ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, DOMINGO  07    CAMPO GRANDE 20º

Capital

Em despedida, família de garçom atropelado pede justiça: "foi proposital"

Motorista ainda não foi localizado, mas suspeita surgiu ao analisar as câmeras de segurança

Por Viviane Oliveira e Dayene Paz | 01/07/2022 08:31
Sob efeito de calmantes, dona Josefa clama por Justiça e pede que motorista envolvido no acidente se apresente à polícia (Foto: Henrique Kawaminami)
Sob efeito de calmantes, dona Josefa clama por Justiça e pede que motorista envolvido no acidente se apresente à polícia (Foto: Henrique Kawaminami)

Analisando as câmeras de segurança, familiares de Marcelo Dias Benites, de 41 anos, que morreu após ter sido atropelado por uma VW Saveiro na Avenida Gunter Hans, acreditam que ele foi atropelado propositalmente. “Não foi um atropelamento qualquer, foi proposital, foi crime”, lamentou o cozinheiro Dorival Fernando Santos, de 43 anos, irmão da vítima. Após o acidente, o motorista fugiu sem prestar socorro.

Na manhã desta sexta-feira (1º), durante o velório de Marcelo, Dorival disse que está sendo muito difícil lidar com a morte do irmão, principalmente para a mãe, Josefa Fernandes dos Santos Benites, de 67 anos. “Os dois moravam juntos. Ele se foi e ela está sozinha, amparada pela gente. Ele cuidava dela e ela cuidava dele. Nós somos cinco, mas ele era o único solteiro, e o que mais cuidava dela”, disse.

Segundo Dorival, depois da morte de Marcelo, a mãe não quer mais voltar para casa. “As lembranças vão fazer ela sofrer mais”, contou.

Dorival durante o velório do irmão nesta manhã. (Foto: Henrique Kawaminami)
Dorival durante o velório do irmão nesta manhã. (Foto: Henrique Kawaminami)

O acidente aconteceu no dia 21 de junho, quando Marcelo atravessava a Avenida Gunter Hans. Ele foi atingido pelo carro na entrada do Jardim Ouro Preto, na região do Tijuca. Câmera de segurança flagrou a violência da batida.

A vítima foi socorrida à Santa Casa, ficou oito dias internada e morreu na noite de quarta-feira (29). Quanto ao motorista que fugiu após o acidente, Dorival afirma que ele acabou com uma família. “A paulada que esse carro deu, deixou meu irmão todo quebrado, se ele sobrevivesse teria sequelas”, pontuou.

Sob efeito de calmantes e chorosa, Josefa era consolada pelos filhos. Apenas um deles, gêmeo de Marcelo que mora em outra cidade não pôde comparecer a tempo para o enterro. Tanto a mãe quanto os filhos não se conformam da forma que Marcelo foi morto, clamam por justiça e questionam o porquê o motorista não prestou socorro.

“Quebraram todo o corpo dele. Está sendo muito doído. Como um ser humano atropela e deixa o outro no meio do asfalto. A gente está passando por tudo isso calado”, desabafou a mãe.

Ela faz um apelo e pede para o condutor do carro envolvido no acidente aparecer e se apresentar à polícia. “Ele não poderia ter prestado socorro? Tem uma mãe que está sofrendo. Ele [o motorista] precisa pagar por isso. É tão fácil matar uma pessoa?. A minha família está despedaçada. Meu filho está dentro de um caixão. A gente só está pedindo por justiça, e eu estou falando como mãe”, disse.

Marcelo será sepultado ainda nesta manhã no Cemitério Jardim da Paz.  Assista, abaixo, ao vídeo do acidente.


Nos siga no Google Notícias