A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

17/05/2011 14:11

Pedestres dividem calçada de avenida com entulhos e restos de asfalto

Paula Vitorino

Ao longo da via, vários terrenos sem calçada também causam transtornos

Restos de asfalto foram jogados na calçada. (Foto: Pedro Peralta)Restos de asfalto foram jogados na calçada. (Foto: Pedro Peralta)

Para quem é pedestre, transitar pela Avenida Rachid Neder - bairro São Francisco – não é fácil. A Avenida é uma via rápida, com grande fluxo de veículos e pista estreita, sem acostamento. No entanto, a passagem dedicada aos pedestres está com vários trechos sem calçamento e, com isso, os moradores da região que precisam passar pela via tem de se aventurar desviando pelo meio-fio.

“Para quem precisa andar a pé aqui é horrível. Não tem calçada. Você tem que descer pra rua, andar beirando o meio-fio, e os carros passam correndo, tirando fina de você. É um perigo”, denuncia a professora Maria José Rainche, de 46 anos.

A reportagem do Campo Grande News constatou ao menos cinco terrenos sem calçada ao longo da via, no trecho entre as ruas Arthur Jorge e 14 de Julho. São terrenos particulares, que em maioria estão para venda ou em construção.

Entre as ruas Rui Barbosa e Padre João Crippa, além de trechos sem calçamento, os pedestres tem de dividir a calçada com montes de entulho, desviando até de pedregulhos de asfalto.

“Quando chove, vem enxurrada lá de cima e leva tudo o asfalto. Mas aí, os responsáveis vêm, arrumam o asfalto, mas jogam o pedregulho no lugar onde o pedestre passa. Ou seja, arrumam a rua para os carros, mas estragam a calçada dos pedestres”, reclama a professora.

De acordo com os moradores da região, os entulhos amontoados na calçada vêm de diversas obras vizinhas. Já os pedregulhos de asfalto são restos de recapeamentos feitos na própria Rachid.

Ao longo da Avenida Rachid Neder, sentido centro, vários terrenos estão sem calçada. (Foto: Paula Vitorino)Ao longo da Avenida Rachid Neder, sentido centro, vários terrenos estão sem calçada. (Foto: Paula Vitorino)

Perigo - A proprietária de uma academia na Avenida, Mirtes Gonçalves, de 37 anos, aponta outra dificuldade para os pedestres na via, a falta de faixa para travessia no local.

“Acaba dificultando para as pessoas que moram aqui perto e vêem a pé. Sem calçada e sem faixa de pedestre fica complicado andar pela via”, diz.

O mecânico Gilson Araujo Moura, de 41 anos, denuncia a alta velocidade dos motoristas pela Avenida. “As pessoas correm muito e para o pedestre fica perigoso”, diz.

A via possui redutor de velocidade nas duas faixas de pista, com velocidade de 60km/h em um trecho e de 30 km/h em outro.

Para o mecânico, os terrenos abandonados e sem calçadas além de trazerem transtornos para os pedestres, também são um perigo para os vizinhos.

“O terreno aqui da frente tinha até uma casa abandonada dentro, mas já demoliram. Mas vive cheio de mato nos terrenos, é um perigo. Aqui na região tem muito rato, é um problema”, revela.

A professora Maria conta que por diversas vezes teve de tirar do próprio bolso o dinheiro para a limpeza de terrenos vizinhos.

Resposta - A Prefeitura Municipal informou por meio da assessoria que irá mandar uma equipe até o local para verificar a situação e pedir que a empreiteira responsável pelo recapeamento da via retire os restos de asfalto da calçada.

Os proprietários dos terrenos particulares sem calçada devem ser notificados por fiscais do município e se não cumprirem as exigências serão multados. É responsabilidade do proprietário fazer o calçamento do terreno, como também manter a área limpa e fechada.

A Prefeitura não informou se existem áreas públicas ao longo da via, mas garantiu que irá verificar e tomar as devidas providências que forem necessárias.



Bem colocado por todos os leitores.
Concordo na íntegra com Ana Maria.As pessoas têm o hábito de reclamar entre si,não no local certo.
Fiquei um tempo fora da Capital,ao retornar estava trafegando pela Ernesto Geisel com a Eça de Queiro,tinha um tampão solto, fui vítima dele.Com a passagem de outro veículo,o mesmo foi jogado debaixo do meu carro,provocando um grande estrago.Imediatamente procurei a Secretaria de Obras e registrei a queixa.Fui muito bem atendida e o tampão foi substituido por um novo no dia seguinte.
Resumo da ópera,ao verem o acidente com meu veículo, algumas pessoas vinheram até o local e relataram que o problema estava há mais de quinze dias.Agora a pergunta ,porque ninguém reclamou antes?estava evidente o PERIGO com pedestre,ciclista motociclista e carros.
Os orgãos públicos estão ai para nos atender,mas é impossível advinharem onde estão os problemas se a população não fizerem a sua parte.

 
neyde de oliveira em 18/05/2011 10:11:40
E a obra no Shopping Campo Grande, por que a Prefeitura também não toma providência? os pedestres estão sem calçada e transitando por uma rua muito movimentada a meses!!!!
 
Laércio Neto em 18/05/2011 08:37:00
Muito colocado, Luciana. O maior problema é sempre a falta de informação. Dias atrás ocorreu um desmoronamento do asfalto em uma rua perto de minha casa. E o buraco ficou lá, esperando, bem no lugarzinho dele. No dia em que cansei de ver o dito cujo ali, eu passei por um carro da Agetran na rua, chamei o rapaz, pedi para ele anotar o endereço do buraco. Isso no meio da tarde. Quando passei pela rua no final da tarde o local estava todo sinalizado e no outro dia, na hora do almoço, o problema estava resolvido. Precisamos agir mais, cobrar mais. E lamentar menos. Se deixamos uma reclamação registrada no órgão competente, temos como cobrar depois. Se reclamamos com o vizinho, o irmão, o amigo, não temos como cobrar nada!!!
 
ana marcia em 18/05/2011 07:07:03
Imagino como deve se sentir as pessoas com deficiencia visual,porque se eu não passo,e eles. Assim que se conserta o asfalto é so coletar o que não foi usado.
 
luiz carlos santos em 17/05/2011 06:52:34
A prefeitura poderia fazer a calçada e depois descontar do dono do terreno pelo menos a cidade ficaria muito mais bonita e limpa, manda uma notificação, ou o dono faz ate o dia tal ou a prefeitura faz. depois manda o valor. muito melhor do que ir la e aplicar uma multa. pois o dono nao iria pagar a multa, ai ficaria na justiça.
 
thiago souza em 17/05/2011 06:07:08
O problema maior é que as pessoas não sabem que existem números para denunciar isso. Para solicitar limpeza, é 3314.3676. Para denunciar calçadas, é 3314-9536, simples assim, só pegar o telefone e registrar a queixa, não precisa ficar sofrendo esperando a prefeitura ou a imprensa adivinhar que algo está errado. E tem mesmo é que multar, como disse o comentário anterior ao meu!
 
Luciana Vitorino em 17/05/2011 04:42:20
A prefeitura poderia arrecadar muito dinheiro em multas e fazer um bem para todos os cidadãos. Basta sair às ruas e fiscalizar! Por toda a cidade são muitos trechos sem calçadas ou com com calçadas em péssimo estado!
 
Luiz Pereira em 17/05/2011 03:52:24
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions