartão passa a valer para as linhas 51, 61, 62, 64, 65, 70, 72, 73, 74, 75, 76, 80, 81, 82, 83, 84, 85, 86, 87, 88 e 89. Todas fazem o trajeto entre terminais, e são identificadas pela cor vermelha.

Segundo a Assetur, o número de postos de venda do cartão já passa dos 900. Também é possível comprar o cartão pela internet, no site da Associação.

Rezende argumentou que a mudança no sistema é para garantir a segurança do usuário e isso vem dando certo, segundo ele. Na primeira quinzena do mês de setembro, logo após ao começo da implantação do sistema, foram registrados 13 ocorrências, contra 30 no mesmo período de 2010. “Não queremos dizer que só o cartão foi responsável por toda a queda, mas que ele foi determinante, não temos dúvida disso”, destacou.



já que as empresas, não tem risco de perda com assaltos. deveria reduzir,o preço da passagem.eles(empresários).já que demitiram,todos os cobradores,a planilha de custo,teve uma redução significante.será que nossos politicos,mpe.não perceberam isso?
 
adalberto dutra alves em 02/11/2011 05:05:28
Estou gostando, isso só trará mais segurança e agilidade ao transporte coletivo de Campo Grande.
 
Emerson Camargo em 01/11/2011 12:42:09
Isso se chama Brasil!!! Os caras tao fazendo o que quer com o Transporte coletivo e as autoridades e o MPE ta dormindo!
Lamentavel isso!
 
José Luis em 01/11/2011 12:37:26
eu achava que em Campo Grande a moeda vigente era o REAL mas parece que aqui pode-se criar moeda paralela e interferir no direito de ir e vir das pessoas que diga-se de passagem esta previsto na CONSTITUICAO.
 
lucyneide santos em 01/11/2011 11:47:16
Isso é um absurdo, existe uma legislação que veda que seja negado o pagamento em moeda corrente, se for analisar friamente essa lei, tal atitude da Assetur e da prefeitura É ILEGAL, devendo ser tal fato ser submetido a análise do TJ para eventual discussão acerca da legalidade de tal medida.
 
Diogo de Tarsso da Silva Oliveira em 01/11/2011 11:43:03
Isso vai contra a CONSTITUIÇÃO FEDERAL! Cadê o MPE? Só estão preocupados com os proprietários das empresas de ônibus. Cadê o direito de ir e vir? Com a palavra, nossas autoridades...
 
Joao Pedro em 01/11/2011 11:28:48
o mesmo sistema acontece em Goiania, mas com as seguintes regras: a passagem custa R$ 2,50, se a pessoa não tem a passagem, o motorista te leva até onde vende a passagem sem cobrar...outra coisa: na linha de onibus (terminais) a passagem custa R$ 1,25...bem, se diminuiu assalto, diminuiu cobrador...bem q poderia abaixar o valor,
 
ciro ferreira em 01/11/2011 07:46:03
Bando de gente preguiçosa.não é necessário que vc compre o cartão que vale 1 passagem.. compre o cartão que da para recarregar. caro victor hugo, se voce achou a comparação do leitor diego ramos absurda, a sua fala ainda é pior, visto que hoje é quase impossível uma pessoa nao ter acesso a internet, seja em casa, lan house ou trabalho. Alem do que tem pontos de venda próximos a cada parada.
 
Marco Otavio em 01/11/2011 06:48:50
Entao Diego Ramos, não queira comparar ingressos de Show´s com pegar onibus todo dia. Ou por acasso vc vai para os Shows todos os dias??? bela comparção heim.
Suponhamos que vc nao tem o cartao para ir de onibus e nao possua internet para realizar a compra... é ai vc vai a pé até um posto de venda de cartao??? dúvido muito.
 
vitor hugo em 01/11/2011 06:04:09
As empresas particulares fazem como podem pra ter segurança, na verdade o ESTADO que deveria estar mais atento de sua responsabilidade, se os empresarios tiveram que tomar esta atitude sinal que a coisa esta ficando feia nesta cidade. Acostumem-se a modernidade já que TODOS comprar ingressos de SHOW antecipado e não RECLAMAM, só apresentam o ingresso na entrada. Preguiça mata sabia gente?
 
diego ramos em 01/11/2011 04:32:57
Gente vamos largar de ser preguiçosos, tudo que for positivo para ajudar a minimizar assaltos nos onibus é valido, veja o lado positivo, por acaso vale a pena correr o risco de ser assaltado por causa da preguiça de comprar um cartão avulso? engana-se quem acha que seu direito esta sendo infringido, já que as empresas não estão se recusando a receber o seu dinheiro, e sim recebendo fora do bus.
 
DIEGO RAMOS em 01/11/2011 04:30:27
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions