ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEXTA  17    CAMPO GRANDE 35º

Capital

PCC teria “julgado” preso ao descobrir traição e apoio ao Comando Vermelho

Junior César Franco Pietro, 41 anos, foi encontrado enforcado, porém, com sinais de estrangulamento e agressão pelo corpo

Por Luana Rodrigues | 14/01/2017 08:59
 Junior César Franco Pietro, 41 anos, foi encontrado enforcado, porém, com sinais de estrangulamento e agressão. (Foto: Alcides Neto)
Junior César Franco Pietro, 41 anos, foi encontrado enforcado, porém, com sinais de estrangulamento e agressão. (Foto: Alcides Neto)

Encontrado morto na penitenciária de Segurança Máxima de Campo Grande, Junior César Franco Pietro, 41 anos, teria sido “julgado” – sentenciado a morte – após trair o PCC (Primeiro Comando da Capital) com o Comando Vermelho.

Conforme informações apuradas pelo Campo Grande News, Junior não pertencia a nenhuma das facções, mas mantinha relacionamento com as duas. Ao descobrir que ele havia feito negócios relacionados a tráfico de drogas com o Comando Vermelho, o PCC, que tem superioridade na Máxima da Capital, teria ordenado o “julgamento” dele.

Morte suspeita – Junior foi encontrado morto por volta das 15h da tarde desta sexta-feira (13), pendurado com uma corda artesanal no pescoço, no solário B do pavilhão 2 do presídio, durante banho de sol.

Conforme o delegado titular da 3ª Delegacia de Polícia Civil, Geraldo Marim, “Há indícios de que ele tenha sido estrangulado e agredido e só depois pendurado lá para que fosse simulado um suicídio, mas isso, apenas os laudos periciais irão confirmar”, explicou o delegado.

Ainda segundo o delegado, quando os presos estão soltos no solário, agentes penitenciários não tem acesso à área, o que facilita a ação dos criminosos.

Natural de Jardim, Junior estava preso na Máxima desde abril de 2015, pelo crime de tráfico de drogas,roubos, receptação e corrupção de menores, e segundo histórico, tinha “ótima” conduta.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário