ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  06    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Pai denuncia filho que usa celular para pedir dinheiro de dentro do presídio

O pai não tem interesse em representar contra o filho, mas registra ocorrência para relatar a perturbação que vem sofrendo

Por Viviane Oliveira | 26/05/2020 11:19
Fachada do Presídio de Segurança Máxima, localizada no Complexo Penitenciário do Jardim Noroeste (Foto: arquivo/Campo Grande News) 
Fachada do Presídio de Segurança Máxima, localizada no Complexo Penitenciário do Jardim Noroeste (Foto: arquivo/Campo Grande News)

Morador de São Gabriel do Oeste, homem de 56 anos procurou a Polícia Civil na noite de ontem (25) para registrar boletim de ocorrência contra o filho, Nelsindo Eibel Junior, 27 anos, que está preso no Presídio de Segurança Máxima Jair Ferreira de Carvalho em Campo Grande, mas mesmo assim liga todos os dias para pedir dinheiro.

Conforme registro policial, o pai contou que o filho liga quase todos os dias, em horário variados, para ele e sua esposa pedindo dinheiro. O pai não tem interesse em representar contra o filho, mas registra o boletim de ocorrência para relatar a perturbação que vem sofrendo. Pediu também para que a penitenciária tire o aparelho celular das mãos do filho. Nelsindo está preso por tráfico de drogas desde 2018.

Em março, reportagem do Campo Grande News mostrou que, de primeiro de janeiro a 2 de março de 2020, a cada 24 horas, 10 celulares foram apreendidos nos presídios estaduais de Mato Grosso do Sul. São 647 em dois meses. No ano passado, foram 3,3 mil.  Se a lei fosse obedecida, esse número seria zero, pois a pena privativa de liberdade impõe isolamento social e o único contato com o mundo externo, além das visitas regulares de familiares e advogados, deveriam ser as cartas, monitoradas.