A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

29/02/2012 18:50

Pena por morte de Mayana é inédita para homicídio no trânsito

Elverson Cardozo e Nadyenka Castro

Anderson de Souza, acusado de matar Mayana de Almeida durante racha na avenida Afonso Pena foi condenado a mais de 18 anos de prisão

Anderson de Souza e Willian Jhony durante julgamento. (Foto: Marlon Ganassin)Anderson de Souza e Willian Jhony durante julgamento. (Foto: Marlon Ganassin)

Anderson de Souza Moreno, de 20 anos, acusado pela morte de Mayana de Almeida Duarte durante racha na Avenida Afonso pena em 2010, foi condenado a 18 anos e 9 meses de prisão nesta quarta-feira (29). A pena é inédita em Mato Grosso do Sul porque envolve homicídio no trânsito, racha, embriaguez e transposição do sinal vermelho.

O jovem foi condenado pelo crime de homicídio doloso qualificado por motivo torpe – emulação em fazer disputas - e recurso que dificultou a defesa da vítima. Por esses crimes, a pena foi de 17 anos.

Pelos crimes de trânsito – dirigir embriagado e racha – o réu foi condenado a 1 ano e 9 meses de detenção. O juiz também determinou que por 70 dias ele pague multa no valor de um trigésimo do salário mínimo vigente à época do crime – junho de 2010.

Anderson teve a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) cassada e, portanto, perde o direito de dirigir pelo tempo de condenação. Em regime fechado o rapaz deve cumprir três quintos dos 17 anos, depois tem direito a progressão de pena. Ao fim do cumprimento desta pena, ele passa a pagar pelos crimes de trânsito.

Para o cálculo da sentença o juiz Aluízio Pereira dos Santos levou em consideração a “culpabilidade manifestamente reprovável” do réu; “personalidade destoante dos interesses da sociedade”.

“É uma pessoa que não vê limites em sua conduta”, disse o magistrado, acrescentando que os fatos demonstram total desarmonia com os interesses da sociedade.

Já Willian Jhony de Souza Ferreira, que no dia do crime participou do racha com Anderson, foi absolvido pelo crime de homicídio doloso e condenado apenas pelos crimes de embriaguez ao volante e racha.

Como a pena prevista é de 2 a 4 anos de prisão, Willian Jhony tem direito a suspensão condicional do processo. Caso consiga a suspensão, ele ficará obrigado a comparecer mensalmente ao Fórum para prestar informações pessoais como endereço, local de trabalho ou quaisquer informações determinadas pela justiça.

Para que Willian Jhony seja beneficiado com a suspensão do processo tem que haver parecer favorável do Ministério Público Estadual. O promotor pediu vistas do processo para avaliação e o juiz determinou prazo de cinco dias.

Entenda o caso - Na madrugada do dia 14 de julho de 2010, Anderson de Souza e Willian Jhonny disputavam racha na avenida Afonso Pena, sentido bairro-centro.

Anderson conduzia um Vectra à 110 quilômetros por hora e passou à frente de Willian, que dirigia um Fiat Uno.

No cruzamento com a rua José Antônio, o Vectra bateu no Celta que era conduzido por Mayana. Testemunhas afirmaram que o jovem “furou” o sinal vermelho.

Guarda oferece palestra sobre prevenção e combate às drogas em Uneis
Jovens da Unei (Unidades Educacional de Internação) Dom Bosco e da Unidade de Internação Feminina Estrela do Amanhã, em Campo Grande, receberam pales...
Cadastramento biométrico é oferecido pela Carreta da Justiça em Anhanduí
Desde o início desta semana a Carreta da Justiça está realizando atendimentos da biometria no distrito de Anhanduí, no município de Campo Grande, gra...


Essa condenação é um sinal que há esperança para o Brasil, é injusto centenas de cidadãos, sendo mortos no trânsito, pela imprudência de pessoas irresponsavéis.
 
Aline Alves Luciano. em 12/03/2012 09:42:04
Absurdo, tirou a vida de uma jovem por serem dois delinquentes e irresponsável

Muito pouco. deveria ser 30 anos em regime fechado.

O outro também deve ficar preso em regime fechado, pois racha acontece entre duas pessoas.
 
vanderlei Richete em 02/03/2012 06:50:29
MATO GROSSO DO SUL É PIONEIRO NO AVANÇO JURÍDICO DO PAÍS???? kkkk é uma piada? não! só pode ser! kkkkkkk isso não foi NADA, ele merecia muito mais e o outro que que estava no racha também...
 
Carolina Souza em 01/03/2012 11:37:38
Ainda é pouco, se fosse um pai de família furtando ou roubando uma lata de sardinha no mercado, pegaria 1 ano de reclusão, agora o indivíduo tira uma vida pega 18 anos, mas cumprirá somente 3/5 em regime fechado. justiça lacra esse cara na cadeia pois ele lacrou uma jovem no caixão.
 
ney lima em 01/03/2012 11:03:17
O Cara foi condenado a mais de 18 anos de prisão?!? Só acredito vendo! Infelizmente no Brasil a maneira mais fácil de matar alguém e não ser preso é no volante de um carro. No Japão ele seria condenado a 20 anos em regime fechado, sem essa de cumprir só três quintos da pena.
 
Paulo Hood em 01/03/2012 10:17:45
O delinquente tem ainda a cara de pau de levar um rosário na mão....Nessas horas todos são santos e religiosos.
 
Antonio Magalhaes em 01/03/2012 10:08:16
Parabéns ao Estado por esta vitória contra o MAU!
Parabéns a todos os membros do Estado envolvidos (Policias e MP).
 
Reinaldo Fernandes em 01/03/2012 09:51:15
....E O CASO DA PROMOTORA QUE DEU O CARRO PARA SOBRINHO E FILHO MATAR PESSOAS QUA IRIAM ATRAVESSAR A SUA FRENTE... VAMOS OLHAR ISSO COM UM OLHAR MENOS CORPORATIVO.
 
jose calazans em 01/03/2012 09:34:09
Comentarios desastrosos destroem familias!
 
NEI VILELA em 01/03/2012 09:27:02
NÃO ACHO QUE DEVEMOS PARABENIZAR NOSSA JUSTIÇA, POIS EM OUTROS CASOS EM QUE HAVIA PESSOAS INFLUENTES ELA NADA FEZ, ESSES AI SÃO UM ZÉ NINGUEM E FORAM ONDENADOS POR ISSO.
 
FRANCISCO PRADO em 01/03/2012 09:10:50
Sandra Lima, e o sobrinho e o FILHO da Promotora? Nada mais se fala deles, se mudaram para o RS.
 
ricardo rodrigues em 01/03/2012 08:57:25
Galera ! Que justiça é essa que foi feita. Só um foi responsabilizado pela morte da garota ? O racha acontece entre dois carros pelo menos, e somente o que bateu no carro da Moça é que é responsabilizado pela sua morte ? Isso tá errado, os 2 são culpados no mesmo crime. Desse jeito, fica assim, o Willian ganhou o racha, pois não foi penalizado da mesma forma que o seu oponente. Absurdo galera !!!
 
Flávio Márcio em 01/03/2012 08:45:46
E O SOBRINHO DA "PROMOTORA" caso rayssa, será que vai ser condenado também, o juiz ja inocentou retirando todas as multas do carro, corporativismo puro, agora o cara passa no sinal vermelho em alta velocidade deixa uma pessoa vegetando, e ainda é inocente, ou a justiça é só para os mortais"?".(2)
A ``justiça`` não fez mais do que a sua obrigação, pais fraco de leis fracas.
 
Roberto Inzagaki em 01/03/2012 08:34:50
Ainda acho que o que pegou menos tempo deveria ter pego 18 anos de condenação, e o que pegou mais tempo, deveria ter pena máxima (30 anos), suspensão definitiva do direito de dirigir para ambos e impossibilidade de progressão de pena.
Aí sim seria uma punição mais adequada. Criaria precedente e reduziria a sensação de impunidade ao se cometer delitos de trânsito.
 
Daniel Francelino em 01/03/2012 08:32:52
Parabéns à Justiça do nosso Estado, ao Dr Aluizio e ao promotor que fizeram JUSTIÇA neste caso revoltante que comoveu nossa cidade. Já está na hora desses marginais que usam carro como armas, irem para a cadeia.
 
Luis Carlos Espíndola em 01/03/2012 08:16:29
COMO SEMPRE O MATO GROSSO DO SUL É PIONEIRO NO AVANÇO JURÍDICO DO PAÍS!!!
PARABÉNS AO DR. ALUIZIO.

TOMARA QUE ESTA DECISÃO PASSE A SER SEGUIDA PELOS TRIBUNAIS DE TODO O PAÍS.
 
André Ruiz em 01/03/2012 08:01:02
FOI JUSTA A PENA, PODERIA SER MAIOR, É PARA OS CONDUTORES DE VEÍCULOS ENTENDEREM QUE VEÍCULO É UMA ARMA PERIGOSA, OUTRA TERÃO QUE ENTENDER, QUE EM ÁREAS URBANAS, NÃO EXCEDAM 40 KM POR HORA, POIS UM VEÍCULO, SÓ FREIA COM 50% DA VELOCIDADE EM QUE SE DESLOCA, PRESTE BEM ATENÇÃO, A PENA DESTA ATIVIDADE, CHEGARÁ A CRIME DOLOSO, CUIDADO.
 
PEDRO BRAGA em 01/03/2012 07:43:21
Ainda foi pouco, coitada perdeu a vida que ñ volta mais, que país de injustiça, isto tem que valer p/ alguns garajistas e advogados tranqueiras, quando forem comprar ou locar veiculos consulte sempre o site www.tjms.jus.br para saber se a garagem ou o advogado ja respondem processo, para que você não cai na conversa de bandido.
 
anderson lima em 01/03/2012 07:41:11
EXEMPLAR a condenação, os crimes no trânsito precisão ser pesadamente punidos. A sociedade espera que outros crimes semelhantes sejam apenados de maneira semelhante, independente de serem parentes de autoridades ou filhos de famílias abastadas. DURA LEX SED LEX. E que também sirva de alerta aos papais e mamães que safem todas as vontades dos filhotinhos.
 
eduardo de paula em 01/03/2012 07:28:28
Somente agora a frágil justiça do estado de MS começa a penalizar esse tipo de criminoso. Eu sempre defendi a seguinte idéia: Se você quer matar alguém, atropele esta pessoa e faça parecer que foi mais um acidente de transito, pois a justiça não penaliza quando a morte ocorreu num "acidente" de transito.
Felizmente minha idéia agora parece ultrapassada.
 
Rodrigo Vigente Pinto em 01/03/2012 06:33:44
pra mim ainda é pouco, um carro na mão de uma pessoa embriagada é a mesma coisa de uma arma na mão de um macaco
 
alex vargias em 01/03/2012 06:21:15
Parabéns ao Promotor Douglas, que vem se destacando no Tribunal do Júri por sua grande dedicação.
 
Alan Henrique em 01/03/2012 04:10:30
PARABÉNS ao MP na pessoa do excelente Promotor de Justiça Dr. Douglas, e ao digníssimo Magistrado Dr. Aloísio, que apesar deste código penal arcaico, conseguiram fazer justiça.
 
João Márcio Escobar em 01/03/2012 02:44:44
Esse é o minimo que a justiça fez pra dar uma resposta pra sociedade...
 
jocelino castro em 29/02/2012 11:33:22
E como dizia meu avô pau que dá em Chico dá em Francisco, e o sobrinho da Promotora rsrsrs é muuuuuuuuuuuuuuuuuita Justiça mesmo aff!
 
sandra lima em 29/02/2012 11:09:07
a punidade bradou dessa vez, aplaudam a Justiça! essa merece
 
gildemar dantas em 29/02/2012 11:09:06
Isso sim é justiça feita!
 
Henrique Medina em 29/02/2012 10:49:46

Quem estave no plenario do juri entendeu o motivo pelo qual foram penas diferentes.
O racha entre Wiliam e Andersom já tinha acabado, porém Andersom continuou acelerando conforme dito pela testemunha, vindo a colidir com o carro de Mayana. Por este motivo os crimes foram julgado separados,Wiliam por racha e embriaguez ao volante e Andersom por racha, embriaguez ao volante e homicídio.
 
Fernanda Domingues em 29/02/2012 10:31:19
Parabéns a justiça de campo grande...assim espero que todos aprenda a lição... que beber e dirigir não combinam e principalmente tirar rachas pelas ruas de campo grande....
 
william carvalho em 29/02/2012 10:24:34
Éssa é a verdadeira SOBERANIA DO VEREDITO. nada pode ser mudado mais.dúvido que a defesa consiga anular o júri. o maximo que possa conseguir em uma apelação é uma atenuante na pena. Não podemos ser injusto com os meninos. o advogado da defesa pode interpor um recurso em sentido estrito em relação a carteira de motorista, art 294 CTB. precisam dirigir carrinho de carregar panelas lá dentro.
 
Amilton Almeida em 29/02/2012 10:13:37
E O SOBRINHO DA "PROMOTORA" caso rayssa, será que vai ser condenado também, o juiz ja inocentou retirando todas as multas do carro, corporativismo puro, agora o cara passa no sinal vermelho em alta velocidade deixa uma pessoa vegetando, e ainda é inocente, ou a justiça é só para os mortais"?".
 
sandro paiva em 29/02/2012 09:58:28
A pena tinha k ser igual para os dois,Ambos estavam dirigindo embriagados e dirigindo em alta velocidade.
 
Rosane Scavoni em 29/02/2012 09:13:21
É isso ai!
Agora esse rapaz vai ter mto tempo pra refletir..
Mas lembremos não é só embriaguez que mata no trãnsito, ALTA VELOCIDADE E BARBEIRAGEM TBM!!!
MARCELO LUIZ AMARAL PEREIRA JUSTIÇA JÁ!
 
Aline Amaral em 29/02/2012 07:23:47
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions