A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

20/04/2016 14:21

Parque dos Poderes pode ganhar primeira revitalização em 33 anos

Projeto de R$ 9,5 milhões é analisado pelo governo do Estado

Aline dos Santos
Acesso ao Parque dos Poderes pela Avenida Mato Grosso; local foi inaugurado em 1983. (Foto: Alan Nantes)Acesso ao Parque dos Poderes pela Avenida Mato Grosso; local foi inaugurado em 1983. (Foto: Alan Nantes)
A primeira imagem mostra o parque hoje e a segunda traz projeção de faixa com pista de caminhada e ciclovia. (Foto: Alan Nantes)A primeira imagem mostra o parque hoje e a segunda traz projeção de faixa com pista de caminhada e ciclovia. (Foto: Alan Nantes)

Centro do poder no Estado, o Parque dos Poderes pode ganhar sua primeira grande intervenção em 33 anos. Inaugurado em 1983, com status de “paixão” do então governador Pedro Pedrossian, o local, em Campo Grande, foi alvo de um diagnóstico da atual gestão.

O projeto executivo de recuperação viária tem custo de R$ 9,5 milhões para que o parque receba revitalização da via, dos canteiros, pista de caminhada, ciclovia, calçadas com piso tátil e meio-fio.

O projeto foi encaminhado ao governador Reinaldo Azambuja (PSDB), que vai avaliar a viabilidade orçamentária.

“Existe uma demanda, uma solicitação por parte da sociedade. Nós entendendo a necessidade de revitalização do parque e contratamos um projeto executivo. Deu um valor alto e estamos aguardando definição. Se vai executar 100%, se vai segurar mais um tempo”, afirma o titular da Seinfra (Secretaria de Infraestrutura), Ednei Marcelo Miglioli.

A proposta prevê 9,8 quilômetros de ciclovia. A faixa vai da rotatória da Avenida do Poeta com a Afonso Pena até a rotatória da avenida Mato Grosso. E também da rotatória perto da Seinfra até perto da agência do Banco do Brasil no parque. “Vai ser no sentido do trânsito. Uma vai e outra volta”, diz o secretário.

A projeção é que a pista de caminhada tenha quatro quilômetros, se estendendo da rotatória com a Afonso Pena até a rotatória da Mato Grosso. O projeto ainda inclui recapeamento em 136.644 metros quadrados, drenagem, 20.981 metros lineares de meio-fio, acessibilidade ao longo do parque e sinalização viária.

. Nós entendendo a necessidade de revitalização do parque e contratamos um projeto executivo., diz Miglioli. (Foto: Alan Nantes)". Nós entendendo a necessidade de revitalização do parque e contratamos um projeto executivo.", diz Miglioli. (Foto: Alan Nantes)

“Vai ser maior intervenção. Até porque nunca teve nenhuma”, salienta Miglioli. O governo também levantou os custos para melhorar a iluminação no parque, sendo necessário investimento de R$ 1,8 milhão.

História - Ex-deputado estadual, o engenheiro civil Antônio Carlos Arroyo volta a 1981 para contar do nascimento do Parque dos Poderes. À época ele era diretor-presidente do Departamento de Obras Públicas, equivalente hoje à pasta de infraestrutura. “Em 1981, o ex-governador Pedro Pedrossian queria reunir todos os órgãos públicos num local. Lá foi escolhido por causa da preservação da mata. O projeto também se preocupava em preservar as nascentes”, conta.

A área pertencia à empresa de saneamento e foi negociada com o governo. A obra foi entregue em 1983. “Procuramos obedecer o máximo possível as curvas de nível do terreno, preservar a área de vegetação para não ter problemas de erosão, porque o terreno ali é muito arenoso”, recorda Arroyo.

Há 33 anos, foram entregue as secretarias. Segundo Arroyo, o projeto ficou parado nas outras gestões e somente com o retorno de Pedrossian foram levadas à frente as obras do centro de convenção, Assembleia Legislativa e Tribunal de Contas do Estado.

“O ex-governador, que também é engenheiro, participou ativamente. Tinha uma paixão pelo Parque dos Poderes. Acompanhou desde o estudo de viabilidade para implantação”, relata.

Pedro Pedrossian, 87 anos, foi governador de Mato Grosso entre 1966 e 1971. Em 1980, foi nomeado para comandar Mato Grosso do Sul, posto que retomou em 1991, quando foi eleito nas urnas.

Na entrada pela avenida Mato Grosso, placa lembra história de parque nascido para cruzar o tempo. (Foto: Alan Nantes)Na entrada pela avenida Mato Grosso, placa lembra história de parque nascido para cruzar o tempo. (Foto: Alan Nantes)
Promotoria e prefeitura firmam acordo para recuperar área de preservação
Foi celebrado entre o MPE (Ministério Público Estadual) e a prefeitura de Campo Grande acordo para recomposição da vegetação nativa da área de preser...
Concurso recebe inscrições para 83 vagas técnico-administrativas
Seguem abertas as inscrições para o concurso que oferece 83 vagas para técnico-administrativos em Educação na UFMS (Universidade Federal de Mato Gros...
Vice-governadora visita projeto em que detentos reformam escolas
O projeto "Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade", desenvolvido pelo Poder Judiciário estadual, foi conhecido e elogiado na sexta-feira (...
Crianças do Vespasiano Martins recebem Papai Noel e ganham presentes
As crianças do loteamento Vespasiano Martins, na periferia de Campo Grande, receberam a visita especial do Papai Noel neste sábado (16). Foram distri...


Mfavero exatamente, porquê não usam este asfalto que não precisa de manutenção hoje em dia, ao invés desse feito de açucar? A gente sabe a resposta!
 
Sidney Santos em 21/04/2016 10:29:21
Exemplo de competência, 1ª revitalização em 33 anos, se o asfalto de toda a cidade fosse bem feito também duraria tanto tempo...... Economia de alugueis e acertos com instalações de órgãos públicos espalhados pela cidade, economia de locomoção. Obras tem que serem feitas com inteligência e visão de futuro. Parabéns Pedrossian.
 
Mfavero em 20/04/2016 16:12:38
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions