ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, TERÇA  28    CAMPO GRANDE 18º

Capital

Para polícia, jovem deve permanecer preso porque assumiu risco de matar

Delegado responsável por investiga acidente com duas mortes na Guaicurus, Lucas Caires requereu a prisão preventiva de rapaz

Por Anahi Zurutuza | 05/02/2021 09:07
Renault Scènic, onde estavam Jair e Mauro, mortos em tragédia na Guaicurus, é guinchado após trabalhos da perícia (Foto: Henrique Kawaminami)
Renault Scènic, onde estavam Jair e Mauro, mortos em tragédia na Guaicurus, é guinchado após trabalhos da perícia (Foto: Henrique Kawaminami)

“Ficha limpa”, Vinícius de Oliveira Gonçalves, de 20 anos, provou ontem mesmo, logo após a colisão que causou duas mortes na Avenida Guaicurus, que não havia bebido. Ele topou passar pelo teste do bafômetro às 13h36, quatro horas e meia depois do acidente, quando ainda estava em observação médica na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Bairro Universitário, conforme consta nos autos da prisão em flagrante do rapaz por homicídio doloso.

Mesmo assim, para a polícia, o rapaz deve ficar preso por tempo indeterminado. Ainda nessa quinta-feira (4), o delegado Lucas Caires, plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Cepol (Centro Especializado de Polícia Integrada), requereu a conversão do flagrante em prisão preventiva.

Como já havia adiantado em entrevista ontem ao Campo Grande News, o responsável pela investigação entende que ao dirigir em alta velocidade, Vinícius assumiu o risco de matar no trânsito.

“Inegável imaginar que trafegar um veículo a aproximadamente 100 km/h em uma avenida de grande fluxo de veículos em horário matutino, não traria risco da ocorrência de acidente de trânsito fatal. Desta feita, infere-se que o agente ao menos previu o resultado e não se importou com a sua provável ocorrência, incidindo no famigerado dolo eventual”, anotou Lucas Caires numa dos despachos que documentam a prisão do rapaz.

O delegado já havia falado à reportagem que entendia o excesso de velocidade, empregado pelo motorista, como a principal causa das mortes de Jair Fernandes, no dia do aniversário dele de 49 anos, e de Mauro Jorge Pereira Nantes, de 54 anos, no cruzamento da Guaicurus com a Marginal Bálsamo, a região do Bairro Cohab, na saída para São Paulo, em Campo Grande.

Vinícius de Oliveira Gonçalves, de 20 anos, conduzia um VW Gol 1.6 (Foto: Henrique Kawaminami) 
Vinícius de Oliveira Gonçalves, de 20 anos, conduzia um VW Gol 1.6 (Foto: Henrique Kawaminami)

Passado – Ao menos no campo criminal, Vinícius não tem nada que desabone suas duas décadas de vida. Pelo que a Polícia Civil conseguiu levantar ontem, o jovem nunca teve passagens pela polícia.

O jovem tem CNH (Carteira Nacional de Habilitação) há menos de um ano, foi aprovado em teste do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) em maio do ano passado. Em 2018, sem habilitação, ele sofreu um acidente de moto, na Rua Congonhas, Vila Taquarussu.

Triângulo amoroso - Na ocasião do acidente, ele conduzia um VW Gol 1.6, que colidiu com um Renault Scènic, onde estavam Jair (na direção) e Mauro (passageiro).

Vinícius estava com Ingrid Casanova Padilha, de 22 anos, quando tudo começou. Ele mantinha relacionamento com a moça e relata que Guilherme Henrique dos Santos, de 24 anos, o ex-marido dela, que apareceu em uma moto Honda Fan 160, e bateu no vidro do veículo onde estava o casal.

O jovem motorista alega que Guilherme fez sinal como se estivesse armado e por isso, ele acelerou. Ingrid deu versão parecida.

Nos siga no Google Notícias