ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEXTA  24    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Pedreiro diz que matou Silvana por pagar 1h de sexo e aproveitar "só 30 minutos"

Jovem de 27 anos foi preso e confessou ter matado, porque pediu ressarcimento, mas não recebeu

Geisy Garnes e Cristiano Arruda | 27/08/2021 11:48
Silvana foi morta no dia 17 de agosto. (Foto: Reprodução)
Silvana foi morta no dia 17 de agosto. (Foto: Reprodução)

Silvana Domingos dos Santos, de 31 anos, foi assassinada a golpes de barras de ferro, após discutir sobre o valor cobrado em um programa sexual com o assassino. Segundo a polícia, pedreiro de 27 anos matou simplesmente porque a vítima se recusou a devolver metade do dinheiro depois de ficar menos tempo do que o combinado entre eles.

O suspeito foi identificado graças ao celular da vítima, levado por ele e vendido por R$ 500 depois do crime. Com ajuda do setor de investigação da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), as equipes rastrearam o aparelho, "que foi localizado ontem", explicou a delegada Bárbara Camargo Alves.

Segundo a polícia, o homem matou Silvana, porque exigiu que ela devolvesse parte do dinheiro pago por uma hora de programa. “Ele conversou com a vítima por aplicativo, concordou em pagar R$ 100 por uma hora, mas só ficaram por 30 minutos. Ele exigiu que ela devolvesse metade do valor (R$ 50) e eles se desentenderam”.

Delegados responsáveis pela investigação durante coletiva de imprensa. (Foto: Marcos Maluf)
Delegados responsáveis pela investigação durante coletiva de imprensa. (Foto: Marcos Maluf)

Durante a briga, o suspeito foi até o quintal da casa, pegou uma barra de ferro, voltou para o quarto e matou a vítima espancada.

Desacordo – Ainda segundo as investigações, o desentendimento entre Silvana e o suspeito começou bem antes do crime. O homem foi a casa por duas vezes, mas na primeira, foi embora antes do concluir o programa, porque a vítima não estava sozinha, conforme eles haviam combinado por mensagem.

Neste dia, duas amigas da vítima também estavam no local. Ele retornou para casa e voltou a conversar com a vítima por aplicativo. Horas depois, seguiu novamente para o local. Desta vez, Silvana estava sozinha e acabou assassinada.

"A gente perguntou se ele já tinha agredido alguma mulher e ele acabou falando que só agrediu ela pela condição (de garota de programa)", comentou a delegada. Por conta disso, o pedreiro responde a homicídio qualificado por feminicídio, já que matou por menosprezar a vítima na condição de mulher. Para a polícia, ele ainda cometeu o crime por motivo fútil.

O suspeito foi encontrado na casa dos pais, no Jardim Leblon. Ele é solteiro e já possui passagem pelo crime de maus-tratos cometido contra a filha de ex-mulher.

O crime - Silvana foi encontrada no dia 17 de agosto, em uma casa do Jardim Los Angeles. Ela estava em cima da cama, apenas de calcinha e com ferimentos na cabeça. Inicialmente, a polícia suspeitou que ela havia sido morta com três tiros na parte posterior do crânio.

Mais tarde, a perícia constatou que as lesões eram resultado de pancadas consecutivas, feitas com pedaço de madeira ou ferro. Ex-namorado da vítima, um dos suspeitos pelo assassinato, foi ouvido logo após o crime e apresentou um álibi.


Nos siga no Google Notícias